Posts

Validade do pneu e vida útil dos veículos: entenda relação

A validade do pneu nem sempre é seguida à risca pelos gestores de frota. 

Contudo, negligenciar o controle desse componente pode colocar em risco a segurança dos condutores e o desempenho da sua frota.

Por isso, preparamos um artigo com tudo o que você precisa saber sobre a validade do pneu. 

Entenda por que respeitar esse vencimento é importante e quais os riscos de utilizar pneus vencidos. Confira!

Índice:

  1. Qual a validade de um pneu?
  2. Como ver a validade do pneu? 
  3. Por que os pneus têm data de validade?
  4. Quais são os riscos de rodar com pneu vencido?
  5. Como saber quando está na hora de trocar os pneus?
  6. Como fazer a manutenção de pneus?

Qual a validade de um pneu?

Apesar de o pneu não ter prazo de validade, ele possui um prazo de garantia de 5 anos estabelecido pelos fabricantes, segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP).

Embora as empresas forneçam um prazo médio de garantia, diversos fatores podem reduzir a validade do pneu. 

Confira os principais a seguir:

  • Adequação e instalação;
  • Pressão;
  • Capacidade de carregamento;
  • Alinhamento com a roda;
  • Velocidade do carro;
  • Temperatura dos pneus;
  • Status do chassi;
  • Condições de estrada.

Como ver a validade do pneu? 

Para verificar o prazo de garantia do pneu, primeiro você deve identificar o fabricante e o prazo de garantia recomendado.

Em seguida, é preciso encontrar a data de fabricação do pneu, que pode ser visualizada na nota fiscal. 

Caso você não tenha acesso a este documento, também é possível conferir uma sequência de 12 letras e números presentes no DOT. 

É um código alfanumérico presente na lateral do pneu, que informa a marca, tamanho e também a data de fabricação. 

Essa data é registrada nos quatro últimos números, que dizem respeito à semana do ano em que o pneu foi produzido.

Funciona assim:

  • Primeiro, observe a lateral do pneu e encontre o DOT. 
  • Em seguida, imagine que os quatro últimos números sejam 0313.

Dessa forma, o número 03 significa que o pneu foi fabricado na 03ª semana do ano, e o 13 significa que a fabricação ocorreu em 2013.

Então, considerando que a 03ª semana está no mês de janeiro e que a validade do pneu é de cinco anos, a data de vencimento daquele pneu será em janeiro de 2018.

Por que os pneus têm data de validade?

Apesar de a validade do pneu ser indeterminada, estes materiais continuam sujeitos ao desgaste pelo uso. 

Além disso, sofrem também com a ação do tempo, das variações de temperatura e do ambiente.

Assim, o pneu pode sofrer desgastes químicos e físicos que não dizem respeito diretamente ao atrito com o piso. 

Portanto, ele pode ressecar, perder a flexibilidade e apresentar problemas decorrentes desta situação.

Ademais, vale lembrar que mesmo o pneu estepe, que não está rodando, é afetado pelas condições externas e também deve ter sua data de validade observada.

Quais são os riscos de rodar com pneu vencido?

Assim como um pneu careca coloca um veículo em risco, o pneu vencido pode perder a resistência e a aderência ao piso. 

Dessa forma, ele ficará mais sujeito a furos e fissuras na borracha e pode estourar a qualquer momento, além de tornar-se mais propenso a derrapagens.

Além disso, os pneus vencidos tendem a ter sua estrutura deslocada. 

Isso significa que toda a estrutura de aço que dá forma e resistência ao pneu pode mudar de posição, perdendo a função e interferindo na rodagem do veículo.

Logo, quando a estrutura de um pneu se desloca, os ocupantes do veículo têm a sensação de que a roda está oval ou de que a rodagem está sendo feita sobre um piso irregular. 

Contudo, além do desconforto, o deslocamento da estrutura pode comprometer a estabilidade e a aderência do pneu à pista.

Naturalmente, essas condições favorecem acidentes e devem ser prevenidas a todo custo.

Como saber quando está na hora de trocar os pneus?

Para saber quando trocar os pneus, além da validade, avalie o desgaste.

