Como calcular custo operacional de um veículo em 7 passos

Você sabe como calcular o custo operacional de um veículo auxilia no controle de custos da sua frota?

Manter um registro preciso dos gastos associados aos veículos é essencial para garantir a eficiência e a sustentabilidade financeira da sua operação.

Seja para pequenas empresas de logística, grandes frotas de transporte ou até mesmo para quem utiliza veículos comerciais, entender os custos operacionais pode fazer toda a diferença no planejamento e na otimização dos recursos.

Por isso, desenvolvemos um guia prático, que vai te mostrar como calcular o custo operacional de um veículo em 7 passos.

Vamos lá?

O que é o custo operacional de um veículo?

O custo operacional de um veículo é a soma de todas as despesas necessárias para manter o veículo em funcionamento.

Assim, isso inclui gastos com combustível, manutenção, seguros, impostos, depreciação, e outros custos como estacionamento e pedágios.

Dessa forma, calcular esses custos ajuda a entender quanto realmente se gasta para utilizar e manter o veículo, permitindo um melhor controle financeiro e planejamento.

Quais itens compõem o custo operacional do veículo?

Os itens que compõem o custo operacional de um veículo abrangem todas as despesas fixas e variáveis necessárias para mantê-lo funcionando e garantir sua eficiência.

Aqui está uma lista detalhada desses itens:

1. Combustível

O gasto com combustível é um dos principais componentes do custo operacional. Isso inclui a quantidade de combustível consumida e seu preço, que pode variar dependendo da região e do tipo de combustível utilizado (gasolina, diesel, etanol, etc.).

2. Manutenção e Reparos

Manter o veículo em bom estado é essencial para evitar problemas maiores e garantir a segurança. Isso inclui:

  • Trocas de óleo e filtros;
  • Substituição de pneus;
  • Alinhamento e balanceamento;
  • Revisões periódicas;
  • Reparo de peças danificadas;
  • Mão de obra de mecânicos.

3. Seguro

O seguro é uma despesa importante que protege contra acidentes, roubos e outros imprevistos. O custo do seguro pode variar conforme o tipo de cobertura, o perfil do motorista e o modelo do veículo.

4. Impostos e Taxas

Veículos estão sujeitos a uma série de impostos e taxas, que podem incluir:

  • IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).
  • Licenciamento anual.
  • Taxas de inspeção veicular (quando aplicável).

5. Depreciação

A depreciação é a perda de valor do veículo ao longo do tempo. É um custo não imediato, mas importante, pois representa o valor que o veículo perde com o uso e a passagem do tempo.

6. Financiamento

Se o veículo foi adquirido por meio de financiamento, as parcelas do financiamento ou leasing também compõem o custo operacional. Isso inclui juros e taxas administrativas.

7. Custos Administrativos

Esses custos incluem despesas como:

  • Taxas de estacionamento.
  • Pedágios.
  • Multas de trânsito.
  • Documentação e emplacamento.

8. Outros Custos Variáveis

Dependendo do uso do veículo, outros custos podem ser incluídos, como:

  • Locação veicular;
  • Lavagem e limpeza e lubrificação;
  • Acessórios e personalizações;
  • Custos de viagens e deslocamentos específicos.

9. Custos de Tecnologia

Por fim, para frotas maiores, pode haver custos com tecnologias de monitoramento e gestão, como sistemas de rastreamento por GPS, softwares de gestão de frota, e sensores de desempenho e consumo.

Como calcular o custo operacional de um veículo?

Calcular o custo operacional de um veículo é essencial para uma gestão eficiente da frota.

A seguir, confira 7 passos simples para entender como calcular o custo operacional de um veículo:

1. Registre o consumo de combustível

Monitore regularmente o consumo de combustível do veículo. Além disso, registre quantos litros são abastecidos e a quilometragem percorrida. Calcule o custo por quilômetro dividido o valor gasto pelo número de quilômetros rodados.

2. Controle os custos de manutenção

Anote todas as despesas de manutenção e reparos, como trocas de óleo, substituição de pneus, alinhamento e balanceamento, e outras revisões. Inclua também os custos com peças e mão de obra.

3. Inclua os custos de seguro

Adicione o valor pago pelo seguro do veículo. Esse custo pode ser dividido pelo número de meses cobertos para obter um custo mensal.

4. Calcule os impostos e taxas

Considere o IPVA, licenciamento anual e outras taxas específicas. Divida esses valores pelo número de meses do ano para obter um custo mensal aproximado.

5. Avalie a depreciação

Calcule a depreciação anual do veículo. Uma forma simples é subtrair o valor atual de mercado do veículo pelo valor de compra e dividir pelo número de anos de uso esperados. Inclua esse valor no cálculo anual de custos.

6. Considere os custos de financiamento

Se o veículo foi financiado, inclua o valor das parcelas mensais do financiamento, incluindo juros e taxas.

7. Adicione outros custos variáveis

Inclua outras despesas como locação (no caso de frotas alugadas), pedágios, estacionamento, multas, lavagem, e acessórios. Registre esses custos ao longo do tempo e calcule uma média mensal.

Cálculo Final

Para obter o custo final, some todos esses custos mensais para obter o custo operacional total do veículo por mês.

Se preferir, você pode dividir alguns custos anuais por 12 para obter uma média mensal mais precisa.

Exemplo:

  • Combustível: R$ 600/mês;
  • Manutenção: R$ 200/mês;
  • Seguro: R$ 150/mês;
  • Impostos e Taxas: R$ 100/mês;
  • Depreciação: R$ 200/mês;
  • Financiamento: R$ 500/mês;
  • Outros Custos: R$ 50/mês.

Total Mensal: R$ 1800

Calcular o custo operacional de um veículo é fundamental para uma gestão eficiente, permitindo identificar onde estão os maiores gastos e onde é possível economizar.

Portanto, ao considerar esses itens, empresas podem planejar melhor suas despesas, manter a saúde financeira de suas operações e tomar decisões informadas sobre a frota.

Assuma o controle dos custos com a Sofit!

Os 7 passos sobre como calcular o custo operacional de um veículo que indicamos neste artigo fornecem uma estrutura sólida para entender todos os custos associados ao uso e manutenção de cada veículo.

No entanto, é importante destacar que a tecnologia desempenha um papel fundamental nesse processo.

Dessa forma, softwares de gestão de frota como a Sofit podem automatizar o registro e monitoramento de dados, proporcionando uma visão detalhada e em tempo real dos custos operacionais.

Além disso, você consegue identificar oportunidades de economia, permitindo que tomar decisões mais informadas e estratégicas.

Tipos de combustível: escolha o melhor para a sua frota

Combustível não é tudo igual. E entender o tipo de combustível mais adequado para sua frota pode interferir no desempenho e na economia no final do mês. 

No Brasil, onde a diversidade de opções é grande, escolher o combustível certo para sua frota pode ser uma tarefa desafiadora para os gestores. 

Desde os tradicionais combustíveis fósseis até as alternativas mais sustentáveis, cada tipo de combustível tem seus próprios benefícios e características únicas. 

Neste artigo, vamos explorar os tipos de combustível, destacando os benefícios e fornecendo dicas para ajudar os gestores de frota a fazerem a escolha certa!

Quais são os principais tipos de combustível?

Cada tipo de combustível tem suas próprias características e benefícios únicos. 

Dessa forma, a escolha do combustível certo depende das necessidades específicas de cada frota e das condições operacionais. 

A seguir, vamos explorar detalhadamente os principais tipos de combustível, desde os tradicionais derivados de petróleo até as alternativos e ecologicamente corretos:

Gasolina Comum

A gasolina comum é o tipo mais utilizado no Brasil. É composta principalmente por hidrocarbonetos e aditivos que melhoram seu desempenho e combustão. 

Além disso, apresenta um índice de octanagem mais baixo em comparação com outros tipos de gasolina, o que pode afetar o desempenho de motores mais modernos.

Gasolina Aditivada

A gasolina aditivada possui aditivos detergentes e dispersantes que ajudam a limpar e proteger o sistema de alimentação do motor, reduzindo o acúmulo de resíduos. 

Além disso, pode proporcionar uma queima mais eficiente, resultando em melhor desempenho e menor emissão de poluentes.

Gasolina Premium

A gasolina premium é uma opção de alta octanagem, projetada para motores de alto desempenho. 

Possui aditivos especiais que melhoram a performance e a eficiência do motor, proporcionando uma combustão mais completa e suave. 

Além disso, seu uso pode contribuir para a redução do custo por quilômetro rodado, devido ao melhor aproveitamento do combustível e ao aumento da eficiência do motor.

Gasolina Formulada

A gasolina formulada é uma mistura de gasolina com outros componentes, como etanol e aditivos. 

Geralmente é utilizada em regiões onde não há disponibilidade de gasolina pura, oferecendo uma alternativa viável para os consumidores.

Etanol Comum

O etanol comum, também conhecido como álcool combustível, é uma opção popular no Brasil devido à sua disponibilidade e preço competitivo. 

É possível obter etanol a partir da fermentação de matérias-primas como a cana-de-açúcar e o milho. 

Sendo assim, ele possui alto poder calorífico e baixa emissão de poluentes, contribuindo para a redução da dependência de combustíveis fósseis.

Etanol Aditivado

Assim como a gasolina aditivada, o etanol aditivado contém aditivos especiais que melhoram a qualidade e a eficiência do combustível. 

Além de limpar e proteger o sistema de alimentação do motor, pode proporcionar uma queima mais completa e eficiente, resultando em melhor desempenho e menor consumo.

Diesel Comum

O diesel comum é amplamente utilizado em veículos de carga e transporte público devido ao seu alto poder calorífico e eficiência energética. 

É composto principalmente por hidrocarbonetos pesados e possui um teor de enxofre mais elevado em comparação com o diesel S-10.

Diesel Aditivado

O diesel aditivado contém aditivos detergentes e dispersantes que ajudam a manter limpo o sistema de injeção do motor. 

Dessa forma, é possível reduzir o acúmulo de resíduos e melhorar a performance e a durabilidade do motor.

Diesel S-10

O diesel S-10 é uma versão mais limpa e sustentável do diesel comum, com teor de enxofre reduzido para até 10 partes por milhão (ppm). 

Isso resulta em menor emissão de poluentes e contribui para a preservação do meio ambiente.

Diesel Premium

O diesel premium é uma opção de alta qualidade, formulado com aditivos especiais que melhoram a performance e a eficiência do motor. 

Além de proporcionar uma queima mais completa e eficiente, pode ajudar a reduzir o consumo de combustível e as emissões de poluentes.

Biodiesel

O biodiesel é um combustível renovável produzido a partir de fontes biológicas, como óleos vegetais e gorduras animais. 

Ademais, é uma alternativa sustentável ao diesel, contribuindo com a redução da dependência de combustíveis fósseis e para amenizar as mudanças climáticas.

