Posts

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos para o core business da organização.

Segundo dados da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), o interesse pelo aluguel de veículos aumentou consideravelmente no Brasil em 2023.

As frotas das locadoras brasileiras fecharam os primeiros 9 meses do ano com 1,5 milhão de carros e utilitários leves.

A perspectiva é de que esse número continue crescendo em 2024, com a expansão das frotas das locadoras e a crescente busca por uma gestão financeira mais equilibrada.

No entanto, é fundamental analisar a viabilidade financeira em cada caso específico. É sobre isso que vamos falar neste artigo. 

Continue lendo para descobrir como a locação de carros pode ser lucrativa para a sua empresa!

O que é locação de carros para empresas?

A locação de carros para empresas é quando uma organização aluga veículos de uma empresa especializada por um período determinado. 

Assim, em vez de comprar os carros, a organização paga uma taxa de aluguel mensal ou por período de uso. 

Isso permite que o gestor tenha acesso a uma frota de veículos sem precisar lidar com os custos de compra, manutenção e depreciação dos carros. 

Dessa forma, essa é uma opção prática e econômica para atender às necessidades de mobilidade das empresas.

Como funciona a locação de carros para empresas?

A locação de carros para empresas funciona de forma bastante simples. 

A empresa interessada em alugar veículos entra em contato com uma locadora de automóveis e firma um contrato de locação. 

Neste contrato, são especificados detalhes como a quantidade de veículos necessários, o período de locação, os serviços incluídos (como seguro e assistência 24 horas), e os valores a serem pagos. 

Logo após a assinatura do contrato, a locadora disponibiliza os veículos requisitados, que podem ser utilizados pela empresa conforme suas necessidades operacionais. 

Ao final do período de locação, os veículos são devolvidos à locadora, encerrando o contrato.

Principais benefícios da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas oferece uma solução econômica, flexível e conveniente para atender às necessidades de mobilidade das empresas.

A seguir, vamos entender os principais benefícios deste tipo de serviço?

Rentabilidade

A locação de carros para empresas elimina os custos de aquisição, manutenção e depreciação de uma frota própria, resultando em economia significativa.

Tarifas exclusivas

As locadoras oferecem tarifas especiais para locação corporativa, garantindo uma relação custo-benefício favorável para os contratos de aluguel de veículos por CNPJ.

Negociação flexível

Geralmente, os termos do contrato podem ser ajustados conforme o tempo de uso, permitindo extensões ou reduções conforme a demanda da empresa.

Ideal para períodos extensos

A locação é uma opção vantajosa para projetos temporários, expansão de negócios ou necessidades sazonais. 

Isso porque ela oferece acesso a uma frota de veículos sem comprometer os recursos financeiros a longo prazo.

Manutenção inclusa

Muitos contratos de locação de carros para empresas incluem serviços de manutenção. 

Isso pode incluir troca de óleo, revisões periódicas e reparos mecânicos, reduzindo o ônus da empresa em relação aos cuidados com os veículos.

Renovação da frota

As locadoras geralmente mantêm uma frota atualizada, com veículos mais novos e tecnologicamente avançados. 

Isso proporciona às empresas acesso a carros modernos, seguros e eficientes, sem a necessidade de investir em constantes atualizações de frota.

Assistência 24 horas

Muitas locadoras oferecem serviços de assistência 24 horas, garantindo suporte em caso de emergências, como panes mecânicas, pneus furados ou acidentes. 

Dessa forma, você e seus condutores têm maior tranquilidade, especialmente durante viagens ou deslocamentos a trabalho.

Localiza: a melhor opção de locação de carros para empresas

Como observamos, a locação de carros para empresas oferece uma série de benefícios que podem contribuir significativamente para a rentabilidade e eficiência operacional das organizações. 

Com tarifas exclusivas, flexibilidade de negociação e uma ampla gama de serviços incluídos, a Localiza se destaca como a melhor opção para empresas que buscam soluções de mobilidade corporativa. 

Além disso, como a maior locadora de veículos da América Latina, a Localiza oferece expertise, confiabilidade e qualidade comprovadas para atender às necessidades de sua frota corporativa.

Conheça a nossa modalidade de aluguel mensal de carros para empresas e economize agora mesmo!

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar diretamente no seu orçamento é fundamental.

Em 2024, entrou em vigor a nova tabela ICMS interestadual, trazendo consigo importantes mudanças para os contribuintes que realizam operações entre estados.

Por isso, vamos mostrar o que é e como calcular o ICMS sobre frete, baseado nesta nova alíquota.

 Além disso, você descobrirá como obter o crédito de ICMS, evitando prejuízos e mantendo a gestão da frota em conformidade com o fisco. 

Continue lendo e saiba como otimizar os custos da sua frota!

O que é o ICMS sobre frete?

O ICMS sobre frete é o imposto incidente sobre as operações de circulação de mercadorias e prestação de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação. 

Essencialmente, é um tributo estadual cuja alíquota pode variar de acordo com cada Estado (UF).

Em termos simples, o ICMS é um imposto adicionado ao preço dos produtos e serviços, sendo repassado indiretamente ao consumidor final. 

Ele é aplicado sobre a comercialização e circulação de produtos dentro do território nacional, bem como sobre importações.

Além disso, fatores, como o tipo de carga, o porte da empresa e a localidade, influenciam o cálculo do ICMS sobre o frete. 

Portanto, compreender como esse imposto é calculado é crucial para manter uma boa saúde fiscal e evitar problemas com o fisco.

O ICMS sobre frete incide em quais operações?

O ICMS é um tipo de imposto em cascata, já que incide sobre todos os processos de venda. 

Ele está previsto em lei desde 1989 e de lá para cá, já sofreu algumas alterações.

Veja abaixo o que diz a LEI COMPLEMENTAR n.º 87, de 1996:

Art. 2° O imposto incide sobre:

I – operações relativas à circulação de mercadorias, inclusive o fornecimento de alimentação e bebidas em bares, restaurantes e estabelecimentos similares;

II – prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal, por qualquer via, de pessoas, bens, mercadorias ou valores;

III – prestações onerosas de serviços de comunicação, por qualquer meio, inclusive a geração, a emissão, a recepção, a transmissão, a retransmissão, a repetição e a ampliação de comunicação de qualquer natureza;

IV – fornecimento de mercadorias com prestação de serviços não compreendidos na competência tributária dos Municípios;

V – fornecimento de mercadorias com prestação de serviços sujeitos ao imposto sobre serviços, de competência dos Municípios, quando a lei complementar aplicável expressamente o sujeitar à incidência do imposto estadual.

Além disso, ainda conforme a legislação, o imposto incide também sobre:

  1. Entrada de mercadoria importada do exterior por pessoa física ou jurídica, mesmo que seja para consumo ou ativo permanente do estabelecimento.
  2. Entrada de mercadoria ou bem importados do exterior por pessoa física, ou jurídica, mesmo que não seja contribuinte habitual do imposto, independentemente da finalidade.
  3. Serviço prestado no exterior ou cuja prestação tenha se iniciado no exterior.
  4. Entrada, no território do Estado destinatário, de petróleo, lubrificantes, combustíveis líquidos e gasosos deles derivados, e energia elétrica, quando não destinados à comercialização ou industrialização, decorrentes de operações interestaduais, cabendo o imposto ao Estado onde estiver localizado o adquirente.

Quando há isenção do ICMS?

Alguns casos específicos podem resultar na isenção do ICMS. Estes incluem:

  • Produtos e serviços destinados ao exterior, abrangendo produtos primários e industrializados semi-elaborados;
  • Operações interestaduais relacionadas à energia elétrica, petróleo, combustíveis e seus derivados, nos casos de comercialização e industrialização;
  • Operações destinadas à impressão de revistas, jornais, livros e periódicos.
  • Arrendamento mercantil;
  • Aquisição de veículos automotores adaptados para pessoas com deficiência física.
  • Insumos agrícolas e hortifrutigranjeiros;
  • Casos envolvendo ouro utilizado como ativo financeiro ou instrumento cambial.

Dessa forma, conhecer essas situações de isenção pode ser crucial para otimizar os custos relacionados ao frete. 

Além disso, é importante compreender a fiscalização da SEFAZ e seu impacto no custo do frete.

Como funciona a nova alíquota interestadual de ICMS em 2024?

Em 2024, a lei do ICMS sofreu alterações significativas visando simplificar e harmonizar a legislação tributária nacional. 

As principais mudanças incluem:

Redução das alíquotas interestaduais

As regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste tiveram suas alíquotas reduzidas de 12% para 7%. 

Essa medida visa estimular o desenvolvimento dessas regiões e diminuir as disparidades regionais.

Simplificação das regras de partilha

As regras de partilha do ICMS entre os estados de origem e destino foram simplificadas e serão aplicadas de forma uniforme para todas as operações interestaduais.

 Isso independe do tipo de produto ou do regime tributário do contribuinte.

Atualização dos valores das mercadorias

A nova tabela prevê a atualização dos valores das mercadorias sujeitas à substituição tributária, os quais serão reajustados anualmente pelo IPCA.

Vale lembrar que essas alterações visam harmonizar a legislação tributária nacional e facilitar o cumprimento das obrigações fiscais pelos contribuintes. 

Dessa forma, é possível ter maior clareza e previsibilidade no ambiente tributário da sua frota.

Confira a nova tabela:

Como calcular o ICMS?

Para o ICMS incidir sobre o frete, o transporte deve ocorrer entre cidades do mesmo estado (intermunicipal) ou de um estado para outro (interestadual).

Para calcular, você deve considerar sempre o valor total pelo serviço prestado. 

Vamos calcular o ICMS sobre o frete usando um exemplo:

  1. Identifique a alíquota: A alíquota do ICMS varia de estado para estado. Por exemplo, suponha que a alíquota do seu estado seja de 12%.
  2. Calcule a base de cálculo: Imagine que o valor total da mercadoria transportada seja R$2.500,00. Esse é o valor base para o cálculo do ICMS.
  3. Aplique a alíquota à base de cálculo: Multiplicamos o valor base pela alíquota. Nesse caso, R$2.500,00 * 0,12 (12/100) = R$300,00. Esse é o valor do ICMS.
  4. Adicione o ICMS ao valor do frete: Vamos supor que o valor do frete seja R$800,00. Adicionamos o valor do ICMS ao valor do frete: R$800,00 + R$300,00 = R$1.100,00.

Portanto, o valor total do frete, incluindo o ICMS, será de R$1.100,00.

Quando considerar o DIFAL?

O DIFAL, ou Diferencial de Alíquota do ICMS, é um mecanismo criado para equilibrar a arrecadação dos estados.

Vamos para um exemplo prático:

Imagine que você compre uma carga de bananas de uma fazenda em Santa Catarina, onde a alíquota do ICMS é de 7%. 

Porém, você é um distribuidor em Minas Gerais, onde a alíquota interna do ICMS é de 12%.

Nesse caso, como as alíquotas são diferentes nos dois estados, há a incidência do DIFAL. 

Ele é calculado como a diferença entre a alíquota do estado de origem (SC – 7%) e a alíquota do estado de destino (MG – 12%), que é de 5%.

Então, para equilibrar a arrecadação entre os estados, você precisa pagar essa diferença (DIFAL) ao estado de destino (Minas Gerais). 

É uma forma de garantir que cada estado receba sua parte justa da arrecadação do ICMS e promover uma concorrência mais justa entre os produtores de diferentes regiões do país.