Neste caso, verifique a profundidade dos sulcos, que não pode ser menor que 1,6 milímetros.

Para isso, você pode usar um paquímetro ou conferir a sigla TWI, localizada na lateral do pneu.

Essa sigla indica a posição do TWI, ressaltos nos sulcos dos pneus que mostram o limite mínimo de profundidade ou máximo de desgaste do pneu.

Assim, quando o pneu estiver vencido ou quando ele chegar nas marcas do TWI, é hora de trocar.

Como fazer a manutenção de pneus?

Os pneus são uma parte vital do seu veículo. Eles são a única coisa entre os seus condutores e a estrada. 

Assim, pneus bem conservados durarão mais, aumentarão sua eficiência de combustível, o desempenho e, o mais importante, contribuirão para sua segurança geral na estrada.

Para isso, mantenha uma rotina de manutenção, observando os itens a seguir:

  • Mantenha seus pneus devidamente calibrados;
  • Recorra ao rodízio de pneus (caso o fabricante recomende);
  • Faça o alinhamento das rodas;
  • Certifique regularmente de que seus pneus estejam balanceados;
  • Inspecione seus pneus com frequência;
  • Troque seus pneus de acordo com as condições de tempo;
  • Não misture e combine pneus;
  • Substitua os pneus quando necessário.

Confira abaixo como proceder com a manutenção no que se refere aos itens mais importantes do processo (calibragem, alinhamento e balanceamento):

Calibragem

A respeito da calibragem, o ideal é verificar uma vez por semana, sem deixar de lado o estepe. 

Nesse ponto, vale destacar que é interessante checar a calibragem com os pneus frios logo após eles terem rodado no máximo três quilômetros. 

Isso porque a pressão tende a aumentar quando os pneus esquentam.

No caso do pneu reserva é importante que ele tenha uma calibragem um pouco maior do que a mais alta recomendada no manual do veículo.

Alinhamento

O alinhamento da direção interfere na durabilidade dos pneus e na dirigibilidade do veículo. 

Portanto, ele precisa ser feito regularmente, a cada cinco mil quilômetros e sempre que os pneus forem trocados.

Contudo, outros sinais podem exigir que o alinhamento seja refeito antes desse prazo. Por exemplo, o desgaste excessivo das bandas de rodagem. 

Ou ainda, o desgaste em forma de escama pode indicar a necessidade de antecipar o alinhamento.

Trepidação da roda, desvios na direção na frenagem ou quando o volante é solto, vibração do carro e volante pesado também podem ser indicativos.

Balanceamento

O balanceamento de pneus é importante para garantir o melhor desempenho de um veículo e para aumentar a vida útil dos pneus

Dessa forma, o balanceamento proporciona viagens mais fluidas e seguras. 

Além disso, garante um desgaste uniforme, ajustando a distribuição do peso ao redor do veículo.

Conheça a Sofit para gestão de frota

Em resumo, garantir a segurança e eficiência dos pneus é crucial para qualquer frota. 

Com o Controle de Pneus Sofit, você gerencia custos e processos de forma simples, desde a compra até o descarte. 

Tenha uma visão completa dos gastos, personalize as informações conforme sua necessidade e conte com suporte especializado para integrar o sistema à sua operação. 

Invista na Sofit para garantir conformidade, eficiência e economia na gestão da sua frota, seja ela própria ou alugada.

Conheça os tipos de desgaste de pneus

Quem está à frente da manutenção de uma frota de veículos compreende a importância de identificar e compreender os diferentes tipos de desgaste de pneus. 

Esses componentes essenciais não apenas impactam diretamente na segurança e desempenho dos veículos, mas também desempenham um papel crucial na eficiência operacional e nos custos de manutenção. 

Neste artigo, exploraremos de maneira abrangente os tipos de desgaste que os pneus podem apresentar, oferecendo dicas valiosas para garantir o melhor desempenho e durabilidade.

Continue lendo e saiba mais!