Gás Natural Veicular (GNV)

O Gás Natural Veicular (GNV) é uma opção econômica e sustentável para veículos que podem ser convertidos para utilizar esse tipo de combustível. 

Além disso, apresenta baixas emissões de poluentes e pode proporcionar uma economia significativa de combustível em comparação com a gasolina e o diesel.

Eletricidade

A eletricidade é uma alternativa cada vez mais popular para veículos devido à sua eficiência energética e baixas emissões de poluentes. 

Os veículos elétricos (EVs) são alimentados por baterias recarregáveis e oferecem uma condução suave e silenciosa. 

Logo, contribuem para a redução da poluição sonora e do impacto ambiental.

Benefícios de acertar na escolha do tipo de combustível

Acertar na escolha do tipo de combustível traz uma série de benefícios para os proprietários de frotas e gestores de veículos. Aqui estão alguns dos principais:

  • Economia de Custos: Escolher o combustível certo pode economizar dinheiro a longo prazo.
  • Eficiência Energética: Alguns combustíveis oferecem maior quilometragem por litro ou carga.
  • Redução de Emissões: Optar por combustíveis mais limpos ajuda a reduzir a poluição do ar e as emissões de gases de efeito estufa.
  • Desempenho do Veículo: Alguns combustíveis podem melhorar o desempenho do motor e proporcionar uma condução mais suave.
  • Manutenção do Motor: Escolher combustíveis com aditivos especiais pode ajudar a manter o motor limpo e prolongar sua vida útil.
  • Conformidade Regulatória: Escolher combustíveis mais limpos pode ajudar a cumprir regulamentações ambientais e evitar multas.

Afinal, quais são os melhores tipos de combustível para a sua frota?

Isso vai depender do tipo de veículo em sua frota. Por exemplo, para uma frota de caminhões, o diesel é a melhor opção, enquanto para motos, a gasolina aditivada é recomendada. 

Portanto, é importante seguir as recomendações dos fabricantes e analisar o desempenho dos veículos. 

Além disso, o uso de um sistema de gestão de abastecimento pode ajudar a monitorar e controlar o consumo de combustível, contribuindo para a eficiência e economia.

Para a gestão de combustível, conte com a Sofit!

Como vimos, escolher o tipo de combustível ideal depende das características específicas de cada veículo e das necessidades operacionais da empresa. 

Para tomar a melhor decisão, é essencial analisar o desempenho dos veículos e seguir as recomendações dos fabricantes.

Felizmente, o acesso a dados precisos sobre o consumo de combustível e o desempenho dos veículos torna essa avaliação muito mais fácil. 

Ferramentas de gestão de frota, como a Sofit, permitem monitorar e controlar o consumo de combustível em tempo real, facilitando a identificação de oportunidades de economia e otimização!

Maio Amarelo 2024: veja como a sua empresa pode contribuir

Com o tema “Paz no trânsito começa por você”, o Maio Amarelo 2024 busca promover uma reflexão sobre a responsabilidade de cada indivíduo no trânsito. 

Este ano, o movimento global destaca ainda a necessidade de estender essa cultura de paz ao longo de todo o ano. 

Com iniciativas como o programa Laço Amarelo, a ideia é aumentar o o engajamento de empresas e órgãos públicos para garantir estradas mais seguras e responsáveis. 

Descubra mais sobre a campanha do Maio Amarelo 2024 e como sua empresa pode contribuir para essa causa!

Índice:

  1. O que é o “Maio Amarelo”?
  2. Por que o nome maio amarelo?
  3. Por que é importante aderir ao movimento?
  4. Como gestores de frota podem se engajar com o Maio Amarelo?
  5. Como acessar os materiais da campanha Maio Amarelo 2024?
  6. Como participar do programa Laço Amarelo?
  7. Maio Amarelo: A Sofit e Localiza apoiam a causa, trabalhando por mais segurança no trânsito

O que é o “Maio Amarelo”?

O Maio Amarelo é um movimento internacional, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), visando promover ações globais de conscientização e prevenção de acidentes no trânsito.

Conforme estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde), acidentes no trânsito são a nona causa mais comum de mortes no mundo.  

Isso representa um custo de pelo menos US$ 518 bilhões por ano em cada país. 

Pensando nisso, a ONU decretou, em 11 de maio de 2011, a Década de Ação para Segurança no Trânsito.  

Assim, no Brasil, o Pnatrans (Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito) é o principal instrumento direcionador das ações, pretendendo preservar a vida de pelo menos 86 mil brasileiros neste período.

Para isso, o plano nacional define algumas metas para serem cumpridas até o ano de 2028. Confira as principais:

  • Reduzir em 50% a taxa de mortalidade no trânsito, por grupo de habitantes (mortes por 100 mil habitantes) e de veículos (mortes por 10 mil veículos). 
  • Redução de pelo menos 50% do número de mortes de ciclistas, motociclistas e pedestres.
  • Aumentar em pelo menos 20% a participação de outros modos de mobilidade ativa (a pé e de bicicleta).

Por que o nome maio amarelo?

Sabia que o nome “Maio Amarelo” foi escolhido por ser uma referência à sinalização de trânsito?

Como você deve saber, no trânsito, o amarelo representa atenção e advertência. 

Por isso, a cor também é associada à vida, à luz e à esperança, valores que estão relacionados à segurança viária. 

A escolha da cor amarela também pretende estimular a reflexão sobre o tema e incentivar a adesão da população à campanha.

Por que é importante aderir ao movimento?

O Brasil não conseguiu cumprir as metas de redução de acidentes no trânsito pactuadas com a ONU em 2022. 

Para você ter uma ideia, 33 mil pessoas ainda são vítimas de acidentes fatais todos os anos no País.

Além disso, em 2023, uma média de 11 pessoas morreram todos os dias em acidentes fatais nas rodovias federais, segundo a Polícia Rodoviária Federal.

Dessa forma, diante deste cenário preocupante, o “Maio Amarelo” é uma oportunidade para sua empresa de frotas contribuir com a redução dos acidentes.

Assim, é importante focar em medidas preventivas, alertando clientes, colaboradores e sociedade sobre atitudes simples, que salvam vidas.

A seguir, vamos listar algumas ações incrivelmente simples que você pode adotar para contribuir com o movimento do Maio Amarelo na sua empresa. 

Como gestores de frota podem se engajar com o Maio Amarelo?

Está em dúvida sobre o que fazer? Listamos 9 ações simples para que a sua empresa contribua com as ações do Maio Amarelo. Vamos lá?

1. Atue nas redes sociais

Tanto sua empresa de frotas quanto os colaboradores podem compartilhar conscientização nas redes sociais através de materiais como banners e outras imagens digitais.

Além disso, vale a pena investir em campanhas online para alcançar clientes e potenciais clientes que vão se identificar com a causa e através dela, conhecer sua empresa.

2.   Invista na gestão de multas

Um trânsito com menos incidência de multas é um trânsito menos perigoso, concorda? 

A gestão de multas, mediante informações sobre os seus veículos, entrada de horário e saída dos motoristas e dos dados dos seus colaboradores, é fundamental. 

Assim, você controla mais facilmente as multas e pode trabalhar ações específicas para cada motorista.

3.   Treinamento e capacitação de motoristas

A rotina de treinamentos e capacitações não devem parar. 

Dessa forma, aproveite para incluir periodicamente capacitações sobre direção defensiva e ações de conscientização sobre acidentes no trânsito. 

4.   Assistência aos colaboradores

Cuide da integridade dos seus colaboradores. Invista em seguros que garantam toda a assistência em caso de acidentes. I

sso vale também para os seguros de carga e de veículos que garantem mais tranquilidade para você e para a sua equipe. 

5. Realize campanhas de conscientização

Você pode distribuir materiais informativos, como panfletos ou cartazes, sobre os principais cuidados que devem ser tomados no trânsito. 

Assim, temas como “respeitar a sinalização”, “não utilizar o celular enquanto dirige”, são boas opções.

6. Ilumine a fachada da empresa e distribua camisetas

Outra maneira criativa de participar do movimento é iluminar o prédio ou a fachada da empresa com o amarelo durante o mês de maio. 

Isso chamará a atenção das pessoas que passam pelo local e ajudará a divulgar a campanha. 

Além disso, a sua empresa pode distribuir camisas especiais para os colaboradores usarem durante o mês de maio para mostrar seu comprometimento com a segurança no trânsito.

7. Realizar workshops de conscientização

Organizar workshops internos para motoristas e colaboradores também é uma boa forma de contribuir com a campanha do maio amarelo. 

Assim, você pode falar sobre segurança no trânsito, abordando temas como direção defensiva, uso correto dos equipamentos de segurança e respeito às leis de trânsito. 

Esses eventos podem ajudar a disseminar a mensagem de responsabilidade e cuidado no trânsito.

8. Promover competições de direção segura

Criar competições internas ou entre empresas para incentivar os motoristas a praticarem uma condução segura e responsável também pode ser uma boa opção.

Da mesma forma, você pode premiar aqueles que demonstrarem os melhores hábitos de direção. 

Algumas modalidades podem incluir respeito às velocidades permitidas, uso correto do cinto de segurança e manobras defensivas, por exemplo.

9. Engajar a comunidade local

Realizar ações de conscientização em parceria com escolas, órgãos públicos e comunidades locais é outra opção.

A ideia é expandir o movimento através de atividades como palestras educativas, distribuição de materiais informativos e realização de campanhas de sensibilização em locais estratégicos da cidade. 

Essas iniciativas podem contribuir para criar uma cultura de paz no trânsito em toda a comunidade.

Como acessar os materiais da campanha Maio Amarelo 2024?

Para acessar os materiais da campanha Maio Amarelo 2024 e baixá-los para uso em sua empresa, siga estas simples instruções:

  1. Visite o site oficial do programa Maio Amarelo;
  2. Procure pela seção dedicada à campanha Maio Amarelo 2024, geralmente localizada na página inicial ou na seção de recursos;
  3. Você encontrará um botão ou link claramente indicado para baixar os materiais da campanha. Clique nele para prosseguir;
  4. Preencha o formulário de solicitação com suas informações básicas, como nome, e-mail e nome da empresa;
  5. Verifique cuidadosamente os dados inseridos para garantir que estejam corretos;
  6. Após preencher o formulário, clique no botão “Enviar” para concluir sua solicitação;
  7. Aguarde a confirmação de que sua solicitação foi recebida com sucesso;
  8. Você receberá um link de acesso aos materiais da campanha por e-mail ou diretamente na página da web;
  9. Clique no link fornecido para acessar os materiais e baixá-los para uso em sua empresa.

Como participar do programa Laço Amarelo?

O Programa Laço Amarelo é uma iniciativa voltada para conscientizar sobre a importância de um comportamento seguro no trânsito durante todos os dias do ano.

Por meio de parcerias com empresas, órgãos públicos e entidades, o programa busca envolver permanentemente a sociedade na promoção de um trânsito seguro e responsável para todos.

Existem duas formas de participar: Adesão e Associação.