Crédito de ICMS, como funciona?

O direito ao crédito de ICMS depende do valor e da alíquota que estão claramente indicados nos campos específicos da nota fiscal. 

Ou seja, não é mais possível calcular o crédito com base em informações adicionais da nota fiscal, como era feito antes. 

Essa alteração busca tornar o processo mais transparente e evitar possíveis interpretações erradas na hora de calcular o crédito de ICMS.

Exemplo prático de aplicação do crédito de ICMS

Imagine que a sua empresa de transporte adquire mercadorias para revenda contabilizando o montante de R$10.000, com uma alíquota de 18% para a compra e a venda.

Dessa forma, você terá um crédito de R$1800 (18% * R$10.000) já que não é o consumidor final.

Agora suponha que, no momento da venda, a mercadoria é repassada por R$15.000. 

Isso gera a obrigação tributária de R$2700 (18% * R$15.000). 

Por fim, para acertar as contas junto ao fisco estadual, a sua empresa terá como obrigação o desembolso de R$900 e não R$2700, pois já tinha um direito contabilizado de R$1800 (R$2700 – R$1800).

E, na prática, como receber o crédito?

Para empresas frotistas, o crédito de ICMS é baseado em cima do imposto cobrado sobre o combustível utilizado durante as viagens. 

Note que você já paga o ICMS sobre a operação (seja de transporte de passageiros ou de mercadoria).

Então, quando o veículo é abastecido, a sua empresa paga novamente o mesmo imposto. 

Ou seja, existe uma bitributação e você tem o direito de abater uma delas.

Mas, quem é o responsável por fazer isso?

A fornecedora do cartão de combustível é quem deve fazer a recolha das notas fiscais nos postos, organizar a documentação e enviar para que o gestor de frotas faça o pedido de crédito.

Então, ainda tem dúvidas sobre o ICMS sobre frete? 

Como vimos, é importante automatizar o recolhimento adequado das notas fiscais para garantir a creditação correta do ICMS. 

Ao manter sua empresa de transporte em conformidade com as obrigações fiscais, você fortalece sua posição no mercado, abrindo caminho para um crescimento sustentável.

Na Localiza, estamos comprometidos em fornecer as soluções, como a Sofit, que auxiliam os nossos clientes a enfrentar os desafios tributários com eficiência e tranquilidade. 

Juntos, podemos impulsionar o sucesso e a prosperidade dos negócios de transporte.

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente da sua frota. 

Esse indicador não apenas oferece uma visão clara sobre os gastos operacionais. Ele também desempenha um papel crucial ao revelar se os veículos estão consumindo mais combustível do que o esperado.

Por isso, neste artigo vamos entender como calcular o custo por km rodado da sua frota de forma simples e eficaz.

Continue lendo para saber mais!

Índice:

  1. Custo por KM rodado por veículo, o que é?
  2. Por que calcular o custo por KM rodado por veículo?
  3. Como determinar o custo por km rodado?
  4. Como calcular o custo por KM rodado por veículo?
  5. O que fazer após entender o custo por KM rodado dos veículos da sua frota?
  6. Como um software de gerenciamento de frota pode ajudar a gerenciar custos?

Custo por KM rodado por veículo, o que é?

O custo por km rodado é uma métrica fundamental para entender os gastos associados à operação de veículos.

Ele representa a média de despesas incorridas a cada quilômetro percorrido por um veículo.

Calcular esse custo envolve variáveis além do consumo de combustível, como manutenção, depreciação e outros custos operacionais.

Essa métrica proporciona uma visão clara dos gastos relacionados à frota, permitindo uma análise mais precisa do uso dos veículos.

Além disso, com esse indicador, você pode tomar decisões para otimizar suas operações e maximizar a eficiência dos recursos.

Por que calcular o custo por KM rodado por veículo?

Com a oscilação do custo do combustível no Brasil, é interessante que o gestor de frotas mantenha o controle financeiro da sua operação.

Neste sentido, a disponibilidade da métrica de custo por KM rodado por veículo pode:

  • Auxiliar na tomada de decisões estratégicas;
  • Mostrar quais são os grandes vilões que barram a sua lucratividade;
  • Indicar o que precisa ser otimizado para gerar ROI positivo para a sua empresa;
  • Evitar que você tenha prejuízos com a precificação, cobrando menos do que deveria;
  • Possibilitar a otimização do deslocamento de veículos.

Como determinar o custo por km rodado?

O caminho para chegar até o custo por km rodado pode ser diferente de frota para frota.

Por exemplo: “Devo considerar multas e sinistros no custo do km rodado?”

Se a sua empresa não responsabiliza o condutor pelos custos com multas e sinistros, então a resposta é SIM.

Caso contrário, esses itens não devem ser considerados no custo do km rodado.

Além disso, considerar apenas o custo com combustível para simplificar o custo por km rodado é uma prática errada.

Ou seja, a lógica abaixo está equivocada e deve ser evitada:

 “O meu carro faz 10 km/l. Se cada litro de gasolina custa R$5,00, então está gastando R$0,50/km.”

Como calcular o custo por KM rodado por veículo?

Para chegar até o indicador de custo por KM rodado, você deve verificar todos os gastos necessários para manter um veículo em operação. 

Em seguida, deve dividir pela quilometragem em um determinado período.

Assim, para calcular o custo por KM rodado, aplique a fórmula a seguir:

VALOR DO KM RODADO = (CUSTO FIXO + CUSTO VARIÁVEL)/KM RODADO

Dessa forma, as despesas operacionais da sua frota podem ser divididas em duas categorias: fixas e variáveis.

Note que podem existir outros itens e, até mesmo, outros serviços agregados à sua frota como, por exemplo, uma Telemetria, ou uma Gestão de Multas e Documentação.

Apesar disso, os custos principais estão descritos abaixo:

Custos Fixos

Os custos fixos de uma frota são todos que você precisa pagar, independente do km rodado, serviços realizados ou demanda. 

Os principais custos fixos de uma frota incluem:

  • Aluguel mensal do veículo (aplica-se apenas a frota locada);
  • IPVA;
  • DPVAT;
  • Seguro;
  • Salários dos motoristas;
  • Licenciamento;
  • Depreciação do veículo.

Custos Variáveis

Os custos variáveis ​​flutuam dependendo do tamanho, utilização e eficiência de sua frota:

O que fazer após entender o custo por KM rodado dos veículos da sua frota?

Após determinar o seu custo por KM rodado, chegou a hora de analisar esse número e calcular o lucro esperado de sua frota. 

Você está insatisfeito com ele? 

Caso esteja insatisfeito, considere estratégias para reduzir suas despesas variáveis ​​e melhorar o ROI da sua frota de veículos.

O custo por KM rodado por veículo pode ser aplicado de muitas maneiras para a redução dos seus custos totais.

As estratégias mais eficazes incluem:

  • Adquirir novas peças para os seus veículos, com base no cálculo;
  • Verificar se os processos de manutenção estão sendo seguidos à risca;
  • Entender se você está deixando de inserir algum custo fixo ou variável;
  • Adotar um novo modelo de precificação, para gerar mais lucro

Como um software de gerenciamento de frota pode ajudar a gerenciar custos?

Para o frotista, determinar o custo por km rodado de todos os veículos da frota pode ser uma tarefa um tanto quanto trabalhosa.

Da mesma forma, desconhecer essa métrica prejudica a sua gestão financeira, gerando prejuízos para a operação.

Com o Sofit, gestores de frota podem usar o módulo de desconto em folha para consolidar, alocar e parcelar dívidas dos funcionários. 

Assim, a cada mês você pode enviar essas informações para o RH efetuar os descontos correspondentes.

Além disso, o Sofit também permite:

  • Gerar relatórios com todos os custos relacionados a sua frota; 
  • Traçar comparativos entre condutores da mesma região ou rota;
  • Cruzar dados de modelos de veículos que rodam na mesma região ou rota, 
  • Comparar o desgaste ou duração de peças, pneus ou outros componentes de diferentes fabricantes. 

Essas funções ajudam não somente a medir o seu custo do km rodado, mas também permitem comparar e tomar ações que permitam reduzir custos. 

Afinal de contas, de que serve medir se você não consegue ter base para uma tomada de decisão?

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável por uma frota de veículos, essa preocupação pode ser ainda maior. 

Afinal, os gastos com combustível representam uma parte significativa dos custos operacionais. E reduzir o consumo não apenas economiza dinheiro, mas também é uma contribuição importante para um mundo mais sustentável. 

Por isso, neste artigo, vamos explorar sete maneiras simples e eficazes de melhorar o consumo de combustível da sua frota. 

Então, se você está pronto para economizar e tornar sua frota mais eficiente, continue lendo e veja 7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota!

Índice:

  1. Promova a Condução Eficiente
  2. Monitore e mantenha a manutenção da frota
  3. Realize auditorias periódicas nas faturas de combustível
  4. Construa um bom relacionamento com os seus fornecedores
  5. Economize com contratos de preços fixos para combustível
  6. Otimize o consumo de combustível com análise de dados 
  7. Implemente um sistema de monitoramento do consumo de combustível

1. Promova a Condução Eficiente

Treinar os motoristas para adotar práticas de condução eficiente costuma impactar diretamente no consumo de combustível da frota.

É que a condução suave e consistente pode reduzir significativamente o consumo de combustível e, consequentemente, economizar dinheiro para a frota.

Por isso inclua na rotina dos seus condutores ações de promoção de condução eficiente:

  • Treinamento e educação: Realize sessões de treinamento para seus motoristas, destacando a importância da condução eficiente e ensinando técnicas específicas, como a aceleração suave e a antecipação de paradas. 
  • Utilize tecnologia: Considere a instalação de dispositivos de rastreamento e telemática em seus veículos. Essas ferramentas podem monitorar o comportamento do motorista e fornecer feedback em tempo real.
  • Estabeleça metas: Defina metas mensuráveis de eficiência de combustível para seus motoristas e recompense aqueles que as alcançarem. Isso pode criar um incentivo adicional para uma condução mais eficiente.

2. Monitore e mantenha a manutenção da frota

Uma manutenção regular e adequada dos veículos é essencial para garantir que eles funcionem com eficiência.

Por isso, verifique regularmente os pneus para garantir que estejam devidamente inflados, pois pneus sub afunilados aumentam o consumo de combustível. 

Além disso, certifique-se de que os filtros de ar e óleo sejam trocados conforme as recomendações do fabricante. 

Estabeleça também um programa de manutenção preventiva que inclui verificações regulares dos pneus, troca de óleo, filtros de ar, filtros de combustível e outras peças críticas. 

E lembre-se: uma frota bem mantida não apenas economiza combustível, mas também aumenta a vida útil dos veículos.

3. Realize auditorias periódicas nas faturas de combustível

De tempos em tempos, é crucial comparar os registros de consumo de combustível feitos pelos veículos com as faturas emitidas pelos fornecedores. 

Assim, você precisa verificar se as quantidades e os preços estão alinhados com os acordos previamente estabelecidos.

Para isso, considere aplicar um sistema de controle que permita registrar e rastrear o consumo de combustível de cada veículo de forma eficaz. 

Neste sentido, ferramentas como software de gerenciamento de frota podem automatizar esse processo, fornecendo alertas sobre quaisquer discrepâncias que possam surgir.