Adesão

Ao aderir ao programa, as empresas recebem materiais de comunicação, apoiam a causa, integram-se à rede do Observatório e contribuem para fortalecer a conscientização e a segurança no trânsito.

Associação

Já na modalidade de Associação, além dos benefícios da adesão, as empresas também recebem materiais de comunicação personalizados e exclusivos. 

Além disso, garantem vantagens adicionais e benefícios exclusivos por meio do Plano Associativo, proporcionando uma experiência ainda mais enriquecedora para seus parceiros.

Maio Amarelo: A Sofit e Localiza apoiam a causa, trabalhando por mais segurança no trânsito

Que tipo de ações a sua empresa tem realizado para investir em segurança no trânsito, evitar acidentes e garantir a segurança dos motoristas? 

A Sofit e Localiza, seguem engajadas com o movimento do Maio Amarelo.  

Junto à sociedade, clientes e investimentos em tecnologia, estamos contribuindo com a redução de acidentes de trânsito nas estradas brasileiras. 

7 marcas de caminhões que vão fazer a diferença em sua frota em 2024

Em um mercado dinâmico como o de transporte de cargas, a escolha da marca de caminhão pode fazer toda a diferença para o sucesso de uma frota. 

No Brasil, onde a indústria automobilística desempenha um papel crucial na economia, algumas marcas se destacam entre as preferidas dos gestores de frotas.

De acordo com dados recentes, Volvo, DAF e Mercedes Benz dominaram o segmento de caminhões em 2023, liderando as vendas no país. 

No entanto, apesar desse destaque, o mercado registrou uma queda significativa nas vendas de caminhões novos em relação ao ano anterior.

Dessa forma, é essencial conhecer em detalhes as opções disponíveis no mercado e entender quais são os modelos mais vendidos em cada categoria. 

Para ajudar você, preparamos este artigo completo,  com informações detalhadas sobre as principais marcas de caminhão no Brasil!

Continue lendo e saiba mais!

Índice:

  1. O que considerar antes de escolher uma marca de caminhão?
  2. Principais marcas de caminhões do mercado

O que considerar antes de escolher uma marca de caminhão?

A aquisição de novos veículos para a sua frota requer estudo, não somente da marca do caminhão, como também uma avaliação das funções que ele deve cumprir na sua frota.

Por isso, primeiro, é preciso definir o modelo que a sua empresa necessita:

  • Urbano;
  • Rodoviário; 
  • Baú;
  • Caçamba; 
  • Guincho ou; 
  • Refrigerado.

Após essa avaliação, o gestor de frotas deve se ater aos modelos de caminhão disponíveis no mercado. São eles:

  • Carreta 2 ou 3 eixos;
  • Caminhão extrapesado; 
  • Caminhão Toco;
  • Caminhão pesado (Truck);
  • Cavalo trucado;
  • Veículo Urbano de Carga (ou VUC); 
  • ​Bitrem (carreta 7 eixos) ou treminhão (carreta com 3 composições); 
  • Rodotrem.

Com o “dever de casa” realizado, chegou a hora de partir para a escolha das melhores marcas de caminhões para a sua frota. 

Abaixo você confere as marcas de caminhões mais vendidas:

Principais marcas de caminhões do mercado

Volvo

Modelos mais procurados: VOLVO FH 540

A fabricante sueca se destaca no mercado nacional por ter uma grande parcela de veículos circulando diariamente em todos os lugares do Brasil. 

Passando por um rigoroso teste de qualidade, os caminhões da Volvo prezam por sistemas de segurança modernos.

Isso inclui  sistemas de frenagem eficientes que possuem interações eletrônicas suaves para diminuir a distância das paradas e conseguir melhorar a estabilidade na pista.

DAF

Modelos mais procurados: DAF XF530

A DAF é uma das marcas de caminhões mais recentes, em atuação no Brasil desde 2013.

Apesar disso, a holandesa já  atua em toda a Europa desde 1928, onde é referência no segmento de marcas de caminhões do tipo cavalo trucado. 

Além disso, a DAF ainda atua em parceria com a PACCAR, líder global em tecnologia nas áreas de design, fabricação e suporte ao cliente no segmento de caminhões.

Os caminhões da DAF contam com cabines amplas, ideais para longas viagens rodoviárias. 

Para os interessados, a DAF conta com uma linha de financiamento própria, a PACCAR Financial.

Mercedes-Benz

Modelos mais procurados: MERCEDES-BENZ ATEGO 1719

Fabricados com base em uma ideologia inovadora, os caminhões da marca alemã fazem parte do eixo de veículos mais vendidos no Brasil nos últimos anos. 

Esse resultado foi gerado pelo foco no desenvolvimento de soluções eficientes para seus clientes. 

Produzindo peças diretamente do estado de São Paulo, o primeiro caminhão da marca começou a ser fabricado em 1956. O que marcou o início efetivo da produção nacional.

Além disso, os caminhões da Mercedes Benz possuem design moderno com diferentes capacidades de carga, resistência, durabilidade e confiabilidade da marca.

Volkswagen

Modelos mais procurados: Volkswagen Delivery 11.180

A Volkswagen atua no segmento de criação de veículos há mais de 30 anos, produzindo caminhões de porte leve, médio e pesado. 

Com caminhões indicados e produzidos para serviços rodoviários de qualquer distância, as diferentes linhas de veículos da empresa alemã são robustos e resistentes.

Dessa forma, são ideais  para lidarem com qualquer tipo de situação para sua frota.

Por isso, não restam dúvidas que investir em caminhões da Volkswagen pode ser uma escolha acertada para a sua frota.

Ford

Modelos mais procurados: FORD F4000 e FORD CARGO 1119

Apesar de não figurar na lista dos mais vendidos de 2023, a Ford é uma das marcas de caminhões mais tradicionais no Brasil. 

A montadora estadunidense possui uma das linhas de montagem mais modernas do mundo, com uma produção de um veículo em até 3 minutos.

Assim, além de abastecer o mercado interno brasileiro, os caminhões fabricados aqui também são exportados para Argentina, Chile e Venezuela.

Seguindo padrões de qualidade mundial, os caminhões da Ford estão alinhados com os padrões de uma das marcas de caminhões mais famosas do mundo. 

Dessa forma, a Ford também pode ser uma boa aposta na hora de escolher os caminhões para sua frota.

Scania

Modelos mais procurados: SCANIA R450

A Scania é uma empresa sueca que possui fábricas em diferentes partes do mundo, como Europa, América do Sul e Ásia. 

Seu foco é fabricar caminhões e oferecer serviços que atendam às necessidades de diversos setores, como construção, varejo e entregas. 

Os caminhões da Scania são conhecidos por reduzir os custos operacionais com soluções modernas para os motoristas, garantindo segurança e conforto. 

Além disso, seu programa de manutenção de caminhões oferece um excelente custo-benefício.

Iveco

Modelos mais procurados: IVECO TECTOR 11-190

A Iveco iniciou suas operações no Brasil em 1997, com o objetivo de construir sua marca no país e adaptar os padrões internacionais à produção local. 

Com uma variedade de linhas de caminhões, a Iveco oferece opções confortáveis, versáteis e fáceis de dirigir, com alta capacidade de carga. 

Seja para uso em estradas ou áreas urbanas, os caminhões da Iveco seguem padrões, garantindo segurança e resistência para as atividades diárias de qualquer frota.

As melhores marcas de caminhões estão na Localiza! 

Como vimos, ao escolher as marcas de caminhões para sua frota, você está investindo não apenas em qualidade e desempenho, mas também em segurança para suas operações. 

A boa notícia é que com as opções disponíveis na Localiza para locação e o suporte da tecnologia para frotas Sofit, você pode garantir uma gestão otimizada e eficaz de seus veículos. 

Não deixe de considerar esses aspectos ao decidir sobre as melhores marcas de caminhões para sua frota!

DDS para motorista: como manter a sua operação segura?

A prática do DDS para motorista já é uma realidade para diversas empresas de frota. 

Mas você sabe como funciona essa abordagem com o seu time de condutores?

Quem trabalha com transporte sabe que os colaboradores e a frota estão sujeitos a acidentes diariamente. 

Neste artigo, vamos mostrar como abordar o DDS para motorista de forma simples e prática. Confira!

Índice:

  1. O que é DDS para motorista?
  2. Qual a importância do Diálogo Diário de Segurança?
  3. Quem deve ministrar o DDS para motorista?
  4. Defina previamente os temas e abordagem dos DDSs
  5. Quais os melhores temas de DDS para motorista?

O que é DDS para motorista?

O DDS (diálogo diário de segurança) é uma prática que gestores podem adotar para rever políticas de gestão de motoristas e manter um contato mais humanizado com eles.

Assim, o DDS para motorista pressupõe a simples adoção de conversas rápidas com os seus condutores antes da jornada de trabalho.

Simples, não é mesmo?

O método conhecido nas abordagens de segurança do trabalho é uma ferramenta adotada em diversos segmentos que lidam com o risco, como é o caso das de transporte e logística.

A duração da conversa é definida pelo gestor e pode durar entre 5 e 10 minutos, no máximo. 

Em alguns casos, gestores preferem adotar o DDS semanal.

Qual a importância do Diálogo Diário de Segurança?

Na busca por uma gestão automatizada e cada vez mais moderna, alguns gestores acabam esquecendo de fazer o básico.

O contato direto e diário com os motoristas é um exemplo. 

E, muitas vezes, uma avaliação mais pessoal pode auxiliar a evitar acidentes. 

Assim, tanto em empresas pequenas como em grandes frotas, uma simples conversa com os condutores pode identificar se eles estão aptos para o trabalho naquele dia ou não.

Até porque relatos de gerentes de frota que observam condutores exaustos, sonolentos ou até com sinais de embriaguez não são raros.

Portanto, a realização do DDS para motorista com recorrência ainda garante uma série de benefícios:

  • Estimula a conscientização coletiva dos funcionários;
  • Fixa temas de segurança que geralmente só são abordados no momento de admissão ou em palestras;
  • Ao ser realizado dentro de um contexto, por exemplo, falar sobre dirigir na chuva em períodos chuvosos, deixa os condutores mais atentos e preparados;
  • Mostra que na sua empresa, a segurança é um cuidado constante, não se resumindo apenas aos seus valores.

Além disso, vale lembrar que cuidar da segurança dos condutores é uma atribuição do gestor de frotas. 

Dessa forma, seja assumindo essa responsabilidade ou delegando o DDS para um técnico de segurança do trabalho, é importante adotá-lo.

Quem deve ministrar o DDS para motorista?

É preferível que o DDS para motorista seja conduzido por um profissional de segurança do trabalho. 

Essa é uma das suas atribuições diárias e vai possibilitar detectar probabilidades de ocorrências indesejadas.

Entretanto, sabemos que a realidade não acontece dessa maneira. 

Quando o TST não dá conta de todos os funcionários, é perfeitamente possível que supervisores realizem a função.