4. Construa um bom relacionamento com os seus fornecedores

Mantenha uma comunicação aberta com eles, independentemente de serem fornecedores a granel, postos de gasolina ou provedores de cartões de combustível.

Isso facilita a discussão de necessidades e expectativas – e ainda pode levar a acordos preferenciais. Além disso, a negociação de preços e descontos é uma vantagem. 

Relações sólidas com fornecedores podem te colocar em uma posição melhor para obter preços competitivos e benefícios extras. 

Isso acontece porque os fornecedores frequentemente oferecem tarifas especiais para clientes leais, especialmente se sua frota é grande.

Além disso, não se limite apenas ao preço e considere também a qualidade, já que combustíveis de qualidade inferior podem prejudicar a eficiência do motor e a vida útil dos veículos. 

5. Economize com contratos de preços fixos para combustível

Proteger-se é essencial ao lidar com combustível. Muitas vezes, fechamos acordos que favorecem os fornecedores em vez de nós mesmos. 

No entanto, existe uma solução simples: contratos baseados em índices.

Nesse tipo de contrato, o fornecedor não define o preço com base nas flutuações do mercado de varejo. 

Em vez disso, ele oferece combustível a um preço de atacado, determinado por um índice de referência independente. O valor que você paga geralmente fica acima ou abaixo desse índice.

Essa abordagem ajuda a reduzir a incerteza dos preços e garante valores mais competitivos em comparação com as oscilações do mercado aberto. 

Além disso, os contratos proporcionam uma previsibilidade de preços, protegendo parte dos seus gastos com combustível das mudanças diárias nos preços. Dessa forma, você economiza e mantém suas finanças mais estáveis.

6. Otimize o consumo de combustível com análise de dados 

Ao coletar informações precisas sobre o consumo de combustível de cada veículo, você pode identificar áreas de melhoria. 

Assim, com base nessas descobertas, é possível ajustar estratégias operacionais, treinar motoristas de forma mais direcionada e economizar dinheiro.

Mas como acessar dados sobre o consumo de combustível?

Use relatórios regulares para acompanhar o desempenho de cada veículo. Assim, você consegue ver exatamente qual veículo está consumindo mais combustível do que o esperado e investigue o porquê. 

Além disso, a análise de dados ajuda a estabelecer metas realistas e medir o progresso. Isso cria um ciclo contínuo de melhoria, onde sua frota se torna mais eficiente com o tempo, economizando combustível e reduzindo custos operacionais. 

Portanto, faça bom uso dos dados e relatórios à sua disposição para otimizar o consumo de combustível de sua frota.

7. Implemente um sistema de monitoramento do consumo de combustível

Ao adotar tecnologia de monitoramento, como sensores de combustível ou sistemas de telemetria, você pode obter dados em tempo real sobre o consumo de combustível de cada veículo em sua frota. 

Isso significa que você não precisa mais depender apenas de estimativas ou relatórios imprecisos. Em vez disso, terá acesso a informações precisas e atualizadas.

Imagine poder saber exatamente quanto combustível cada veículo consumiu durante um determinado período. 

Isso não só ajuda na previsão de despesas, mas também na identificação rápida de qualquer anomalia. 

Por exemplo, se os dados mostrarem que um motorista específico está fazendo muitas acelerações bruscas e frenagens, você poderá agir proativamente, fornecendo treinamento ou orientações para melhorar a eficiência da condução.

Além disso, com uma solução de controle de combustível você terá benefícios como:

  • Comparações de gastos a partir de marca, modelo e rota de cada veículo, permitindo que sejam encontradas mais facilmente as medidas para reduzir o consumo de combustível;
  • Conferir o ranking dos condutores dos veículos da frota;
  • Identificar quais são as rotas mais econômicas;
  • Alertas sobre possíveis desvios que ofereçam maior economia de combustível na rota;
  • Uma interface simples de usar e intuitiva.

Conte com a Sofit para melhorar o consumo de combustível da sua frota!

Manter um controle rigoroso sobre os dados de consumo de combustível é a chave para melhorar a eficiência da frota e reduzir os custos operacionais. 

Com informações precisas e ações orientadas por dados, você estará melhor preparado para otimizar o consumo de combustível e, ao mesmo tempo, reduzir o impacto ambiental de sua frota.

Tudo isso está disponível para a sua empresa de transporte com a Sofit.

A nossa solução de controle de combustível abrange as principais demandas dos gestores de frota de forma simples e fácil de acompanhar.

Então, saiba mais sobre a solução de controle de combustível da Sofit agora mesmo!

Planilha em excel de controle de pneus

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? 

Uma planilha é um instrumento útil para gestores de frota que precisam de um recurso simples e barato para fazer o controle dos pneus.

E quando aliada a uma ferramenta de gestão, a planilha pode ser ainda mais útil, servindo como portas simples de entrada de dados, por exemplo.

Então, se você precisa de uma força para controlar esses ativos, confira algumas dicas para realizar esse gerenciamento e baixe grátis a nossa planilha de controle de pneus!

Índice:

  1. Por que fazer o controle de pneus?
  2. Após quanto tempo um pneu precisa ser trocado?
  3. A importância de conferir o hodômetro
  4. Por que investir numa planilha de controle de pneus?
  5. Como utilizar a planilha para controlar os pneus?
  6. Otimize o seu gerenciamento com uma planilha gratuita de controle de pneus

Por que fazer o controle de pneus?

Fazer o controle de pneus ajuda você a garantir a segurança, a eficiência e a redução de custos. 

Vamos entender o porquê?

Primeiramente, pneus desgastados, danificados ou com pressão inadequada podem aumentar o risco de acidentes. 

Isso é perigoso para o motorista, passageiros e ainda coloca em risco a segurança nas estradas.

Assim, quando você controla os pneus, pode identificar e substituir aqueles que apresentam riscos à segurança.

Além disso, pneus inadequados podem afetar o desempenho do veículo. 

Eles podem aumentar o consumo de combustível e reduzir a vida útil desses ativos. 

Portanto, com o controle de pneus, é possível monitorar o desgaste, a pressão e a qualidade dos pneus, ajudando a manter a eficiência dos veículos da frota.

Após quanto tempo um pneu precisa ser trocado?

Por mais que a sua empresa tenha a sua própria política de troca periódica de pneus, ela deve ser realizada pelo menos a cada 40 mil quilômetros rodados.

Esse marco pode variar um pouco conforme o carro é utilizado e o perfil do veículo, mas não foge muito da média.

Além disso, independente da política de substituição dos pneus da frota de veículos da sua empresa, é importante acompanhar de perto a quilometragem predefinida.

A importância de conferir o hodômetro

Outro fator importante no controle dos pneus da frota é o hodômetro.

É necessário fazer o registro periódico do hodômetro para planejar as trocas com antecedência.

Essa medida simples promove a segurança dos motoristas e demais colaboradores e também evita a ociosidade dos veículos.

Afinal, pneus também têm um prazo de validade, que geralmente é de cinco anos. 

Por isso, além de acompanhar a quilometragem dos veículos, também é importante fazer o acompanhamento da validade dos pneus. 

Assim, você previne o risco de sua frota rodar por aí com pneus fora das especificações do fabricante.

Por que investir numa planilha de controle de pneus?

Investir em uma planilha de controle de pneus é um bom começo para otimizar o gerenciamento e monitoramento dos pneus da frota de forma organizada e eficiente. 

Veja aqui alguns motivos pelos quais isso pode ser vantajoso para sua empresa:

Simples de usar

Uma planilha é uma ferramenta simples e fácil de usar, que permite organizar o estoque de pneus de forma clara e acessível. Com ela, é possível registrar o histórico de cada pneu, incluindo data de compra, preço, desgaste e substituição.

Facilita a tomada de decisão

Com essas informações registradas, você pode controlar os custos e tomar decisões mais assertivas em relação ao controle de manutenção e substituição de pneus. 

Auxilia na identificação de problemas com pneus

É possível identificar problemas com mais facilidade, como desgaste irregular ou pressão inadequada, prevenindo problemas mais graves e reduzindo custos com manutenção.

Ajuda a reduzir o risco de acidentes

Ao controlar os pneus numa planilha, você pode reduzir os riscos de acidentes e problemas relacionados à segurança dos motoristas e passageiros. 

Pode reduzir custos com manutenção

Com a planilha, ainda é possível monitorar e planejar a substituição de pneus de forma mais eficiente, ajudando a manter os veículos em bom estado de conservação e a reduzir custos com manutenção.

Portanto, investir em uma planilha de controle de pneus é uma forma simples e eficaz de garantir a segurança dos motoristas e passageiros, além de reduzir custos com manutenção e aumentar a eficiência da gestão de frotas. 

Como utilizar a planilha para controlar os pneus?

Fazer o gerenciamento dos pneus através da planilha não é algo tão complexo quanto se imagina.

Além disso, os benefícios para sua empresa ao utilizar essa simples ferramenta são inúmeros.

A planilha para iniciantes que desenvolvemos, por exemplo, é bem simples de utilizar:

  1. Para começar, baixe a planilha clicando aqui e ao abrir, clique na aba “Controle”.
  2. Depois, cadastre cada um dos seus veículos.
  3. Agora, sinalize quais serviços foram realizados nos seus pneus — se foram comprados pneus novos ou se foi feito algum reparo ou manutenção — qual foi o fornecedor utilizado, quanto custou e a data em que o serviço foi feito.

Logo após preencher essas informações, as outras abas da planilha automaticamente indicarão:

  • Se você está gastando com cada tipo de serviço — troca, reforma, balanceamento, etc.
  • Quanto cada veículo seu está gastando com pneus.

Além disso, a marcação do hodômetro do veículo em cada um dos serviços mostra o quanto esse veículo rodou até precisar de alguma troca ou ajuste nos pneus.

O controle desses itens — hodômetro, fornecedores e gastos com serviços — permite:

  • Fazer um acompanhamento mais preciso da vida útil de todos os pneus.
  • Identificar o momento ideal para realizar algum ajuste, rodízio ou troca dos pneus.
  • Realizar o gerenciamento dos gastos com os pneus dos veículos da frota.

Por isso, aliar o uso da planilha de controle de pneus com o software de gestão de frotas, é a opção mais adequada.

Isso porque o gerenciamento se torna ainda mais dinâmico, uma vez que o software importa automaticamente esses dados colocados na planilha.

Além disso, o controle se torna ainda mais ágil e eficiente, com o fornecimento de relatórios completos, para comparar os gastos com pneus em relação ao custo total da frota.

Mas para começar a entender a importância desse controle, você pode começar apenas com a planilha e mais tarde implantar o uso software de gestão na sua empresa.

Otimize o seu gerenciamento com uma planilha gratuita de controle de pneus

Realizar o gerenciamento de pneus pode ser uma tarefa árdua para gestores de frota.

Entretanto, contando com as ferramentas certas, essa pode ser uma tarefa bem simples, que oferece vários benefícios para a empresa. 

Afinal, com toda a correria que envolve gerenciar uma frota, o risco de acabar esquecendo de realizar alguma troca, calibragem de pneus, ou manutenção preventiva é alto.

Por isso, baixe a nossa planilha de controle de pneus grátis e comece a usar agora mesmo na sua frota!

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar dados em insights acionáveis, informando assim as decisões de negócios de uma organização.

Não é à toa que cada vez mais a Business Intelligence tem ganhado espaço na logística de frotas. 