Inclusive, uma ótima sugestão é trabalhar com um rodízio, onde cada um é responsável pela realização do Diálogo Diário de Segurança uma vez.

Como gestor, você pode participar pelo menos uma vez por semana para garantir que tudo esteja seguindo como o planejado.

Como fazer um DDS para motorista?

Cada Diálogo Diário de Segurança deve ser elaborado conforme as especificidades das referidas funções. 

Assim, não existe um modelo único de DDS para motorista que deva ser seguido por todas as empresas.

Ao aplicar o método com o seu time de condutores, lembre-se de seguir as orientações abaixo para pautar a conversa com eles:

  • Trazer casos reais de acidentes no trabalho;
  • Abordar situações cotidianas que o grupo de condutores costumam passar;
  • Utilizar imagens e vídeos esporadicamente para fortalecer o discurso;
  • Estimular os motoristas a participarem do DDS. Lembre-se, não é uma palestra.

Defina previamente os temas e abordagem dos DDSs

A realização do DDS deve ser levada a sério e inserida dentro de um contexto de gerenciamento de risco na sua operação.

Por este motivo, as conversas diárias não devem ser improvisadas e sim planejadas.

A nossa orientação é que os temas sejam definidos mensalmente. 

Você pode ter uma conversa curta sobre cuidados com a saúde do motorista durante toda uma semana, por exemplo, trazendo enfoques diferentes em cada dia.

Quais os melhores temas de DDS para motorista?

Confira abaixo alguns temas que podem ser abordados durante o diálogo diário:

Direção defensiva

É importante que o tema direção defensiva seja recorrente no DDS. Seja para servir de alerta ou para mostrar os resultados desta prática na sua frota na redução de acidentes.

Estresse no Trânsito

O estresse no trânsito costuma ser um tema de grande impacto entre os motoristas, já que eles lidam com o estresse diariamente. Portanto, considere contar com psicólogos e ouvir os seus colaboradores.

Acidentes no Trânsito

Acidentes no trânsito devem compor o DDS diário pelo menos uma vez por mês. Essa é uma importante ferramenta para conscientizar e proteger os seus motoristas.

Direção durante a noite

Empresas de frota com motoristas que trabalham no período noturno ou de madrugada devem entender as especificidades desta prática e trazer o tema para o dialógico diário.

Checklist de Segurança

Outro assunto importante para abordar durante é o checklist de segurança. 

Aproveite para apresentar novas soluções e conferir como os condutores estão lidando com esta tarefa.

Além disso, outros exemplos de assuntos que você pode trazer para o DDS diário são:

  • Análise Preliminar de Risco;
  • Assuntos descontraídos;
  • Brincadeiras no horário de trabalho;
  • Como agir em casos de emergência;
  • Cuidados com a eletricidade;
  • DDS motivacional;
  • Exposição a substâncias perigosas;
  • Higiene e asseio pessoal;
  • Importância dos EPIs e EPCs;
  • Limpeza dos veículos.
  • Limpeza industrial.
  • Manutenção de hábitos saudáveis;
  • Preservação do Meio Ambiente;
  • Prevenção de doenças ocupacionais e ergonomia;
  • Primeiros socorros;
  • Produtividade;
  • Revisão de ferramentas e equipamentos;
  • Segurança do trabalho;
  • Setembro Amarelo;
  • Trabalho em equipe.

Além dos temas, a sua abordagem também pode variar, aumentando a sua gama de assuntos.

Por exemplo, apresentar um vídeo em um dia e abrir espaço para diálogo no outro pode ajudar a dar dinamicidade ao processo.

A Sofit contribui com o DDS para o motorista!

Como vimos, a implementação do DDS para motoristas é uma estratégia fundamental para promover a segurança na operação de frotas. 

No entanto, é importante ressaltar que a segurança não se limita apenas às práticas dos condutores, mas também à eficácia da gestão de frotas como um todo. 

Nesse contexto, a Sofit desempenha um papel crucial ao fornecer dados relevantes que precisam ser aprimorados e discutidos em conjunto com os motoristas. 

Ao integrar o DDS e a Sofit, as empresas podem garantir não apenas a conscientização dos condutores, mas também uma gestão mais segura e eficiente de suas frotas. 

Portanto, não perca tempo e comece a implementar essas soluções hoje mesmo, elevando o nível de segurança e eficácia da sua operação.

Escute o podcast da Sofit sobre DDS para motorista

Você também pode ouvir este conteúdo no formato de podcast!

Essa é uma forma prática de ficar bem informado e acompanhar as melhores práticas da gestão de frotas enquanto segue com as suas atribuições diárias.

Por isso, escute agora mesmo o Podcast sobre como aplicar o DDS na sua frota!

M

 

Frota ociosa: como lidar com esse desafio?

A frota ociosa surge como um desafio significativo a ser enfrentado por gestores que estão em busca de soluções para otimizar o uso dos veículos.

Para o gestor de frota, a eficiência operacional é um imperativo constante e carros parados podem significar menos desempenho e custos desnecessários. 

Por isso, vamos explorar em detalhes o que caracteriza uma frota ociosa, identificando suas principais causas e os impactos negativos que ela pode acarretar para a empresa. 

Além disso, discutiremos estratégias para lidar com a ociosidade da frota, trazendo insights para o gestor de frota que busca otimizar os recursos disponíveis.

Continue lendo e saiba mais!

Índice:

  1. O que é uma frota ociosa? 
  2. Principais causas da ociosidade da frota
  3. Impactos negativos da frota ociosa
  4. 4 estratégias para lidar com frota ociosa
  5. Localiza + Sofit: a combinação para resolver a frota ociosa

O que é uma frota ociosa? 

Uma frota ociosa são veículos de uma frota empresarial que não estão sendo utilizados ou estão sendo subutilizados, mesmo estando disponíveis para uso. 

Em outras palavras, são veículos que estão parados por longos períodos ou que não estão sendo utilizados em sua capacidade máxima.

Dessa forma, identificar e resolver a ociosidade da frota é crucial para garantir a eficiência operacional e reduzir custos. 

Principais causas da ociosidade da frota

As principais causas da ociosidade da frota podem variar de acordo com a natureza das operações da empresa, mas algumas causas comuns incluem:

Baixa demanda de serviços

Quando a demanda por serviços ou produtos que requerem o uso da frota é menor do que o esperado, os veículos podem ficar ociosos por períodos prolongados.

Má gestão de frota

Uma gestão inadequada da frota, como falta de planejamento de rotas, alocação inadequada de veículos ou falhas na comunicação entre os departamentos, pode levar à ociosidade dos veículos.

Manutenção inadequada

Veículos que estão fora de serviço devido a problemas mecânicos ou necessidade de manutenção corretiva podem contribuir para a ociosidade da frota.

Excesso de veículos na frota

Uma frota com mais veículos do que o necessário pode resultar em ociosidade, especialmente se não houver uma demanda suficiente para justificar o uso de todos os veículos.

Falta de planejamento

Falhas no planejamento operacional, como previsões imprecisas de demanda, falta de agendamento ou de flexibilidade para lidar com variações na demanda, podem levar à ociosidade da frota.

Condições climáticas e sazonalidade

Mudanças sazonais na demanda por serviços, bem como condições climáticas adversas, podem influenciar a utilização da frota e contribuir para períodos de ociosidade.

Falta de monitoramento e controle

A falta de sistemas eficazes de monitoramento e controle da frota pode dificultar a identificação e resolução da ociosidade, permitindo que os veículos fiquem parados sem uma razão justificável.

Impactos negativos da frota ociosa

A frota ociosa representa um desperdício de recursos e uma fonte de custos desnecessários para uma empresa. 

A seguir, confira os principais impactos negativos da frota ociosa:

Custos operacionais desnecessários

Manter veículos parados resulta em custos operacionais contínuos, como depreciação, seguro, impostos, e manutenção programada. Esses custos continuam a se acumular mesmo quando os veículos não estão gerando receita.

Baixa eficiência dos recursos

A frota ociosa representa uma subutilização dos recursos da empresa, incluindo veículos, mão de obra e capital investido. Isso reduz a eficiência operacional e pode impactar negativamente a rentabilidade geral da empresa.

Perda de oportunidades de negócio

Quando os veículos estão parados, a empresa perde oportunidades de negócio para atender a demanda dos clientes. Isso pode resultar na perda de contratos, clientes insatisfeitos e danos à reputação da empresa.

Desvalorização dos ativos

A ociosidade prolongada da frota pode levar à depreciação acelerada dos veículos, resultando em perda de valor dos ativos da empresa ao longo do tempo.

Impactos ambientais

Veículos ociosos continuam a emitir poluentes e contribuem para a pegada de carbono da empresa, mesmo quando não estão sendo utilizados para fins produtivos. Isso pode ter consequências negativas para o meio ambiente e a imagem de responsabilidade corporativa da empresa.

Desmotivação da equipe

A ociosidade da frota pode levar à desmotivação da equipe de motoristas e operadores, que podem se sentir subutilizados e desvalorizados. Isso pode afetar negativamente a moral e a produtividade da equipe.

4 estratégias para lidar com frota ociosa

Identificar e abordar as causas específicas da ociosidade da frota é essencial para otimizar a utilização dos recursos da empresa e reduzir custos desnecessários.

Quando não são adequadamente monitorados e gerenciados, esses veículos ociosos representam um custo desnecessário para a empresa, pois consomem recursos sem gerar benefícios.

Assim, lidar com a frota ociosa envolve adotar práticas de gestão eficazes, como:

1. Monitoramento constante da utilização dos veículos

Utilize sistemas de monitoramento em tempo real para acompanhar a utilização dos veículos, identificar períodos de ociosidade e entender os padrões de utilização. Isso permite tomar decisões informadas para maximizar a utilização dos veículos.

2. Planejamento adequado de rotas

Planeje rotas eficientes para minimizar o tempo de viagem e maximizar a produtividade dos motoristas. Para isso, use tecnologias de roteirização que consideram fatores como tráfego, condições da estrada e horários de entrega para otimizar as rotas.

3. Implementação de tecnologias

Utilizar sistemas de rastreamento por GPS e soluções de gestão de frota para monitorar o desempenho dos veículos em tempo real, ajudam a evitar a frota ociosa.

Além disso, acompanhar o consumo de combustível, identificar padrões de utilização e realizar análises de eficiência permite tomar decisões baseadas em dados para otimizar a operação da frota.

4. Compartilhamento e aluguel de veículos

Explorar opções de compartilhamento e aluguel de veículos para reduzir a ociosidade da frota. Ao permitir que outros departamentos ou empresas aluguem os veículos quando não estão em uso, é possível maximizar a utilização dos ativos e gerar receita adicional.

Localiza + Sofit: a combinação para resolver a frota ociosa

Sabia que a combinação entre a locação de veículos da Localiza e o sistema de gestão da Sofit oferece uma solução abrangente e eficaz para lidar com a frota ociosa?