Dessa forma, fica muito mais fácil lidar com o grande volume de dados gerados nas operações.

A seguir, confira como as ferramentas de BI podem ser úteis para a sua operação, além dos benefícios na logística de frotas. 

Boa leitura!

 

Índice:

  1. O que é Business Intelligence?
  2. Qual a relação entre Business Intelligente e logística?
  3. Por que utilizar o BI na gestão de frotas?
  4. 7 vantagens do Business Intelligence para a Logística

O que é Business Intelligence?

Business Intelligence (BI) refere-se à infraestrutura e técnica que coleta, armazenamento e análise dos dados produzidos pelos processos de uma empresa.

Ferramentas de BI podem acessar e analisar conjuntos de dados e apresentar descobertas analíticas em relatórios, resumos, painéis, gráficos e mapas para fornecer aos usuários informações detalhadas sobre o estado dos negócios.

O termo Business Intelligence também se refere a uma variedade de ferramentas que fornecem um acesso rápido e fácil a insights sobre o estado atual de uma organização, com base nas informações disponíveis.

Qual a relação entre Business Intelligente e logística?

No setor da logística e da cadeia de suprimentos, é gerado um volume significativo de dados.

Esses dados são derivados das múltiplas operações que se realizam diariamente e que envolvem um grande número de atores, como clientes, transitários, operadores logísticos, armazéns, transportes, alfândega, portos e administrações.

Com um grande volume de informações disponíveis, não é raro perder algum dado valioso para a sua empresa.

Isso acontece devido aos diversos fatores associados, como:

  • Dificuldade em coletar dados;
  • Informações hospedadas em diferentes plataformas;
  • Complexidade de gerar relatórios;
  • Atualização manual de informações.

A complexidade de produzir relatórios globais, atualizados e confiáveis ​​muitas vezes significa que os custos associados a cada operação não são conhecidos com clareza suficiente. 

Portanto, o Business Intelligence na logística busca resolver esses problemas, usando big data, telemetria, entre outras tecnologias, como a IA, para oferecer de forma clara e fácil uma visão completa da evolução do negócio.

Por que utilizar o BI na gestão de frotas?

Usando tecnologias de BI, você pode obter informações sobre questões como: rotas de transporte, embarques e desembarques, pedidos, desempenho no prazo, tempos de carga e descarga (por motorista) e até emissões de CO₂. 

Além disso, através de Business Intelligence também é possível obter dados sobre os clientes, viagens, veículos e desempenho dos motoristas. 

Você pode visualizar tudo isso através de dashboards interativos e dinâmicos que também oferecem a possibilidade de acompanhamento em tempo real.

Dessa  forma, a experiência das empresas de logística com BI mostram que o seu uso resulta em:

  • Melhor visão sobre custos e lucros;
  • Otimização da eficiência;
  • Rotas mais otimizadas;
  • Melhor controle e implantação de motoristas e veículos;
  • Visão geral total dos clientes em vários aspectos;
  • Preparação da sua frota para o futuro.

7 vantagens do Business Intelligence para a Logística

A seguir, confira os principais benefícios das ferramentas de business intelligence para a logística de frotas:

1. Melhora a disponibilidade de dados

Isso é possível graças aos dashboards – painéis que fornecem uma visão rápida e diária da situação atual da cadeia de suprimentos.

Por este motivo, gestores do segmento estão sempre em busca das melhores ferramentas de BI para os seus negócios. 

É que a tecnologia contribui para uma análise integrada de todos os processos, facilitando a organização do grande volume de dados gerados nas operações.

2. Possibilita uma tomada de decisão mais estratégica

Os dados de Business Intelligence na logística e na cadeia de suprimentos tem um impacto significativo na sua tomada de decisão.

Com a possibilidade de acompanhar tudo em tempo real, extrair informações com mais facilidade e acessar relatórios personalizados, você pode focar na parte estratégica.

Isso garante que as suas decisões sejam baseadas não apenas em dados superficiais, mas num conjunto de informações realmente relevantes e que refletem a realidade da sua operação.

3. Otimiza a gestão de inventário

Você sabe que um excesso de estoque ou matéria-prima pode acabar acumulando taxas de retenção e imobilizando o caixa que poderia ter sido usado em outras áreas operacionais. 

Ao mesmo tempo, uma má gestão da cadeia de suprimentos pode acabar deixando você com um déficit de estoque e, consequentemente, sem atender às demandas dos clientes. 

Assim, monitorar seu estoque pode ajudar no gerenciamento da cadeia de suprimentos para que você possa prever melhor a demanda e otimizar seu processo de pedido. 

As ferramentas de BI podem ajudá-lo a melhorar seu fluxo de armazenamento para atender à demanda e, assim, criar eficiências. 

Além disso, a longo prazo, você ainda economiza dinheiro e mantém seu fluxo de caixa saudável.

4. Acesso a relatórios

Outro grande benefício da implementação de BI na logística é que ela reduz a necessidade de extrair dados e criar relatórios. 

Ela permite que os usuários criem painéis específicos de operação para gerenciar seus dados de logística e remessa com base em seus relatórios específicos. 

Os aplicativos de business intelligence são baseados nos principais indicadores de desempenho (KPIs) e fornecem todas as outras informações, dados e geram relatórios automatizados sem qualquer assistência.

Dessa forma, com dados úteis para avaliar seu desempenho, as empresas conseguem acompanhar sua evolução no mercado e caminhar rumo a resultados exponenciais.

5. Centraliza a gestão de dados

É bastante comum numa empresa de frota que os dados fiquem isolados em diversas ferramentas, utilizadas para otimizar a gestão.

Sem integração, buscar por alguma informação pode ser desafiador. 

Com a Business Intelligence, os dados da sua frota ganham um novo significado porque são armazenados, classificados e analisados ​​em um único sistema, de acordo com parâmetros previamente definidos.

6. Reduz o risco de excesso ou falta de produtos

Se você trabalha com estoque, então a BI pode ser uma importante aliada do seu negócio. 

Algumas soluções de gerenciamento de dados Business Intelligence são geralmente orientadas por IA. 

Esse recurso avançado possibilita previsões mais precisas de oferta e demanda para evitar o excesso e minimizar o risco de falta de estoque. 

7. Dá ao gestor mais tempo para focar nos negócios

Leva muito tempo para os gerentes de frota coletarem e interpretarem os dados, certo?

Coletar e interpretar os dados gerados na operação logística é um trabalho que leva bastante tempo.

Apesar disso, não é raro que gestores passem a maior parte do dia correndo atrás dessas informações, o que é um grande erro.

SAIBA MAIS: Os principais erros na gestão de frotas

Infelizmente, isso tira dos gestores a responsabilidade principal de manter sua frota em bom funcionamento. 

A BI garante que os dados sejam claros e personalizados para sua frota, poupando o trabalho de ter que garimpar relatórios de dados intermináveis.

Então, este artigo sobre Business Intelligence na logística de frotas foi útil para você? Compartilhe nas redes sociais!

 

Confira os principais indicadores de frotas para a sua gestão

Acompanhar os indicadores de gestão da frota é um componente crítico do gerenciamento de veículos.

E, apesar de ser um conceito bastante simples, esses indicadores, também conhecidos como KPIs (Key Performance Indicators) precisam ser bem definidos pelo gestor de frota, conforme os objetivos atuais da sua operação.

Pois além de garantir que os processos estejam transcorrendo com eficiência, essa é a melhor maneira de aumentar a produtividade da frota e controlar os custos.

A seguir, veremos alguns indicadores da gestão de frota ideais para monitorar e manter a produtividade da sua operação.

Continue lendo para saber quais métricas são as mais importantes para monitorar e como elas beneficiam o desempenho da sua frota!

O que são indicadores de desempenho (KPIs)?

Os KPIs de gerenciamento de frota são indicadores que demonstram a eficácia da sua estratégia de gerenciamento de frota. 

Um KPI de gestão de frota serve como uma bússola para guiar decisões acerca de processos que fazem parte do seu dia a dia, como consumo de combustível, manutenção e produtividade.

Logo após estabelece-los, você pode começar a identificar rapidamente ineficiências e lacunas em sua organização que podem ser corrigidas para reduzir seus custos e melhorar a eficácia e a produtividade de sua frota.

Alguns dos principais objetivos dos indicadores da gestão de frota incluem:

  • Aumentar a eficiência da operação;
  • Melhorar a produtividade;
  • Controlar custos.

Qual a importância de aplicar indicadores na gestão de frotas?

Ficar de olho nos KPIs de gerenciamento de frota e desempenho do motorista beneficia sua frota de várias maneiras:

Evita padrões anormais de utilização dos veículos

Existe um ativo na frota que está consumindo duas vezes mais em despesas de combustível e manutenção do que veículos similares? 

Esse pode estar sendo usado de maneira inapropriada, como ser levado “fora do relógio” para motivos pessoais. 

O rastreamento de métricas de manutenção e custo pode ajudar os gerentes de frota a identificar quando um ativo de veículo está fora dos padrões normais de uso.

Auxilia a identificar problemas de segurança

Dados sobre aceleração e desaceleração podem revelar maus hábitos de direção que aumentam o risco de colisão.

Da mesma forma, os relatórios de reparo podem identificar problemas consistentes com determinados veículos.

Um exemplo são pneus que não estão sendo substituídos com frequência ideal e sistemas de freio se desgastam mais rápido do que deveriam.

Assim, com essas informações é possível reforçar medidas de segurança para a sua frota.

Contribui com a redução de custos

Quando você define indicadores da gestão de frota para o monitoramento dos custos, pode encontrar lacunas e oportunidades para reduzir gastos desnecessários.

Por exemplo:

Ao acompanhar que os indicadores da gestão de frota relacionados à manutenção corretiva estão acima da média do último semestre, você pode investigar o que está acontecendo com os seus veículos:

  • Existe um grupo de motoristas relacionado com o aumento deste tipo de manutenção?
  • São veículos específicos?
  • Existe algum gargalo na manutenção preventiva da sua frota?

Ao definir KPIs para acompanhar a sua frota, você consegue chegar até a raiz do problema e tomar decisões baseadas em dados.

Melhora o índice de satisfação dos clientes

Para que sua frota transporte trabalhadores de campo para um local de trabalho específico ou transporte cargas para os clientes, é imperativo que os veículos e o seu conteúdo cheguem a tempo. 

Logo, com indicadores de desempenho do gerenciamento de frota, você garante que os motoristas não façam desvios desnecessários para que as entregas e as chamadas de serviço sejam concluídas no prazo.

5 indicadores de gestão de frotas essenciais para seu negócio

Antes de começar a desenvolver seus KPIs, você precisa saber o que deseja melhorar. 

Mas é difícil saber quais metas você precisa atingir se não souber onde estão suas ineficiências.

Por isso, comece fazendo algumas perguntas básicas, como:

  • Quer reduzir o tempo de inatividade dos seus veículos?
  • Você está gastando muito dinheiro em custos de reparo para sua frota?
  • Você está tendo problemas para manter as peças certas no estoque?

As respostas a perguntas como essas podem ajudá-lo a ter uma ideia de algumas áreas específicas onde você deve desenvolver parâmetros a serem seguidos.

A seguir, confira 5 indicadores de gestão de frotas essenciais para o seu negócio:

1. Consumo de combustível

O combustível é um dos maiores custos contínuos para as frotas e, embora inevitável, pode ser gerenciado. 

Ao definir os KPIs de gerenciamento de frota baseadas neste indicador, você deve visar a eficiência do consumo. 

Isso envolve tanto monitorar as tendências de consumo de combustível quanto melhorar as rotas e o comportamento do motorista.

Principais KPIs

  • Gastos com combustível;
  • Custo por km/h;
  • Consumo por veículo.
  • Desempenho médio da frota (km/l).

2. Manutenção de veículo

O desenvolvimento de KPIs para manutenção ajuda a garantir que seus veículos sejam atendidos rapidamente em casos de falha, mantendo a sua frota produtiva.

Existem diversos indicadores que ajudam o gestor de frota a acompanhar o processo de manutenção dos veículos da frota. Um dos mais simples é mensurar as avarias e falhas.

Uma alta taxa de avarias de veículos pode ser um indicativo de que o plano de manutenção da frota atual é insuficiente e precisa ser modificado. 

Logo, os gerentes de frota devem rastrear incidentes de quebra e tentar determinar a causa para que tais interrupções possam ser evitadas.

Principais KPIs

  • Tempo de Inatividade;
  • Total de Avarias;
  • Índice de manutenções corretivas (não programadas);
  • Desgaste de peças.

3. Produtividade da frota

Indicadores de produtividade da frota facilitam o gerenciamento da operação, dando aos gestores uma visão geral sobre a eficiência da operação.

Assim, é possível tomar decisões e estabelecer metas ligadas à produtividade da sua frota.

Os principais KPIs relacionados com a produtividade da frota incluem:

  • Capacidade dos veículos da frota;
  • Tempo médio de entrega;
  • Satisfação do Cliente.

4. Quantidade de multas

A gestão de multas é outra tarefa do gestor de frotas, sendo preciso definir formas de evitar e gerenciar os pagamentos para não ter gastos desnecessários.

Assim, acompanhar a incidência de multas na sua operação é o primeiro passo para verificar se os seus condutores estão dirigindo corretamente.

Além disso, você pode acompanhar a quantidade de multas de uma forma geral ou por condutor, o que vai permitir determinar ações específicas para um ou direcionadas a um grupo de motoristas.

Principais KPIs

  • Incidência de Multas;
  • Frequência de multa por veículo;
  • Valores gastos com multas/mês.

5. Gestão de sinistros

Acompanhar a incidência de sinistros com os veículos da sua frota vai te ajudar a entender se eles estão acima do normal, prejudicando a sua produtividade.

Por isso, é importante verificar indicadores de gestão de frota de sinistros. Com dados em mãos, estabeleça uma meta de redução, se for necessário.

Principais KPIs

  • Incidentes gerais (roubos, acidentes e batidas);
  • Quebra de veículo/motorista.

Como analisar os indicadores de gestão de frotas com a Sofit?

Um dos principais benefícios de usar o software de gerenciamento de frota para ajudar a otimizar suas operações é gerar relatórios personalizados sobre os KPIs que você definiu para sua equipe. 

Após importar seus dados e começar a rastrear itens como ordens de serviço, custos e despesas, estoque e tudo mais, você pode criar facilmente relatórios específicos para as métricas que deseja acompanhar.

Com a Sofit, acompanhar os indicadores de gestão da frota é simples e intuitivo. A nossa ferramenta dispõe de módulos personalizáveis para você ficar de olho no que realmente importa.

Além disso, é possível gerar relatórios em poucos cliques e usar dados gerados pelo nosso sistema de telemetria integrado, para ter informações ainda mais detalhadas sobre a sua frota.

Então, solicite um teste grátis agora mesmo e comece a acompanhar os indicadores da gestão de frota!

Como fazer o controle de gastos no setor de frotas?

Gestores de frota estão sempre sob pressão para reduzir custos, dessa forma, o controle de gastos é uma das suas principais atribuições.

Para um gerenciamento eficaz, é fundamental entender todos os fatores que influenciam nos custos de sua frota.

Contudo, controlar um orçamento mantendo um registro organizado de todos os custos da operação é uma das tarefas mais difíceis que um gerente de frota enfrenta.

Além disso, é necessário acessar, cruzar e analisar informações para manter a lucratividade e o retorno sobre o investimento (ROI).

Portanto, neste artigo, vamos compreender como fazer o controle de gastos no setor de frotas de maneira adequada. Continue lendo e descubra!

Quais elementos compõem os gastos da frota?

O gerenciamento de gastos da frota começa com a conclusão de uma análise abrangente de custos de gerenciamento.

Por isso, relacionamos a seguir os principais itens que você precisa considerar:

  • Preço do veículo e juros associados;
  • Custos operacionais;
  • Gastos com combustível;
  • Gastos com manutenção;
  • Custo de inatividade;
  • Custos com motoristas.
  • Serviços terceirizados, etc.

Por que se preocupar em fazer o controle de gastos?

Você já parou para pensar sobre quanto dinheiro é desperdiçado com gastos excessivos e desnecessários na sua operação?

Fazer o controle de gastos da frota é essencial para estabelecer o orçamento da sua empresa, evitar gastos excessivos e analisar a produtividade.

Numa empresa de frota, os custos associados à frota de veículos são os principais incidentes nas despesas totais.

Portanto, você precisa ter visibilidade sobre os custos associados aos veículos de forma rápida e eficaz para poder tomar qualquer decisão que impacte diretamente no seu ROI.

Além disso, é preciso fazer o controle de gastos para entender o histórico da empresa relacionado à lucratividade e por onde o dinheiro está entrando e escoando.

Como fazer controle de gastos de uma frota?

Muitos gerentes não conseguem fazer o controle de gastos da frota de maneira eficaz devido à falta de visibilidade em tempo real. 

Controlar manualmente as despesas e a análise de números não são apenas uma forma equivocada e que consome mais tempo do que deveria, mas também pode resultar em imprecisões e falta de clareza em seu orçamento atual.

Por isso, é fundamental contar com ferramentas precisas para evitar erros ao fazer o controle de gastos de uma frota.

Para isso, você pode contar com planilhas do Excel ou um software para o controle automatizado dos gastos da frota.

Geralmente, o controle de gastos de uma empresa de frota inclui uma série de ações, mas podemos citar as principais:

  • Determinar o Custo Total de Propriedade (TCO);
  • Gerenciar despesas de combustível;
  • Definir um plano de manutenção de frota;
  • Otimizar o estoque de peças;
  • Dimensionar corretamente sua frota;
  • Atenção na utilização de ativos;
  • Desenvolvimento de um plano de substituição de veículos.

Com os custos sob controle, a sua empresa pode ser mais competitiva e você não perde dinheiro nas operações de transporte. 

Programas de planilhas como Excel ou Google planilhas são ferramentas utilizadas diariamente na administração. 

Uma vez que estes já estão à mão, muitas empresas também os utilizam para gerir as frotas das suas empresas.

Como fazer o controle de despesas no Excel?

No Excel, fazer o controle de despesas é uma atividade que exige conhecimento técnico e precisão. Qualquer erro pode resultar em prejuízos para a sua empresa.

Portanto, você deve escolher com cuidado um modelo de planilha de controle de gastos e preencher regularmente, tomando cuidado para evitar erros.

E-BOOK GRÁTIS: Aumentando a eficiência e reduzindo custos da frota com Telemetria

Numa planilha, todas as operações financeiras de uma companhia estão presentes de forma resumida, a fim de facilitar a consulta.

Essas operações podem incluir a sua receita, incidência de impostos, e – naturalmente – o controle de gastos da frota, com todos os tipos de custos que já mencionamos.

Prós e contras do controle de gastos da frota em planilhas

Como falamos no tópico anterior, fazer o controle de gastos no Excel pode ser um risco, entretanto é preferível ter alguma coisa do que não realizar este controle.

Logo, se a única alternativa ao uso de uma planilha não for rastrear sua frota, então use!

A seguir, relacionamos os prós e contras de realizar o controle de gastos da sua frota em planilhas. Confira:

Prós

  • Existem diversas opções de planilhas de controle de gastos com a frota gratuitas, disponibilizadas online;
  • A entrada de dados é simples;
  • Se você estiver atento aos detalhes, com mão de obra e tempo para dedicar ao gerenciamento e rastreamento de frotas, não terá problemas para dominar o método de planilha;
  • Se você tiver uma compreensão básica do Microsoft Excel, provavelmente descobrirá que inserir seus dados em uma planilha é fácil.

Contras

  • Falta de visão geral dos dados, visto que mesmo com frotas pequenas, o número de dados a serem processados ​​aumenta muito rapidamente;
  • Devido à visão geral de custos inadequada e à declaração de custos inexata, as análises de custos geralmente não são significativas;
  • É demorado. Tanto no Excel quanto no Google Planilhas, todos os dados devem ser inseridos manualmente e, em alguns casos, em locais diferentes;
  • Apesar de simples, a entrada manual é propensa a erros em um grau muito alto.

Como o Sofit ajuda no controle de gastos da sua empresa

Para ter um bom controle do custo da gestão de frotas de veículos, é fundamental investir num software de gestão de frotas que facilite esse trabalho. 

Uma boa ferramenta para controle de gastos deve ser fácil e intuitiva de usar, além de permitir a extração de todos os relatórios que os gestores de frota precisam para tomar as decisões corretas.

O Sofit é exatamente assim. Com a nossa ferramenta você tem uma visão geral e em tempo real de todos os gastos da sua frota, podendo tomar decisões mais assertivas e no tempo correto.

Com relatórios sempre à distância de alguns cliques, facilitamos o controle de gastos e elevamos o seu gerenciamento para outro patamar.

Conheça a ferramenta de gestão de frotas do Sofit e experimente otimizar o controle de gastos da sua frota hoje mesmo. Solicite um teste gratuito e confira.

RPM do Motor: o que é e como controlar?

O RPM do motor está diretamente ligado ao desempenho e vida útil dos veículos da sua frota. Por esse motivo, gestores precisam encontrar uma maneira simples e prática de controlar as rotações.

E embora faça parte da lista de indicadores que gestores e motoristas precisam monitorar, como o velocímetro, kilometragem e indicador de consumo de combustível, o medidor de RPM ainda é pouco explorado.

Neste artigo, discutiremos o que é, como medir e controlar as rotações por minuto de um motor e por que isso é tão importante para a gestão da sua frota. Continue lendo!

O que é RPM do motor?

RPM (Rotações por Minuto) é uma medida usada para descrever a velocidade de um motor, descrevendo a taxa que o virabrequim está girando.

Ou seja, toda vez que o pistão de um veículo conclui o movimento de subida e descida, o virabrequim completa também a sua rotação. 

Assim, podemos dizer que o RPM é uma métrica que mensura quantas rotações este componente faz por minuto.

No painel automotivo, o RPM do motor é composto de números de 0 a 8, e na maioria dos carros você descobre que a partir do número 6 há uma cor vermelha chamada “zona vermelha”. 

Enquanto isso, veículos com transmissão automática são programados para mudar de marcha antes que a rotação do motor atinja essa zona .

Se você ultrapassar essa área, estará colocando o motor em risco. Confira a seguir o que indica cada cor da luz do painel:

  • Luz Verde: indica que a aceleração e rotação estão balanceadas;
  • Luz Amarela: sinal de possível desgaste para o motor, indicando que a rotação não está funcionando corretamente;
  • Luz Vermelha: indica um sério risco de comprometimento do motor, salvo em casos de ultrapassagens ou manobras arriscadas.