Ao optar por essa abordagem, as empresas podem não apenas reduzir os custos associados à ociosidade da frota, mas também aumentar a eficiência nos processos operacionais. 

Com a capacidade de monitorar e gerenciar a frota de forma mais inteligente, as empresas podem otimizar o uso dos recursos e garantir uma operação mais ágil e rentável!

SSMA na gestão de frotas: o que é e como implementar?

Na gestão de frotas pesadas, o SSMA (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) desponta como um conjunto fundamental de diretrizes. 

Essa sigla não apenas representa os pilares de operações eficientes, mas também promove a segurança dos condutores e a preservação ambiental. 

Mas como implementar efetivamente essas práticas na sua frota?

Neste artigo, vamos explorar detalhadamente o que é e como implementar o SSMA na gestão de frotas, garantindo operações seguras, eficientes e sustentáveis.

Continue lendo para saber mais!

Índice:

  1. O que é SSMA?
  2. Qual a importância de um SSMA?
  3. Principais aspectos que devem ser considerados
  4. Como implementar SSMA na gestão de frotas?
  5. Sofit: sua aliada na implantação do SSMA na frota

O que é SSMA?

O SSMA (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) é um conjunto de diretrizes e práticas adotadas pelas empresas para garantir a proteção dos colaboradores.

Além disso, as práticas também envolvem a preservação do meio ambiente e o cumprimento das normas regulamentadoras. 

Para um gestor de frota, o SSMA indica medidas para garantir a segurança dos motoristas e demais funcionários envolvidos nas operações da frota.

Entre essas recomendações, estão o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), a realização de treinamentos sobre segurança no trânsito e a manutenção adequada dos veículos. 

Além disso, o SSMA também aborda ações para reduzir o impacto ambiental das atividades da frota, como a adoção de veículos mais eficientes e a implementação de práticas sustentáveis de gestão de resíduos. 

Qual a importância de um SSMA?

A importância do SSMA na gestão de frotas está em garantir a segurança e o bem-estar dos motoristas e outros funcionários, além de proteger o meio ambiente. 

Isso ajuda a evitar acidentes, reduzir riscos no trabalho e manter os veículos em boas condições de funcionamento. 

Além disso, o SSMA pode ajudar a evitar multas e problemas legais para a empresa, além de melhorar a reputação da empresa em relação à responsabilidade social e ambiental. 

Principais aspectos que devem ser considerados

O SSMA compreende diversos aspectos que visam assegurar um ambiente de trabalho seguro, saudável e sustentável. 

Então, vamos explorar os pontos de atenção em cada uma dessas áreas-chave?

Segurança

Priorize a eliminação e o isolamento dos riscos ocupacionais, utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) apenas como último recurso.

Saúde

Monitore os danos ao bem-estar dos colaboradores, visando minimizar os efeitos do trabalho sobre o corpo e a mente ao longo de sua jornada na empresa.

Meio ambiente

Previna ou compense prejuízos ambientais causados pela atividade da empresa, garantindo a destinação adequada de resíduos e a contenção de riscos biológicos, físicos ou químicos no ambiente de trabalho.

Como implementar SSMA na gestão de frotas?

Implementar o SSMA (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) na gestão de frotas é essencial para garantir operações seguras, eficientes e sustentáveis. 

Aqui estão algumas etapas-chave para implementar o SSMA na gestão de frotas:

1. Avaliação de riscos

Para começar, é fundamental realizar uma avaliação completa dos riscos envolvidos nas operações da frota. 

Isso significa identificar possíveis ameaças que podem afetar a segurança dos condutores, a saúde dos funcionários e o meio ambiente.

Por exemplo, ao avaliar os riscos para a segurança dos condutores, é importante considerar condições como estradas perigosas, condições climáticas adversas e problemas mecânicos nos veículos. 

Já para a saúde dos funcionários, analise questões como ergonomia inadequada dos assentos dos veículos, exposição a produtos químicos nocivos durante a carga e descarga, e possíveis lesões relacionadas ao trabalho. 

Quanto ao meio ambiente, é necessário examinar o impacto das emissões dos veículos na qualidade do ar e a gestão adequada de resíduos.

Realizar essa avaliação permite identificar os principais pontos de atenção e desenvolver estratégias para garantir operações mais seguras e sustentáveis.

2. Desenvolvimento de políticas

Em seguida, é essencial desenvolver políticas claras e abrangentes de SSMA. 

Isso envolve estabelecer diretrizes e procedimentos que orientem as ações dos colaboradores em relação à segurança, saúde e proteção ambiental.

Por exemplo, uma política de SSMA pode incluir diretrizes para o uso correto de equipamentos de proteção individual (EPIs), procedimentos de manutenção preventiva dos veículos e práticas de gestão de resíduos.

3. Treinamento e conscientização

É importante também fornecer treinamento adequado e contínuo para os condutores e funcionários da frota sobre as políticas e práticas de SSMA. 

Isso ajuda a destacar a importância da segurança no trabalho, da saúde ocupacional e da proteção ambiental.

Por meio de programas de treinamento e conscientização, os colaboradores podem aprender sobre os riscos associados às operações da frota e as medidas preventivas que devem ser adotadas para minimizar esses riscos.

4. Implementação de medidas de segurança

Outro passo importante é implementar medidas de segurança específicas para garantir a integridade dos condutores e a proteção do meio ambiente. 

Isso inclui realizar inspeções regulares dos veículos, garantir o uso adequado de EPIs, realizar manutenção preventiva da frota. 

Além disso, é recomendado adotar tecnologias de segurança veicular, como sistemas de freios antitravamento (ABS) e controle de estabilidade.

Essas medidas ajudam a prevenir acidentes e incidentes, protegendo tanto os colaboradores quanto o meio ambiente.

5. Monitoramento e melhoria contínua

Estabelecer sistemas de monitoramento é fundamental para acompanhar o desempenho em relação aos objetivos de SSMA e identificar áreas de melhoria. 

Isso permite implementar ações corretivas conforme necessário e garantir a eficácia das práticas de segurança, saúde e proteção ambiental.

Além disso, promover uma cultura de segurança e responsabilidade ambiental dentro da organização é essencial. 

Incentivar o feedback dos funcionários e a participação ativa na identificação e resolução de problemas ajuda a criar um ambiente de trabalho seguro e sustentável.

Ao integrar o SSMA às práticas de gestão de frotas, é possível melhorar significativamente a segurança dos condutores, reduzir o risco de acidentes e incidentes, proteger o meio ambiente e promover um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

Sofit: sua aliada na implantação do SSMA na frota

Como vimos,  a implementação do SSMA (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) na gestão de frotas é fundamental para garantir operações seguras, eficientes e sustentáveis. 

No entanto, para alcançar esse objetivo, é crucial contar com o suporte da tecnologia.

Soluções como a Sofit oferecem recursos avançados para gestão de frotas, incluindo ferramentas de monitoramento, análise de dados e manutenção preventiva.

Ao integrar tecnologia e SSMA, as empresas podem otimizar a eficiência operacional, reduzir custos e aumentar a competitividade no mercado.

Portanto, investir em soluções tecnológicas especializadas é essencial para implementar com sucesso o SSMA e alcançar os melhores resultados em termos de segurança, saúde e sustentabilidade.

A rentabilidade da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas é uma escolha inteligente para cortar gastos e direcionar recursos para o core business da organização.

Segundo dados da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), o interesse pelo aluguel de veículos aumentou consideravelmente no Brasil em 2023.

As frotas das locadoras brasileiras fecharam os primeiros 9 meses do ano com 1,5 milhão de carros e utilitários leves.

A perspectiva é de que esse número continue crescendo em 2024, com a expansão das frotas das locadoras e a crescente busca por uma gestão financeira mais equilibrada.

No entanto, é fundamental analisar a viabilidade financeira em cada caso específico. É sobre isso que vamos falar neste artigo. 

Continue lendo para descobrir como a locação de carros pode ser lucrativa para a sua empresa!

O que é locação de carros para empresas?

A locação de carros para empresas é quando uma organização aluga veículos de uma empresa especializada por um período determinado. 

Assim, em vez de comprar os carros, a organização paga uma taxa de aluguel mensal ou por período de uso. 

Isso permite que o gestor tenha acesso a uma frota de veículos sem precisar lidar com os custos de compra, manutenção e depreciação dos carros. 

Dessa forma, essa é uma opção prática e econômica para atender às necessidades de mobilidade das empresas.

Como funciona a locação de carros para empresas?

A locação de carros para empresas funciona de forma bastante simples. 

A empresa interessada em alugar veículos entra em contato com uma locadora de automóveis e firma um contrato de locação. 

Neste contrato, são especificados detalhes como a quantidade de veículos necessários, o período de locação, os serviços incluídos (como seguro e assistência 24 horas), e os valores a serem pagos. 

Logo após a assinatura do contrato, a locadora disponibiliza os veículos requisitados, que podem ser utilizados pela empresa conforme suas necessidades operacionais. 

Ao final do período de locação, os veículos são devolvidos à locadora, encerrando o contrato.

Principais benefícios da locação de carros para empresas

A locação de carros para empresas oferece uma solução econômica, flexível e conveniente para atender às necessidades de mobilidade das empresas.

A seguir, vamos entender os principais benefícios deste tipo de serviço?

Rentabilidade

A locação de carros para empresas elimina os custos de aquisição, manutenção e depreciação de uma frota própria, resultando em economia significativa.

Tarifas exclusivas

As locadoras oferecem tarifas especiais para locação corporativa, garantindo uma relação custo-benefício favorável para os contratos de aluguel de veículos por CNPJ.

Negociação flexível

Geralmente, os termos do contrato podem ser ajustados conforme o tempo de uso, permitindo extensões ou reduções conforme a demanda da empresa.

Ideal para períodos extensos

A locação é uma opção vantajosa para projetos temporários, expansão de negócios ou necessidades sazonais. 

Isso porque ela oferece acesso a uma frota de veículos sem comprometer os recursos financeiros a longo prazo.

Manutenção inclusa

Muitos contratos de locação de carros para empresas incluem serviços de manutenção. 

Isso pode incluir troca de óleo, revisões periódicas e reparos mecânicos, reduzindo o ônus da empresa em relação aos cuidados com os veículos.

Renovação da frota

As locadoras geralmente mantêm uma frota atualizada, com veículos mais novos e tecnologicamente avançados. 

Isso proporciona às empresas acesso a carros modernos, seguros e eficientes, sem a necessidade de investir em constantes atualizações de frota.

Assistência 24 horas

Muitas locadoras oferecem serviços de assistência 24 horas, garantindo suporte em caso de emergências, como panes mecânicas, pneus furados ou acidentes. 

Dessa forma, você e seus condutores têm maior tranquilidade, especialmente durante viagens ou deslocamentos a trabalho.

Localiza: a melhor opção de locação de carros para empresas

Como observamos, a locação de carros para empresas oferece uma série de benefícios que podem contribuir significativamente para a rentabilidade e eficiência operacional das organizações. 