Além disso, o RPM pode ser usado para medir a velocidade de motores, turbinas, centrífugas, transportadores e outros equipamentos, sendo amplamente monitorada na indústria.

No setor automotivo, o RPM do motor é fundamental para os motoristas entenderem, por exemplo, quando é a hora certa de realizar a troca de marcha.

Por que é importante medir o RPM do motor?

Acompanhar o indicador de RPM do motor é importante, pois a rapidez com que o motor está girando implica tanto no desempenho quanto para a eficiência dos seus veículos. 

Como regra geral, quanto mais rápido um motor gira, mais energia ele produz até um ponto próximo à velocidade máxima projetada, e, a partir daí, a produção de energia começa a cair.

Portanto, se você quer o máximo desempenho do seu motor, você vai querer saber o quão perto você está dos picos de rotação por minuto.

Além disso, medir o RPM do motor é importante porque:

  • Contribui com a sua rotina de manutenção preventiva;
  • Quando utilizado corretamente, o RPM do motor mantém a caixa de câmbio e o motor protegidos contra superaquecimento e danos;
  • Ajuda a manter a transição suave e fácil de uma velocidade para outra;
  • A transição suave protege o carro de vibração ou parada repentina do motor;
  • O indicador de RPM dá uma ideia sobre o desempenho do motor no carro, ajudando a prolongar sua vida útil.

Da mesma forma, conhecer a velocidade do motor dos veículos da sua frota também vai te ajudar a encontrar o ponto ideal de torque (força que o motor consegue gerar). 

Ao contrário da potência, que geralmente aumenta com a velocidade, a produção de torque não está relacionada ao tempo e geralmente tem um pico mais baixo na faixa de rotação.

Controle o RPM do motor e digitalize sua gestão de frotas com a Sofit!

Como medir RPM de um motor?

Gestores de frota podem utilizar alguns dispositivos para medir o RPM do motor e se certificarem de que tudo está em ordem com o veículo.

As ferramentas mais comuns para realizar essa medição são o tacômetro manual e o multímetro.

Por causa da diferença nas velocidades do motor de um carro para outro, um medidor de RPM foi definido onde cada número no medidor indica 1.000 RPM.

Isso significa que se o medidor apontar para o nº 3, por exemplo, o motor do seu carro gira a 3.000 RPM.

Embora não exista um número de rotações por minuto ideal e universal para veículos, é importante que você conheça a faixa de rotação em que os veículos da sua frota apresentam o melhor rendimento.

Medir o RPM auxilia no controle de combustível?

Com o RPM, você pode ver se a caixa de transmissão e o motor funcionam com eficiência. Assim, quanto menor a taxa de ciclo do motor por minuto, menor o consumo de combustível do motor.

Para manter um bom consumo de combustível, oriente os seus motoristas a manterem a RPM do motor entre 1500 e 2000 ao dirigir em velocidade constante. Isso ajudará você a economizar combustível.

Os motoristas com transmissão manual precisam dominar essa habilidade por si mesmos, e o tacômetro pode ajudar nisso. 

Em carros mais novos com transmissões manuais, um limitador de rotação tende a impedir que o motor entre na linha vermelha, o que elimina possíveis danos, mas cabe ao motorista realizar o controle correto da marcha.

Como controlar o RPM do motor?

Gestores de frota podem contar com dispositivos telemáticos para controlar o RPM do motor dos veículos.

Contar com essa tecnologia é importante, pois a partir do controle do indicador, é possível planejar ações específicas com a finalidade de aumentar a vida útil dos carros ou caminhões e agir de forma preventiva.

SAIBA MAIS: O que é freio motor do caminhão?

Através das informações geradas pela telemetria, você pode orientar os motoristas sempre que detectar, a partir do RPM, um padrão de direção que prejudique o motor do veículo.

Controle o RPM do motor com a Sofit!

Com o sistema de gestão de frotas com telemetria integrado da Sofit, controlar o RPM do motor dos seus veículos é simples e prático.

Você pode acessar essa informação sempre que precisar e acompanhar tudo em tempo real através de um dashboard intuitivo.

Dessa forma, poderá acompanhar a evolução da RPM do motor e tomar decisões baseadas em dados para melhorar a performance da sua frota e aumentar a vida útil dos seus veículos.

Conheça agora mesmo a ferramenta de gestão de frotas da Sofit!

Como monitorar o uso do veículo da empresa fora do expediente com tecnologia

Utilizar o veículo da empresa para fins pessoais fora do horário de trabalho, ainda é uma prática comum realizada por alguns condutores.

Embora possa existir consentimento e até flexibilização por parte dos gestores de frota, monitorar o uso de cada veículo da empresa fora do expediente é o ideal. Dessa forma, você evita prejuízos e tem informações precisas sobre cada veículo da sua frota.

Mas, o monitoramento da utilização dos veículos da sua empresa para fins pessoais deve ir muito além do controle de portaria.

E é sobre isso que vamos falar no artigo de hoje. Acompanhe!

Por que os condutores não podem utilizar os veículos da empresa para fins pessoais?

A principal razão pela qual os seus condutores não devem utilizar o veículo da empresa para fins pessoais e/ou recreativos fora do horário de expediente é que isso pode ser razão para uma demissão por justa causa.

Conforme Artigo 482, do Decreto Lei nº 5.452, a prática pode configurar como mau procedimento e ocasionar o desligamento do colaborador.

Sem o monitoramento logístico que acontece durante o expediente, condutores tendem a ter atitudes que aumentam os custos operacionais.

Além disso, a sua empresa pode ter que arcar com o pagamento de multas e ter o seu nome envolvido em casos de acidentes mais graves.

Como adotar regras para a utilização dos veículos da empresa?

É dever do gestor de frotas estabelecer regras para a utilização dos veículos da empresa assim como definir como será o monitoramento.

Quando não há uma regra clara sobre o horário permitido para uso dos veículos e os motoristas não são orientados, fica mais complicado argumentar e controlar a operação.

Então, como adotar regras para a utilização dos veículos da empresa?

Isso vai depender de como a sua empresa funciona. Em geral, você não deve permitir o uso pessoal não controlado de carros da empresa e outros veículos. 

No entanto, permitir um uso mínimo manterá os funcionários mais felizes, principalmente se eles tiverem que estacionar o veículo em casa.

Assim, pode ser que não seja aconselhável permitir o uso pessoal sob nenhuma hipótese, como no caso de veículos de transporte de cargas ou padronizados.

Mas, vamos imaginar que um dos seus funcionários precisa se deslocar para uma capacitação.

Neste tipo de situação, pode ser mais razoável ter uma regra para o uso pessoal dos veículos da sua frota.

Aqui estão algumas coisas que você pode considerar antes de estabelecer uma política de uso dos veículos da frota:

  • Atribua veículos apenas a pessoas que precisam deles permanentemente, como entregadores. Outros colaboradores podem precisar de veículos ocasionalmente, então, é mais prudente deixar alguns disponíveis para casos específicos;
  • Somente os colaboradores podem conduzir os veículos corporativos e eles devem ser responsabilizados caso um parente ou conhecido utilize;
  • Não é aconselhável permitir que ninguém que não seja funcionário viaje nos bancos de passageiro;
  • Se o funcionário estiver dirigindo o carro para fins pessoais, ele pode não estar coberto pelo seguro. Por isso, o ideal é verificar com a sua equipe jurídica e deixar tudo claro para o condutor;
  • É fundamental monitorar o uso pessoal de veículos para aplicar quaisquer políticas e garantir que os funcionários paguem, por exemplo, pelo combustível que usarem.

Por incrível que pareça, muitas frotas, grandes ou pequenas, não possuem uma política de uso pessoal de veículos próprios. 

E a falta de políticas e procedimentos podem trazer sérios prejuízos para a sua organização, como veremos a seguir.

Quais os prejuízos causados pelo uso do veículo da empresa fora do horário de expediente?

A utilização dos veículos da empresa sem monitoramento e nem uma política para uso pessoal podem trazer uma série de prejuízos para a sua organização.

A seguir, relacionamos os principais:

1. Alto consumo de combustível

O custo com combustível é um dos mais altos da gestão de frotas. E quando os veículos são utilizados fora do expediente, esses valores podem ser ainda maiores.

Mesmo com uma política de uso dos veículos para fins pessoais, o consumo de combustível ainda pode ser um problema, visto que não há como saber se o motorista está adotando práticas de direção econômica, por exemplo.

É por essa razão que monitorar os veículos da sua frota é fundamental, especialmente em casos de uso pessoal.

2. Risco de acidentes e roubos

Quando um funcionário utiliza o veículo da empresa fora do expediente, não há como saber se ele vai dirigir em áreas perigosas. 

Portanto, ele pode estar mais sujeito a roubos e você terá que lidar com a situação e, provavelmente, arcar com os custos, caso o seguro não cubra.

De forma semelhante, algumas apólices cobrem sinistros ocorridos apenas em horário de expediente e pode ficar complicado garantir a cobertura para o caso de uso pessoal.

3. Danos para a reputação da empresa

Como já mencionamos, veículos corporativos costumam ser plotados. Essa é uma forma de reforçar o branding da sua marca e padronizar a operação. 

Entretanto, as consequências do mau uso de um veículo adesivado para a sua marca podem ser enormes. 

É o caso de um motorista utilizar o veículo fora do horário de expediente alcoolizado, por exemplo: o veículo da sua empresa pode ser fotografado e você terá que lidar com uma gestão de crise.

Agora considere um acidente mais grave envolvendo o excesso de velocidade. O nome da sua empresa pode ficar manchado por muito tempo, visto que as pessoas lembrarão da sua marca.

4. Aumento do custo com manutenção

Se você não monitora a utilização dos veículos fora do horário do expediente, então, não terá como mensurar o impacto dessa prática para os seus custos com manutenção.

Ou seja, será que os pneus não poderiam durar mais? Ou será que aquele problema na suspensão não ocorreu devido ao mau uso do veículo em vias que não faziam parte do seu planejamento de rotas?

Não há como saber. 

Portanto, a sua empresa não pode contar apenas com a boa índole dos condutores

É necessário manter o controle através de uma política de uso e sistema de monitoramento mais avançado, como a telemetria, por exemplo.

A Sofit garante o monitoramento dos seus veículos corporativos

Como podemos observar, o monitoramento do veículo da empresa é fundamental para garantir que eles não sejam utilizados fora do expediente.

Neste sentido, apenas o controle de portaria, com registro de data/hora e hodômetro de entrada e saída não é o suficiente. 

Através do sistema Sofit, a sua empresa vai poder checar se os veículos estão sendo utilizados para fins pessoais por meio da oferta de dados como:

  • Análise de rota;
  • Visualização do veículo em tempo real;
  • Controle de jornada dos motoristas;
  • Gerenciamento de áreas de atuação;
  • Endereço e data de cada localização.

Para contar com o sistema da Sofit com telemetria integrada e monitorar cada veículo da empresa, solicite um teste grátis agora mesmo!

Cartão combustível: como funciona? Veja 6 marcas e benefícios

Em algum momento, você já deve ter ficado perdido tentando guardar as notas de abastecimento para realizar reembolso no fim do mês, não é mesmo? Pois saiba que essa situação pode ser contornada com a utilização de um cartão combustível. 

O cartão combustível é uma opção para gestores que buscam mais economia na hora de abastecer os veículos da frota, entretanto, existem diversas opções no mercado que permitem, além de abastecer, quitar outros serviços  como lavagens, manutenções e ainda assistência 24h. 

Então, como tirar o máximo potencial do cartão combustível e utilizar este recurso para facilitar a sua gestão de frotas? Acompanhe o artigo de hoje e descubra!

Afinal, o que é o cartão combustível?

Basicamente, um cartão de combustível funciona como um cartão de crédito exclusivo para pagar despesas com os combustíveis da frota na rede de postos credenciada.

A maioria dos cartões possui ampla rede de cobertura, englobando também alguns produtos e serviços, como troca de óleo, por exemplo.

Há, também, alguns cartões pré-pagos, que facilitam o controle do orçamento e evitam aquelas despesas extras que acabam saindo do controle do gestor.

Como funciona o sistema do cartão combustível?

A grande maioria dos cartões de combustível possui um sistema onde é possível acompanhar os gastos com abastecimento em tempo real, o que colabora, então, para a gestão de frotas.

A adesão costuma ser simples, assim como a definição dos créditos. 

Abaixo, listamos alguns pontos que você deve atentar antes de escolher um cartão combustível para a sua frota:

  1. Verifique o prazo de entrega para a sua região;
  2. Confira se há alguma taxa administrativa;
  3. Veja a lista de estabelecimentos/postos onde o cartão é aceito;
  4. Demais serviços que o cartão pode pagar;
  5. Funcionalidade mobile;
  6. Recursos de gestão que a plataforma oferece.

Analisando todos esses pontos é possível aproveitar o máximo do seu ticket de combustível e não ter surpresas após contratar.

Quais são as marcas de cartão combustível disponíveis?

Como informamos, existem diversos tipos de cartões disponíveis no mercado. 

Separamos, então, 5 deles para que você possa comparar e escolher aquele que seja mais adequado para a sua região e para as suas demandas de gestão de frotas. Confira:

1.   Cartão Petrobrás

Taxa de Adesão: Não

Anuidade: Não (Promocional)

Área de Cobertura: Todo o Mundo (Postos Petrobras e Lojas BR Mania)

Extras: Clube de Pontos com descontos para parceiros

Um dos mais populares, o cartão da Petrobrás não cobra taxa de adesão e ainda possui um clube de vantagens. 

É administrado pelo Banco do Brasil e pode ser aceito no mundo inteiro. 

O cartão também é aceito nas lojas BR Mania e em outros abastecimentos que aceitem a bandeira Visa.

2.   Cartão Ticket Car

Taxa de Adesão: Sim

Anuidade: Proporcional ao faturamento

Área de Cobertura: É possível consultar

Extras: App de Gestão e Acompanhamento 

O cartão combustível Ticket Car promete eliminar os complicados reembolsos e se adaptar à realidade das empresas. 

Entre os serviços extras que podem ser quitados com o cartão da operadora estão manutenções, débitos do veículo e assistência 24h.

3.   Cartão Shell

Taxa de Adesão: Não Informado

Anuidade: Isento nos primeiros 3 meses

Área de Cobertura: É possível consultar

Extras: Descontos em produtos e serviços Shell.

O cartão combustível Shell Santander é aceito em todo o país e um dos seus grandes diferenciais é o desconto de até R$0,10 por litro de combustível abastecido nos postos credenciados. 

Para aderir, é preciso preencher uma proposta online. O cartão é administrado pelo Banco Santander.

4.   Cartão Ipiranga

Taxa de Adesão: Não Informado

Anuidade: Sim

Área de Cobertura: Todo o Brasil

Extras: Clube de Vantagens para troca de produtos

Rede Ipiranga possui um cartão combustível específico para frotas: o Ipiranga Max Frota.

A proposta é consolidar até 25 veículos em apenas uma fatura, para ter mais controle e economizar com combustível.

Outra modalidade permite que gestores limitem a utilização de cada portador, além de poder usar nas lojas Jet Oil e am/pm.

5.   Cartão Flex Car

Taxa de Adesão: Grátis

Anuidade: Não Informado

Área de Cobertura: Todo o Brasil (Inclusive alguns estacionamentos e lava-jatos)

Extras: É multimodal

O cartão Flex Car é administrado pela Alelo/Bradesco e é também uma boa opção para as empresas de frota. 

Trata-se de um cartão pré-pago, por isso, serve para gestores que necessitam ter os gastos sob controle.

6. Cartão Sem Parar

Taxa de Adesão: Não informado

Anuidade: Não Informado

Área de Cobertura: Todo o Brasil (aceito em 97% das cidades brasileiras)

O cartão combustível Sem Parar possui ampla rede de postos credenciados multibandeira. 

Além disso, você consegue acompanhar os gastos por celular ou computador. A empresa ainda disponibiliza planos para frotas leves e pesadas.

GESTÃO DE FROTAS PARA LABORATÓRIOS FARMACÊUTICOS: ENTENDA OS DESAFIOS DO SETOR!

Qual o melhor cartão combustível?

O melhor cartão combustível será aquele que melhor se adaptar às necessidades da sua frota. Por isso, é importante tentar negociar sempre que possível e preferir planos sob medida. Avalie também o tipo de cartão combustível que se encaixa melhor com a sua operação.

Existem basicamente 2 tipos:

Cartão de Crédito

Nesta modalidade, você e a administradora do cartão definem um limite de utilização mensal e quita a fatura posteriormente.

 A vantagem desse tipo de cartão é que você pode barganhar opções personalizadas para a sua frota, ocasionando um serviço único para a sua organização.

Cartão Pré-Pago

Este tipo de cartão combustível permite ao gestor ter uma maior previsibilidade de custos, já que funciona de forma semelhante aos voucher e cartões-alimentação. 

Dessa forma, a empresa fica responsável por fazer o depósito e liberar os cartões para utilização. 

Assim, você não vai precisar pagar uma fatura todos os meses, já que o depósito inicial cumpre essa função.

Quais as vantagens do cartão combustível para a gestão de frotas?

Já falamos em outros artigos como a integração e a centralização de informações é importante para uma gestão de frotas mais assertiva.

Nesse sentido, o cartão combustível colabora também com o gerenciamento da sua frota, permitindo agir para otimizar os custos com combustível.

Confira abaixo o que você pode fazer quando adota um cartão para o abastecimento da sua frota:

  • Bloquear os cartões sempre que precisar;
  • Estipular dias e horários para a liberação do abastecimento;
  • Definir qual combustível pode ser utilizado pelos condutores;
  • Escolher os pontos credenciados nos quais o abastecimento é permitido.

Além disso, confira outras vantagens gerais proporcionadas pela utilização do cartão combustível:

Ajuda a evitar fraudes na gestão de frotas

Infelizmente, é preciso estar atento para possíveis fraudes na gestão de frotas. Já que, nenhum gestor está isento deste tipo de irregularidade. 

Gastos duvidosos com abastecimento, desvios de rotas entre outras situações fazem, então, com que os gestores tenham que gastar mais. 

Com um cartão de combustível, você vai saber exatamente onde o dinheiro foi utilizado, além de, assim, ter a opção de limitar os gastos.

Economia com abastecimentos e serviços

A grande parte dos cartões combustível não possui taxa de anuidade, um empecilho para gestores que desejam contratar o serviço. 

Quando colocado na balança, a economia é maior que o investimento, garantindo um ROI positivo para a empresa

Facilita a gestão

Os cartões combustíveis disponibilizam plataformas e relatórios simples que auxiliam o controle e centralizam todas as informações.

Isso é algo importante para qualquer empresa que busca por mais clareza e agilidade no controle de abastecimento e de pequenos serviços, sem precisar realizar reembolsos, diminuindo consideravelmente o tempo investido em tarefas administrativas.

Afinal, vale mesmo a pena investir em um cartão combustível?

Como observamos, o cartão de abastecimento facilita a gestão de frotas, garantindo previsibilidade e visibilidade para os custos associados ao abastecimento e outros serviços.

Para otimizar ainda mais o gerenciamento, ainda é possível acompanhar os custos com combustível dos cartões diretamente no app da Sofit.

Conseguimos tirar as suas dúvidas sobre o cartão combustível? Esperamos que sim! 

Se você chegou até aqui, o que acha de conhecer uma solução que vai ajudar a automatizar a sua gestão de frotas?

Como calcular a depreciação de um veículo na sua frota?

A depreciação de veículos é, com certeza, uma dor de cabeça para todo gestor de frotas, não é mesmo? 

Apesar deste ser um custo inevitável, existem algumas maneiras de lidar com ele e até mesmo reduzi-lo significativamente.

Primeiro, é preciso dar a devida importância a esse indicador, presente em qualquer tipo de frota corporativa. Segundo, é necessário pensar na depreciação como um fator causador de vários outros custos, como de manutenção e até mesmo segurança.

Foi pensando nisso que criamos este artigo. Nele, você vai aprender a calcular a depreciação para que os seus veículos não percam valor de revenda. Acompanhe! 

O que é a depreciação de veículos?

A depreciação pode ser definida como a desvalorização de preço de mercado do veículo assim que você o adquire, definida pela expectativa de desgaste e pelo ano do modelo.

Na gestão de frotas, o cálculo contábil da depreciação de veículos abrange uma despesa fixa de uma empresa de transporte. 

Assim, não há como fugir dela, esse é um tipo de custo que existe independente da quantidade de serviços prestados pela sua empresa.

Além disso, os custos com a depreciação garantem a qualidade da sua frota e consequentemente do serviço prestado pela sua empresa.

Seja você um gestor de frotas de uma empresa já consolidada ou coordenador de uma empresa de transporte nova no mercado, uma hora você precisa adquirir veículos zero quilômetro para a sua frota.

Isso é um investimento necessário.

Com o tempo, esses veículos vão perdendo o valor de mercado tanto pelo desgaste natural, como pela própria ação do tempo, que vai tornando a sua frota obsoleta, na medida em que novas tecnologias vão surgindo. 

Que tipo de empresas de transporte são afetadas?

 O custo com depreciação de veículos atinge principalmente as empresas que contam com frotas próprias, como algumas transportadoras, indústrias e distribuidoras, por exemplo.

Uma alternativa para reduzir os custos é a terceirização da frota, medida adotada por algumas empresas de transporte. Mas tudo vai depender do seu modelo de negócios e também da sua habilidade com as finanças.

Como dissemos, apesar de ser um custo fixo e inevitável, empresas de transporte podem sim, reduzi-lo, basta seguir um planejamento adequado. 

O que causa a depreciação de veículos?

As causas da depreciação de veículos envolvem uma série de fatores que serão listados adiante.

Se considerarmos que a partir da saída da concessionária, um veículo já perde cerca de 20% do seu valor, logo percebemos que a depreciação é uma taxa que não deve ser desconsiderada.

Segundo as taxas atuais, um veículo pode se depreciar em mais de 20% após apenas um ano. 

Dessa forma, o carro continuará a se depreciar a uma taxa de cerca de 10% ao ano pelos próximos quatro anos. 

Ao final de cinco anos de propriedade, você está analisando a possibilidade de seu veículo valer cerca de 40% do preço que você pagou originalmente por ele.

Além disso, conforme a Instrução Normativa, a taxa de depreciação de veículos que são usados para o transporte de pessoas ou de cargas é de 10% ao ano.