Com tarifas exclusivas, flexibilidade de negociação e uma ampla gama de serviços incluídos, a Localiza se destaca como a melhor opção para empresas que buscam soluções de mobilidade corporativa. 

Além disso, como a maior locadora de veículos da América Latina, a Localiza oferece expertise, confiabilidade e qualidade comprovadas para atender às necessidades de sua frota corporativa.

Conheça a nossa modalidade de aluguel mensal de carros para empresas e economize agora mesmo!

Workflow: o que é e como utilizar na gestão de frotas?

Os fluxos de trabalho, ou workflows, desempenham um papel crucial na manutenção da eficiência das operações, pois simplificam e garantem a consistência dos processos. 

Mas como os workflows se relacionam com as operações de gestão de frotas? 

Este artigo aborda exatamente isso, explorando o papel fundamental dos workflows, exemplos de uso cotidiano e os benefícios transformadores de digitalizar esses processos. 

Então, prepare-se para descobrir como tornar cada parte de sua gestão de frotas mais coordenada e eficiente.

Continue lendo e saiba mais!

Índice:

  1. O que é workflow?
  2. Benefícios do sistema de workflow
  3. Como aplicar o workflow na gestão de frotas?
  4. Como otimizar o sistema de workflow da frota?

O que é workflow?

Os workflows são uma série de tarefas ou processos que devem ser concluídos sequencialmente para alcançar um resultado específico.

Imagine os workflows como blocos de construção projetados para simplificar operações complexas em partes mais gerenciáveis. 

Esses processos são essenciais para manter a organização e eficiência em toda uma empresa. 

Além disso, eles desempenham um papel crucial em operações grandes com muitas partes em movimento e em indústrias onde precisão e timing são essenciais.

Dessa forma, os workflows são como um mapa que orienta cada passo para atingir um objetivo, garantindo que as atividades sejam realizadas de maneira ordenada e eficaz.

Benefícios do sistema de workflow

Implementar um sistema de workflow pode transformar significativamente a maneira como uma empresa opera. 

Isso acontece porque ao estruturar as atividades, é possível alcançar uma operação mais eficiente, consistente e controlada, resultando em melhores resultados globais.

A seguir, confira os principais benefícios do sistema de workflow:

1. Eficiência operacional

Os workflows permitem que as tarefas sejam realizadas de forma mais eficiente, eliminando a necessidade de retrabalho e reduzindo os atrasos. Isso resulta em uma operação mais suave e rápida.

2. Maior produtividade

Ao definir claramente os passos necessários para concluir uma tarefa ou processo, os workflows ajudam a maximizar a produtividade da equipe, garantindo que todos saibam o que precisa ser feito e quando.

3. Consistência e padrões

Os workflows garantem que as tarefas sejam realizadas da mesma maneira toda vez, garantindo consistência e qualidade nos resultados. Isso é especialmente importante em setores onde a precisão é crucial, como a indústria farmacêutica ou de manufatura.

4. Transparência e visibilidade

Com um sistema de workflow, os gestores podem acompanhar facilmente o progresso das tarefas e identificar possíveis gargalos ou atrasos. Isso proporciona uma maior transparência e visibilidade sobre o fluxo de trabalho da empresa.

5. Melhoria do controle e compliance

Os workflows permitem que as empresas definam regras e regulamentos específicos para cada processo, garantindo conformidade com as políticas internas e regulamentações externas.

6. Redução de custos

Ao otimizar os processos e reduzir o tempo necessário para realizar tarefas, os workflows podem ajudar a reduzir os custos operacionais da empresa.

7. Adaptabilidade

Finalmente, os workflows são flexíveis e podem ser facilmente adaptados para lidar com mudanças nas demandas do mercado ou nas operações da empresa. Isso permite uma maior agilidade e capacidade de resposta às mudanças no ambiente de negócios.

Como aplicar o workflow na gestão de frotas?

Os workflows podem desempenhar um papel crucial na gestão de frotas, fornecendo um plano detalhado e organizado para todas as operações. 

Isso pode englobar desde o despacho inicial até a entrega final. 

Além disso, eles garantem que as operações sejam realizadas de maneira segura, eficiente e satisfatória para todos os envolvidos.

Mas como aplicar um sistema de workflow? 

Ao seguir essas etapas, você pode implementar com sucesso um sistema de workflow na gestão de frotas próprias ou alugadas:

Análise de processos existentes

O primeiro passo é realizar uma análise detalhada dos processos de gestão de frotas existentes. 

Isso inclui examinar como os veículos são despachados, como as rotas são planejadas, como a manutenção é agendada, entre outros aspectos. 

Essa análise preliminar ajuda a identificar áreas de ineficiência e oportunidades de melhoria.

Identificação de etapas 

Com base na análise dos processos existentes, identifique as etapas-chave que compõem as operações de gestão de frotas. 

Isso pode incluir , por exemplo, o despacho de veículos, o planejamento de rotas, a manutenção preventiva, a gestão de combustível, entre outros.

Definição de workflows

Agora, defina um workflow detalhado que descreve as atividades a serem realizadas, a sequência de execução e as condições necessárias para avançar para a próxima etapa. 

Por exemplo, um workflow para o despacho de veículos pode incluir a verificação da disponibilidade do veículo, a atribuição do motorista e a confirmação da rota.

Escolha da ferramenta de workflow

Em seguida, selecione uma ferramenta de workflow que atenda às necessidades da sua empresa. 

Existem várias opções disponíveis, desde softwares especializados em gestão de frotas até plataformas de automação de processos empresariais (BPM).

Implementação e integração

A fase de implementação é de suma importância para a eficácia de um sistema de workflow. 

Para isso, é necessário Implementar os workflows definidos na ferramenta escolhida e integrá-los aos sistemas existentes de gestão de frotas. 

Isso inclui os sistemas de rastreamento de veículos, gestão de manutenção e sistemas de gerenciamento de rotas.

Envolva os colaboradores

Da mesma forma, para que um sistema de workflow funcione, é preciso envolver os colaboradores no processo desde o início.

Além disso, uma fase de treino também é necessária. Assim, explique aos funcionários sobre como utilizar o sistema de workflow e como seguir os procedimentos definidos. 

Certifique-se de que todos entendam suas responsabilidades e como as etapas do workflow se relacionam com suas funções.

Monitoramento e melhoria contínua

Uma vez implementado, monitore regularmente o desempenho do sistema de workflow e identifique áreas para melhorias. 

Isso pode envolver a análise de métricas de eficiência, como tempo médio de despacho, tempo de entrega e custo operacional.

Como otimizar o sistema de workflow da frota?

Mesmo com um sistema de workflow, algumas organizações não conseguem obter a eficiência esperada. 

Isso pode ocorrer por uma série de motivos, como problemas com a integração entre sistema e baixa adesão dos funcionários. 

A seguir, confira como melhorar um sistema de workflow:

Identificação de oportunidades de melhoria

Faça uma análise detalhada dos processos existentes para identificar áreas de ineficiência e oportunidades de melhoria.

Simplificação e padronização

Simplifique e padronize os workflows sempre que possível, eliminando etapas desnecessárias e estabelecendo procedimentos consistentes.

Automatização de tarefas repetitivas

Automatize tarefas repetitivas e de baixo valor agregado usando ferramentas de automação de processos. Isso pode incluir o agendamento automático de manutenções ou a geração automática de relatórios.

Integração de sistemas

Integre sistemas de gestão de frotas com outras ferramentas e plataformas utilizadas pela empresa, como sistemas de GPS ou software de gestão de estoque, para garantir uma troca eficiente de dados e informações.

Monitoramento e análise de desempenho

Monitore regularmente o desempenho dos workflows e analise métricas relevantes, como tempo médio de despacho, tempo de entrega e custo operacional, para identificar áreas de melhoria contínua.

Feedback e ajustes

Por fim, solicite feedback dos funcionários que utilizam os workflows no dia a dia e esteja aberto a fazer ajustes com base em suas sugestões e experiências.

Simplifique a gestão de frotas com a Sofit!

Desde a otimização da eficiência operacional até a garantia de conformidade e segurança, os workflows desempenham um papel vital em cada etapa do processo da gestão de frotas.

Eles fornecem uma abordagem estruturada para gerenciar as complexidades das operações de frota, permitindo que você alcance seus objetivos de forma eficaz e eficiente.

Além disso, é importante ressaltar que os workflows se tornam ainda mais poderosos quando combinados com uma ferramenta de gestão de frotas dedicada. 

Essas ferramentas oferecem recursos para automatizar processos, monitorar o desempenho em tempo real e fornecer insights para tomada de decisões informadas. 

Combinar workflows com uma ferramenta de gestão de frotas não apenas aumenta a eficiência, mas também impulsiona a competitividade e o sucesso da sua empresa.

Dessa forma, investir em workflows na gestão de frotas é investir no futuro da organização.

ICMS sobre frete: como calcular e reduzir custos da frota?

Com as constantes mudanças na legislação fiscal, entender como o ICMS sobre frete pode impactar diretamente no seu orçamento é fundamental.

Em 2024, entrou em vigor a nova tabela ICMS interestadual, trazendo consigo importantes mudanças para os contribuintes que realizam operações entre estados.

Por isso, vamos mostrar o que é e como calcular o ICMS sobre frete, baseado nesta nova alíquota.

 Além disso, você descobrirá como obter o crédito de ICMS, evitando prejuízos e mantendo a gestão da frota em conformidade com o fisco. 

Continue lendo e saiba como otimizar os custos da sua frota!

O que é o ICMS sobre frete?

O ICMS sobre frete é o imposto incidente sobre as operações de circulação de mercadorias e prestação de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação. 

Essencialmente, é um tributo estadual cuja alíquota pode variar de acordo com cada Estado (UF).

Em termos simples, o ICMS é um imposto adicionado ao preço dos produtos e serviços, sendo repassado indiretamente ao consumidor final. 

Ele é aplicado sobre a comercialização e circulação de produtos dentro do território nacional, bem como sobre importações.

Além disso, fatores, como o tipo de carga, o porte da empresa e a localidade, influenciam o cálculo do ICMS sobre o frete. 

Portanto, compreender como esse imposto é calculado é crucial para manter uma boa saúde fiscal e evitar problemas com o fisco.

O ICMS sobre frete incide em quais operações?

O ICMS é um tipo de imposto em cascata, já que incide sobre todos os processos de venda. 

Ele está previsto em lei desde 1989 e de lá para cá, já sofreu algumas alterações.