A seguir, confira algumas razões pelas quais alguns veículos tendem a depreciar e perder valor de revenda mais rápido que outros:

  • Quilometragem;
  • Reputação do veículo;
  • Número de proprietários;
  • Condições gerais;
  • Duração da garantia; 
  • Desejabilidade; 
  • Tamanho;
  • Economia de combustível.

Quais são as consequências da depreciação de veículos para empresas de frota?

 Caso não seja prevista na sua gestão de frotas, a depreciação pode fazer com que as suas contas passem a não bater no final do mês.

Sabemos que os problemas causados pela depreciação de frotas atinge principalmente o caixa da sua empresa, mais especificamente, o seu patrimônio, já que a frota faz parte dessa variável.

Entretanto, alguns gestores não consideram essa variável nos seus planejamentos financeiros. É preciso entender, então, que a depreciação atinge os custos relativos ao gerenciamento, assim como os custos de licenciamento, emplacamento, manutenções preventivas, seguro e de renovação de frota.

Veículos depreciados geram uma série de problemas para a sua empresa. Confira abaixo os mais comuns:

Redução de Valor de Revenda

Como qualquer bem de consumo a sua frota corporativa perde valor de mercado com o tempo. Veículos depreciados são mais difíceis de repassar e sofrem com a desvalorização anual. 

Desatualização dos Veículos

A sua frota representa um diferencial competitivo para a sua empresa. Basta se colocar no lugar do cliente. Veículos depreciados causam uma má impressão para a sua organização e representam descuido com o serviço prestado.

Consumo de Combustível Elevado

Os gastos com combustíveis, dor de cabeça para qualquer gestor de frota, tendem a se elevar quando falamos de veículos depreciados. Quanto mais antigo, mais problemas podem surgir. Uma frota depreciada tende a exigir mais combustível do que uma nova. 

Manutenções recorrentes

É natural também que veículos com mais tempo de estrada vão exigir muito mais manutenções periódicas para continuar atendendo à sua demanda. Pense nisso como um fator motivador para encontrar uma forma de gerir melhor a sua frota.

Quando se preocupar com este indicador?

Cedo ou tarde, percebemos que manter um automóvel próprio custa mais caro do que se imagina.

Por este motivo, o gestor de frotas deve considerar a depreciação no momento da compra, já que os veículos adquiridos terão seus valores depreciados pelo mercado, com o tempo.

Caso você já tenha chegado para “organizar a casa”, verifique as condições da sua frota, investigando se altos custos com manutenção e combustíveis podem estar sendo causados pela depreciação da frota.

Como fazer o cálculo de depreciação de veículos? 

Gestores de frota podem contar com dois tipos de cálculos para entender a depreciação de veículos da frota. Saiba como calcular a seguir:

Cálculo de Depreciação Contábil

O cálculo da depreciação contábil é realizado com embasamento em normas contábeis e da Receita Federal. 

Geralmente, esse cálculo já está incluso no trabalho do contador responsável pela tributação da sua empresa.

A depreciação contábil considera o valor contábil e não o residual. Assim, é possível que você note certa discrepância entre o valor de mercado real do veículo em questão.

Funciona assim:

  • Taxa de Depreciação de Veículos 20%
  • Prazo: 5 anos
  • Valor Residual: 20%

É importante obter um valor de depreciação mensal conforme o valor de aquisição dos veículos. É possível conferir as normas no CPC 27

Da mesma forma, as taxas atualizadas podem ser conferidas nos anexos da Instrução Normativa SRF nº 1700.

Cálculo de Depreciação Gerencial

Outra alternativa mais simples para calcular a depreciação de veículos é a depreciação gerencial. Os dados que você vai precisar são os seguintes:

  • Custo que aquisição do veículo;
  • Prazo de utilização;
  • Valor de venda.

Como este é um cálculo baseado em estimativas, é possível consultar a tabela FIPE para conferir o valor dos veículos.

Como evitar gastos desnecessários com a depreciação da frota?

Empresas de transporte podem adotar medidas para evitar gastos desnecessários com a depreciação. 

Note que, em alguns casos, essas medidas podem envolver uma mudança radical no seu modelo de negócios.

Por isso, busque sempre por um meio termo e pense nas suas finanças. Confira abaixo algumas alternativas:

  • Aluguel de carros;
  • Aluguel parcial de frota;
  • Terceirização de frota. 

Gerencie melhor a sua frota com a Sofit!

Embora existam algumas coisas que você pode fazer para diminuir a taxa de depreciação, ela é inevitável.

Portanto, para evitar prejuízos relativos à depreciação, é importante manter a manutenção regular, tentar diminuir o uso da quilometragem e cuidar muito bem dos seus veículos.

Para isso, um software de gestão de frotas pode ser o seu melhor amigo!

Então, conheça a Sofit e otimize o seu gerenciamento a fim de ter informações sempre disponíveis para não perder com a depreciação.

O que achou do nosso artigo? Continue acompanhando os nossos conteúdos, receba materiais gratuitos e seja avisado sobre os nossos cursos e webinars. É só se cadastrar na nossa newsletter!

Páginas

[2024] – Modelo Materiais – E-book KPI na gestão de frota

E-book Grátis

KPI na Gestão de Frota

Aprenda a selecionar e aplicar os indicadores de desempenho, otimizando sua frota para uma melhor eficiência, economia e tomada de decisões.

Por que você precisa fazer o controle de indicadores?

  • Eficiência operacional: identifique áreas que necessitam de otimização e faça ajustes contínuos com base em dados.

  • Redução de custos: identifique oportunidades de economia, como consumo de combustível e manutenção.

  • Produtividade: identifique padrões de desempenho que possam ser melhorados para aumentar a produtividade.

O que você vai encontrar
no E-book?

Diferença entre meta, métrica e KPI

Como escolher os indicadores ideais

Exemplos de indicadores

Outros Conteúdos sobre Custos e Indicadores

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos...

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar...

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente...

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável...

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? ...

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar...

[2024] – Modelo Materiais – Planilha Cálculo de depreciação de veículos

Planilha Grátis

Cálculo de depreciação de veículos

Potencialize a gestão financeira, com decisões inteligentes, mantendo o controle total sobre seus ativos e otimizando custos de forma eficiente.

Por que você precisa fazer o cálculo de depreciação de veículos?

  • Valorização dos ativos: o cálculo é essencial para refletir a diminuição do valor dos ativos ao longo do tempo, considerando desgaste, obsolescência e uso.

  • Substituição planejada: facilita o planejamento de substituição de veículos, ajudando a determinar o momento adequado para renovar a frota, evitando custos excessivos com manutenção e reparos.

  • Custos operacionais: ajuda a determinar os custos operacionais reais, permitindo uma melhor avaliação da rentabilidade e eficiência da frota.

O que você vai encontrar
na Planilha?

Valor atual

Perda anual

Perda total

Outros Conteúdos sobre Custos e Indicadores

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos...

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar...

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente...

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável...

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? ...

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar...

[2024] – Modelo Materiais – Planilha Reembolso por KM Rodado

Planilha Grátis

Reembolso por KM rodado

Simplifique o processo de reembolso com a nossa planilha. Registre e gerencie os gastos de viagem, garantindo uma administração transparente e sem complicações.

Por que você precisa fazer o controle de reembolso?

  • Precisão financeira: garanta o registro dos quilômetros percorridos em viagens corporativas.

  • Transparência na prestação de contas: promova a transparência ao documentar claramente os gastos e permita uma visão detalhada das despesas.

  • Redução de erros e fraudes: minimize erros manuais ao automatizar o cálculo e previna fraudes ao criar esse processo.

Outros Conteúdos sobre Custos e Indicadores

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos...

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar...

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente...

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável...

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? ...

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar...

[2024] – Modelo Materiais – E-book tudo sobre cálculo de TCO

E-book Grátis

Tudo sobre o Cálculo de TCO

Nosso e-book oferece insights valiosos, ferramentas práticas e estudos de caso, capacitando você a otimizar recursos e tomar decisões informadas para o sucesso financeiro do seu projeto ou negócio.

Por que você precisa fazer ​ o cálculo de TCO?

  • Eficiência financeira: identifique oportunidades de otimização de custos, contribuindo para uma gestão financeira mais eficiente e redução de despesas desnecessárias.

  • Manutenção preditiva: ao analisar os custos da manutenção ao longo do tempo, é possível implementar estratégias de manutenção preditiva, evitando falhas inesperadas e reduzindo custos de reparo.

  • Renovação da frota: facilita a determinação do momento adequado para a renovação da frota, considerando aspectos como depreciação, custos de combustível e eficiência operacional.

O que você vai encontrar
na E-book?

Por que a sua empresa precisa ficar atenta ao cálculo.

Como calcular o custo total de propriedade.

Dicas para calcular o TCO

Benchmarking

Outros Conteúdos sobre Custos e Indicadores

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos...

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar...

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente...

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável...

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? ...

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar...

[2024] – Modelo Materiais – Ebook Controle de custos e receitas da frota

E-book Grátis

Ebook controle de custos e
receitas na frota

Otimize a gestão financeira da sua frota com nosso ebook especializado em controle de custos e receitas, oferecendo insights práticos para maximizar eficiência e lucratividade no setor.

Por que você precisa fazer o controle de custos e receitas?

  • Otimização financeira: o controle de custos e receitas possibilita a identificação de oportunidades para otimizar os gastos, reduzindo desperdícios e maximizando a eficiência financeira.

  • Crescimento operacional: garanta que os recursos estejam alinhados com as metas e objetivos da empresa, contribuindo para um crescimento sustentável.

  • Decisões inteligentes: acompanhe de perto as finanças e tome decisões com base em análise de dados.

O que você vai encontrar
no E-book?

Quais são os custos da gestão de frota

Frota própria x Frota alugada

Exemplos na prática

Como controlar os custos

Outros Conteúdos sobre Custos e Indicadores

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos...

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar...

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente...

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável...

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? ...

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar...

[2024] – Modelo Materiais – Planilha Cálculo de TCO

Planilha Grátis

Cálculo de TCO

O TCO (Custo total de propriedade) é um conceito que vai além dos custos iniciais de aquisição de veículos e inclui todos os custos diretos e indiretos que uma empresa deve considerar ao avaliar o impacto financeiro de sua frota.​

Por que você precisa fazer ​ o cálculo de TCO?

  • Eficiência financeira: identifique oportunidades de otimização de custos, contribuindo para uma gestão financeira mais eficiente e redução de despesas desnecessárias.

  • Manutenção preditiva: ao analisar os custos da manutenção ao longo do tempo, é possível implementar estratégias de manutenção preditiva, evitando falhas inesperadas e reduzindo custos de reparo.

  • Renovação da frota: facilita a determinação do momento adequado para a renovação da frota, considerando aspectos como depreciação, custos de combustível e eficiência operacional.

O que você vai encontrar
na Planilha?

Cálculo do TCO no período estimado

Resultado com base em dados históricos de 2022 e 2023

Outros Conteúdos sobre Custos e Indicadores

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos...

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar...

Como calcular o custo por KM rodado

Calcular o custo por km rodado é uma prática essencial para manter o controle financeiro eficiente...

7 maneiras de melhorar o consumo de combustível da sua frota

Você já se viu preocupado com o aumento constante do consumo de combustível? Se você é responsável...

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? ...

Saiba como o Business Intelligence na logística de frotas ajuda seu negócio

O Business Intelligence (BI) é  um processo que utiliza software e serviços para transformar...