Veja abaixo o que diz a LEI COMPLEMENTAR n.º 87, de 1996:

Art. 2° O imposto incide sobre:

I – operações relativas à circulação de mercadorias, inclusive o fornecimento de alimentação e bebidas em bares, restaurantes e estabelecimentos similares;

II – prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal, por qualquer via, de pessoas, bens, mercadorias ou valores;

III – prestações onerosas de serviços de comunicação, por qualquer meio, inclusive a geração, a emissão, a recepção, a transmissão, a retransmissão, a repetição e a ampliação de comunicação de qualquer natureza;

IV – fornecimento de mercadorias com prestação de serviços não compreendidos na competência tributária dos Municípios;

V – fornecimento de mercadorias com prestação de serviços sujeitos ao imposto sobre serviços, de competência dos Municípios, quando a lei complementar aplicável expressamente o sujeitar à incidência do imposto estadual.

Além disso, ainda conforme a legislação, o imposto incide também sobre:

  1. Entrada de mercadoria importada do exterior por pessoa física ou jurídica, mesmo que seja para consumo ou ativo permanente do estabelecimento.
  2. Entrada de mercadoria ou bem importados do exterior por pessoa física, ou jurídica, mesmo que não seja contribuinte habitual do imposto, independentemente da finalidade.
  3. Serviço prestado no exterior ou cuja prestação tenha se iniciado no exterior.
  4. Entrada, no território do Estado destinatário, de petróleo, lubrificantes, combustíveis líquidos e gasosos deles derivados, e energia elétrica, quando não destinados à comercialização ou industrialização, decorrentes de operações interestaduais, cabendo o imposto ao Estado onde estiver localizado o adquirente.

Quando há isenção do ICMS?

Alguns casos específicos podem resultar na isenção do ICMS. Estes incluem:

  • Produtos e serviços destinados ao exterior, abrangendo produtos primários e industrializados semi-elaborados;
  • Operações interestaduais relacionadas à energia elétrica, petróleo, combustíveis e seus derivados, nos casos de comercialização e industrialização;
  • Operações destinadas à impressão de revistas, jornais, livros e periódicos.
  • Arrendamento mercantil;
  • Aquisição de veículos automotores adaptados para pessoas com deficiência física.
  • Insumos agrícolas e hortifrutigranjeiros;
  • Casos envolvendo ouro utilizado como ativo financeiro ou instrumento cambial.

Dessa forma, conhecer essas situações de isenção pode ser crucial para otimizar os custos relacionados ao frete. 

Além disso, é importante compreender a fiscalização da SEFAZ e seu impacto no custo do frete.

Como funciona a nova alíquota interestadual de ICMS em 2024?

Em 2024, a lei do ICMS sofreu alterações significativas visando simplificar e harmonizar a legislação tributária nacional. 

As principais mudanças incluem:

Redução das alíquotas interestaduais

As regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste tiveram suas alíquotas reduzidas de 12% para 7%. 

Essa medida visa estimular o desenvolvimento dessas regiões e diminuir as disparidades regionais.

Simplificação das regras de partilha

As regras de partilha do ICMS entre os estados de origem e destino foram simplificadas e serão aplicadas de forma uniforme para todas as operações interestaduais.

 Isso independe do tipo de produto ou do regime tributário do contribuinte.

Atualização dos valores das mercadorias

A nova tabela prevê a atualização dos valores das mercadorias sujeitas à substituição tributária, os quais serão reajustados anualmente pelo IPCA.

Vale lembrar que essas alterações visam harmonizar a legislação tributária nacional e facilitar o cumprimento das obrigações fiscais pelos contribuintes. 

Dessa forma, é possível ter maior clareza e previsibilidade no ambiente tributário da sua frota.

Confira a nova tabela:

Como calcular o ICMS?

Para o ICMS incidir sobre o frete, o transporte deve ocorrer entre cidades do mesmo estado (intermunicipal) ou de um estado para outro (interestadual).

Para calcular, você deve considerar sempre o valor total pelo serviço prestado. 

Vamos calcular o ICMS sobre o frete usando um exemplo:

  1. Identifique a alíquota: A alíquota do ICMS varia de estado para estado. Por exemplo, suponha que a alíquota do seu estado seja de 12%.
  2. Calcule a base de cálculo: Imagine que o valor total da mercadoria transportada seja R$2.500,00. Esse é o valor base para o cálculo do ICMS.
  3. Aplique a alíquota à base de cálculo: Multiplicamos o valor base pela alíquota. Nesse caso, R$2.500,00 * 0,12 (12/100) = R$300,00. Esse é o valor do ICMS.
  4. Adicione o ICMS ao valor do frete: Vamos supor que o valor do frete seja R$800,00. Adicionamos o valor do ICMS ao valor do frete: R$800,00 + R$300,00 = R$1.100,00.

Portanto, o valor total do frete, incluindo o ICMS, será de R$1.100,00.

Quando considerar o DIFAL?

O DIFAL, ou Diferencial de Alíquota do ICMS, é um mecanismo criado para equilibrar a arrecadação dos estados.

Vamos para um exemplo prático:

Imagine que você compre uma carga de bananas de uma fazenda em Santa Catarina, onde a alíquota do ICMS é de 7%. 

Porém, você é um distribuidor em Minas Gerais, onde a alíquota interna do ICMS é de 12%.

Nesse caso, como as alíquotas são diferentes nos dois estados, há a incidência do DIFAL. 

Ele é calculado como a diferença entre a alíquota do estado de origem (SC – 7%) e a alíquota do estado de destino (MG – 12%), que é de 5%.

Então, para equilibrar a arrecadação entre os estados, você precisa pagar essa diferença (DIFAL) ao estado de destino (Minas Gerais). 

É uma forma de garantir que cada estado receba sua parte justa da arrecadação do ICMS e promover uma concorrência mais justa entre os produtores de diferentes regiões do país.

Crédito de ICMS, como funciona?

O direito ao crédito de ICMS depende do valor e da alíquota que estão claramente indicados nos campos específicos da nota fiscal. 

Ou seja, não é mais possível calcular o crédito com base em informações adicionais da nota fiscal, como era feito antes. 

Essa alteração busca tornar o processo mais transparente e evitar possíveis interpretações erradas na hora de calcular o crédito de ICMS.

Exemplo prático de aplicação do crédito de ICMS

Imagine que a sua empresa de transporte adquire mercadorias para revenda contabilizando o montante de R$10.000, com uma alíquota de 18% para a compra e a venda.

Dessa forma, você terá um crédito de R$1800 (18% * R$10.000) já que não é o consumidor final.

Agora suponha que, no momento da venda, a mercadoria é repassada por R$15.000. 

Isso gera a obrigação tributária de R$2700 (18% * R$15.000). 

Por fim, para acertar as contas junto ao fisco estadual, a sua empresa terá como obrigação o desembolso de R$900 e não R$2700, pois já tinha um direito contabilizado de R$1800 (R$2700 – R$1800).

E, na prática, como receber o crédito?

Para empresas frotistas, o crédito de ICMS é baseado em cima do imposto cobrado sobre o combustível utilizado durante as viagens. 

Note que você já paga o ICMS sobre a operação (seja de transporte de passageiros ou de mercadoria).

Então, quando o veículo é abastecido, a sua empresa paga novamente o mesmo imposto. 

Ou seja, existe uma bitributação e você tem o direito de abater uma delas.

Mas, quem é o responsável por fazer isso?

A fornecedora do cartão de combustível é quem deve fazer a recolha das notas fiscais nos postos, organizar a documentação e enviar para que o gestor de frotas faça o pedido de crédito.

Então, ainda tem dúvidas sobre o ICMS sobre frete? 

Como vimos, é importante automatizar o recolhimento adequado das notas fiscais para garantir a creditação correta do ICMS. 

Ao manter sua empresa de transporte em conformidade com as obrigações fiscais, você fortalece sua posição no mercado, abrindo caminho para um crescimento sustentável.

Na Localiza, estamos comprometidos em fornecer as soluções, como a Sofit, que auxiliam os nossos clientes a enfrentar os desafios tributários com eficiência e tranquilidade. 

Juntos, podemos impulsionar o sucesso e a prosperidade dos negócios de transporte.

Controle de jornada do motorista: tudo o que você precisa saber!

O controle de jornada do motorista é uma das principais responsabilidades do gestor de frotas. 

Entretanto, para gerenciar da melhor forma possível e cumprir a lei, é preciso adotar estratégias e ferramentas para monitorar a jornada.

Por muito tempo, esse gerenciamento das atividades dos condutores foi realizado por meio de controles manuais, como diários e fichas. 

No entanto, com o acesso cada vez mais amplo aos recursos tecnológicos, o uso desses controles vem sendo substituído por soluções mais tecnológicas.

Por isso, vamos falar da importância do controle de jornada do motorista e dar dicas para melhorá-lo com a ajuda da tecnologia. Acompanhe!

Qual a importância do controle de jornada do motorista?

É nesse controle que se concentram todos os custos e receitas da operação logística, como a quantidade de combustível usado e receita gerada em uma viagem. 

Dessa forma, o controle de jornada de motorista garante a eficiência da operação e também o bem-estar do condutor, para que ele possa estar em plena condição para exercer suas atividades.

Além disso, é de extrema importância para que o empregador esteja agindo dentro da Lei 13.103/15  que regulamenta as condições de transporte. 

Veja a seguir mais detalhes sobre a importância do controle de jornada de motoristas.

Atuar conforme a lei

Como mencionamos, existe uma lei que regulamenta as relações entre condutores e empregadores.  

Por isso, é importante conhecer todo o teor da legislação, compreender suas últimas alterações e estudar como elas afetam o funcionamento da empresa.

Essa iniciativa é de fundamental importância para preservar os direitos e obrigações nas relações de trabalho. 

Assim, é melhor estar informado e seguir as normativas, do que ter de amargar prejuízos com multas e indenizações posteriormente.

Mensuração das horas extras

Como acontece em outras profissões, o motorista também tem direito à remuneração das horas extraordinárias. 

Conforme a legislação, a jornada de trabalho tem duração de até 8 horas diárias, sendo possível acrescentar até 2 horas extras por dia. 

Logo, ter o controle de jornada do motorista utilizando um registro é fundamental para o acompanhamento e comprovação das horas trabalhadas.

Avaliação de desempenho

Com o mercado cada vez mais competitivo, e considerando que o foco atual do mercado é em performance, avaliar o desempenho dos motoristas é fundamental para o crescimento do negócio.

Geralmente, essa equação é medida pela relação do tempo total que o condutor emprega para transportar a carga em segurança. 

Dessa forma, o controle da jornada de trabalho do motorista também serve para monitorar o desempenho deles ao longo do tempo.

Quais os direitos dos motoristas?

A lei do motorista estabelece regras, direitos e deveres específicos para o exercício da profissão. 

Isso inclui limites para a jornada diária de trabalho, intervalos para refeições e repouso, e o tempo máximo de espera durante as operações de carga e descarga. 

Por isso, conhecer esses direitos é fundamental para garantir a segurança e o bem-estar dos motoristas, bem como a conformidade legal das operações de transporte.

Entre os principais direitos dos motoristas, destacam-se:

1. Jornada de trabalho de até 8 horas diárias, com possibilidade de até 2 horas extras mediante acordo coletivo;

2. Intervalo obrigatório de 30 minutos a cada 6 horas de direção em transporte de carga, e a cada 4 horas em transporte de passageiros.

3. Repouso diário de no mínimo 11 horas, sem possibilidade de fracionamento.

4. Consideração do tempo de espera durante operações de carga e descarga como hora de trabalho normal.

5. Registro confiável e autêntico da jornada de trabalho, preferencialmente por meio de sistemas eletrônicos de controle.

Além disso, a lei exige a realização periódica de exames toxicológicos, a confidencialidade dos resultados e estabelece penalidades para o descumprimento das normas.

Portanto, compreender e respeitar os direitos dos motoristas é essencial para promover um ambiente de trabalho seguro e saudável, além de garantir a conformidade legal das operações de transporte.

7 maneiras do gestor otimizar o controle de motoristas

Veja a seguir as principais formas para você fazer um controle de jornada do motorista de forma eficiente:

Usar diários de bordo

O diário de bordo é uma maneira de o motorista fazer as anotações de todas as suas atividades ao longo do percurso. 

Isso inclui situações adversas, horários de parada e também horas trabalhadas. 

Apesar de ser um recurso antigo, o diário de bordo ainda pode se usado para comprovar a jornada de trabalho, exercendo assim, a função de controle de ponto.

Controlar o ponto manualmente

O controle de ponto manual é uma forma de registrar o horário de início da viagem e os horários de descanso, até o término do deslocamento. 

Dessa forma, os dados são entregues ao empregador para ele calcular o pagamento ou comparar com o registro eletrônico.

Usar um sistema de monitoramento eletrônico

A tecnologia é capaz de resolver importantes questões envolvendo o controle de ponto de motoristas, pois elimina erros e divergências na marcação. 

Isso é possível com um sistema de monitoramento eletrônico.

O software pode ser ligado ao sistema do caminhão ou registrado manualmente. 

Para isso, basta que o motorista registre a entrada ou saída de um ponto de descanso. 

Além disso, esses sistemas são confiáveis e aceitos pelo MTE para comprovar a jornada, sendo um investimento que pode trazer mais segurança para a empresa e para o funcionário.

Estabelecer metas e indicadores de desempenho

Definir metas claras e indicadores de desempenho pode ajudar a manter os motoristas responsáveis por seu desempenho. 

Isso inclui métricas como tempo de entrega, eficiência de combustível, segurança na direção e pontualidade, que podem ser acompanhadas e avaliadas regularmente.

Fornecer treinamento e feedback constante

Investir em treinamento contínuo e fornecer feedback regular aos motoristas pode ajudá-los a melhorar seu desempenho e aderir às políticas e procedimentos da empresa. 

Isso pode incluir treinamento em segurança na direção, economia de combustível e uso adequado dos sistemas de monitoramento.

Automatizar processos administrativos

A automação de processos administrativos é outra prática que melhora o controle de jornada do motorista. 

Isso porque a automatização garante o acesso facilitado ao registro de horas trabalhadas, tempos de descanso e relatórios de desempenho. 

Dessa forma, é possível reduzir a carga de trabalho do gestor de frotas e garantir uma gestão mais eficiente e precisa dos motoristas.

Terceirizar a frota

A terceirização de frotas é uma opção viável para muitas empresas. 

É que essa prática permite que o gestor de frotas concentre-se mais no controle e supervisão dos motoristas, em vez de lidar com a gestão operacional dos veículos. 

Isso libera tempo e recursos para que o gestor possa focar em estratégias de melhoria do desempenho dos motoristas e otimização das operações da frota.

Conte com a Sofit para o controle de jornada do motorista!

Em resumo, garantir o controle adequado da jornada do motorista é essencial para a segurança e eficiência das operações com frotas. 

Ao terceirizar a gestão da frota, os gestores podem dedicar mais tempo ao controle dos motoristas. 

Isso significa que eles têm tempo para implementar melhores sistemas de controle de jornada.

Para os clientes corporativos da Localiza, a Sofit é uma ferramenta super útil!

Ela oferece recursos como acompanhamento em tempo real, registro de horas trabalhadas e identificação de rotas. 

Com a Sofit, é possível garantir que os motoristas cumpram as regulamentações de trabalho e que as operações das frotas sejam mais seguras e eficientes. 

Quer saber mais sobre como a Sofit pode ajudar? Entre em contato conosco hoje mesmo!

Como fazer o planejamento de rotas para sua frota?

Já parou para pensar como um bom planejamento de rotas pode transformar a eficiência e os resultados do seu negócio de entregas ou transporte logístico? 

Se sim, você está no lugar certo! 

Caso contrário, este é o momento perfeito para descobrir como essa prática pode reduzir custos, aumentar a capacidade de entrega e elevar a satisfação dos seus clientes.

Neste artigo, vamos explorar a importância do planejamento de rotas e apresentar seis dicas essenciais para otimizar esse processo. 

Desde o mapeamento da operação até o uso de tecnologias inovadoras, vamos mostrar como rotas bem planejadas auxiliam a alcançar resultados extraordinários. 

Continue lendo e saiba mais!

O que é o planejamento de rotas?

O planejamento de rotas é um processo estratégico que visa otimizar as operações de transporte e logística de uma empresa. 

Ele envolve a definição das rotas mais eficientes e econômicas para o deslocamento dos veículos, considerando diversos fatores, como:

  • Distâncias a percorrer;
  • Tempo de viagem;
  • Condições das estradas;
  • Demanda de clientes e;
  • Restrições operacionais.

Dessa forma, o planejamento de rotas é essencial para maximizar a utilização dos veículos, reduzir custos operacionais, minimizar o consumo de combustível e aumentar a produtividade da equipe. 

Benefícios de um planejamento de rotas? 

Um bom planejamento de rotas contribui para melhorar a qualidade dos serviços prestados de uma forma geral, o que o torna indispensável na gestão de frotas.

Além disso, ele garante que as entregas sejam mais rápidas e pontuais, o que resulta em maior satisfação dos clientes.

Ao investir em um planejamento de rotas eficiente, o gestor pode transformar a logística da empresa, tornando-a mais ágil, eficiente e competitiva no mercado.

A seguir, confira os principais benefícios de um bom planejamento de rotas:

Redução de custos

Um planejamento de rotas eficiente permite a otimização do uso de combustível e a minimização do desgaste dos veículos, resultando em uma redução significativa nos custos operacionais da frota.

Aumento da produtividade

Rotas bem planejadas ajudam a evitar atrasos e desperdícios de tempo, permitindo que os motoristas realizem mais entregas em menos tempo, aumentando assim a produtividade da equipe.

Maior pontualidade nas entregas

Com rotas pré-determinadas e otimizadas, é possível garantir que as entregas sejam feitas dentro do prazo estipulado, proporcionando uma experiência positiva aos clientes e fortalecendo a reputação da empresa.

Redução de emissões de carbono

Ao minimizar as distâncias percorridas e otimizar o uso dos veículos, o planejamento de rotas contribui para a redução das emissões de gases de efeito estufa e para a promoção da sustentabilidade ambiental.

Melhoria na gestão de recursos

Um planejamento de rotas eficaz permite uma melhor alocação de recursos, como veículos e motoristas, garantindo que cada recurso seja utilizado de forma eficiente e maximizando o retorno sobre o investimento.

6 dicas para um bom planejamento de rotas

Agora que você já entende a importância e os benefícios do planejamento de rotas para a sua frota, vamos entender como colocar o plano em prática?

A seguir, reunimos as principais recomendações de profissionais do setor sobre como fazer um bom planejamento de rotas. Confira!

Claro, aqui estão seis recomendações para fazer um bom planejamento de rotas:

1. Analise e mapeie as demandas

Antes de planejar as rotas, é essencial entender as demandas dos clientes. 

Isso inclui identificar os locais de entrega, os horários preferenciais de recebimento e quaisquer requisitos especiais, como a necessidade de agendamento prévio. 

Ao mapear essas demandas, você pode criar rotas mais eficientes e adaptadas às necessidades específicas de cada cliente, garantindo uma melhor experiência de serviço.

2. Utilize tecnologias de roteirização

Investir em sistemas de roteirização e otimização de rotas pode fazer uma grande diferença na eficiência do planejamento. 

Essas tecnologias utilizam algoritmos avançados para calcular as melhores rotas com base em uma variedade de fatores, como distância, tráfego, restrições de veículos e horários de entrega.

Isso permite que você crie rotas mais eficientes e econômicas, economizando tempo e dinheiro.

3. Considere restrições operacionais

Ao planejar as rotas, é importante levar em consideração as restrições operacionais específicas da sua frota.

Isso pode incluir limitações de peso, tamanho e capacidade dos veículos, bem como regulamentações de tráfego e restrições de acesso a certas áreas. 

Quando você considera essas restrições desde o início, pode evitar problemas no planejamento das rotas e garantir uma operação suave e eficiente.

4. Priorizar eficiência e economia

Uma das principais metas do planejamento de rotas é maximizar a eficiência e economia. 

Isso significa criar rotas que minimizem a distância total percorrida e otimizem o uso de combustível. 

Dessa forma, ao priorizar a eficiência e economia, você pode reduzir significativamente os custos operacionais da frota. 

Além disso, também aumenta a produtividade e a rentabilidade do negócio.

5. Monitorar e atualizar rotas regularmente

O planejamento de rotas não é um processo estático, e é importante monitorar e atualizar as rotas regularmente. 

Isso inclui acompanhar as condições de tráfego em tempo real, responder a mudanças na demanda dos clientes e fazer ajustes conforme necessário. 

Ao manter um acompanhamento constante das rotas e fazer atualizações regulares, você pode garantir que sua frota esteja sempre operando de forma eficiente e eficaz.

6. Invista em capacitação e comunicação com os motoristas

Por fim, é fundamental capacitar e comunicar-se de forma eficaz com os motoristas sobre as rotas estabelecidas.

Isso ajuda na adesão às instruções e fornece um canal aberto de comunicação para feedback e sugestões, que pode fazer diferença na execução do planejamento de rotas. 

Além disso, motoristas bem treinados e informados são essenciais para garantir que as rotas sejam seguidas corretamente e que quaisquer problemas ou desafios sejam abordados de forma rápida e eficiente.

Conte com a ajuda da Sofit!

Em suma, um planejamento de rotas eficiente é crucial para o sucesso de qualquer operação logística. 

Ao considerar as demandas dos clientes, utilizar tecnologias e atualizar rotas regularmente, é possível otimizar a eficiência, reduzir custos e melhorar a satisfação do cliente. 

A boa notícia é que empresas que alugam veículos com a Localiza agora contam com a Sofit, e acessam soluções personalizadas de roteirização e otimização de rotas para atender às necessidades específicas de suas empresas. 

Portanto, entre em contato conosco hoje mesmo e descubra como podemos ajudar a otimizar o seu planejamento de rotas e impulsionar o seu negócio para o próximo nível!