Índice:

  1. Quais são os tipos de desgaste de pneus?
  2. O que causa o desgaste de pneus?
  3. Como minimizar o desgaste dos pneus?
  4. Por que monitorar os pneus dos veículos da frota?
  5. A Sofit otimiza a manutenção dos pneus da sua frota!

Quais são os tipos de desgaste de pneus?

Cada padrão de desgaste no pneu pode indicar problemas específicos que impactam no desempenho e na segurança dos veículos. 

Dessa forma, gestores de frota devem estar atentos aos diversos tipos de desgaste de pneus. 

Aqui estão alguns dos principais tipos de desgaste:

Desgaste central

O desgaste central, ocorrido no centro da banda de rodagem, é resultado da pressão excessiva dos pneus. Essa condição não apenas desequilibra o veículo, mas também eleva o risco de estouro dos pneus. Portanto, extrema atenção durante a calibragem é crucial.

Desgaste unilateral

Quando o desgaste afeta apenas um lado do pneu, geralmente indica um problema de alinhamento ou distribuição de carga inadequada. Falhas na suspensão e excesso de peso podem agravar ainda mais esse desgaste. Fique atento para evitar esse problema.

Desgaste localizado

Concentrado em uma área específica do pneu, o desgaste localizado surge após frenagens bruscas, derrapagens ou bloqueios. Verifique regularmente os sistemas ABS e de frenagem, além de evitar frenagens abruptas para prevenir esse tipo de desgaste.

Desgaste irregular

Quando a manutenção, como o rodízio de pneus, é negligenciada, o desgaste irregular pode ocorrer. Desalinhamento, problemas na suspensão e baixa pressão contribuem para esse desgaste. Manutenção preventiva é a chave para evitar irregularidades.

Desgaste por escamação

O desgaste escamado, com aspecto de dente de serra, pode gerar ruídos constantes. Por isso, escolher pneus adequados para as condições da estrada minimiza esse desgaste, evitando pneus de média ou baixa severidade em terrenos acidentados, por exemplo.

Desgaste serrilhado

Observado nas bordas do pneu, o desgaste serrilhado ocorre devido a fricções anormais na estrada. Geralmente ligado a problemas de alinhamento, a solução envolve o ajuste imediato do alinhamento do veículo.

Desgaste nas bordas ou “ombros”

Os ombros, responsáveis por unir o centro da banda às laterais, podem sofrer desgaste por diversas razões. Calibragem inadequada, vazamentos, sobrecarga e curvas em alta velocidade podem afetar essa região. Verifique regularmente para manter a integridade dos ombros.

Desgaste por condução desportiva

Manobras em alta velocidade podem causar degradação da borracha e danos irreversíveis, caracterizando o desgaste por condução desportiva. Conscientização e treinamento dos motoristas são fundamentais para prevenir esse tipo de desgaste e garantir uma condução segura.

O que causa o desgaste de pneus?

O desgaste dos pneus em uma frota de veículos pode ser atribuído a vários fatores, influenciando diretamente na eficiência operacional e nos custos de manutenção.

Assim, ao compreender essas causas, você pode implementar práticas de manutenção e prevenção, visando otimizar a durabilidade do pneu e a eficiência operacional da frota.

Entre as principais causas do desgaste de pneus, destacam-se:

  • Alinhamento inadequado: Uma geometria incorreta na configuração das rodas pode resultar em desgaste irregular dos pneus, impactando negativamente na dirigibilidade e na durabilidade dos mesmos.
  • Pressão incorreta dos pneus: Manter a pressão adequada é essencial para evitar desgaste desigual, melhorar a eficiência do combustível e garantir a segurança dos veículos.
  • Mau estado das estradas: Condições precárias das vias, com buracos e irregularidades, contribuem para um desgaste mais acelerado dos pneus.
  • Frenagem brusca: Frequentes frenagens abruptas podem causar desgaste excessivo na banda de rodagem, comprometendo a vida útil dos pneus.
  • Veículos desalinhados: Carros ou caminhões fora de alinhamento tendem a experimentar desgaste desigual, afetando a estabilidade e eficiência do veículo.
  • Excesso de carga: Sobrecarregar os veículos além de suas capacidades recomendadas pode resultar em desgaste prematuro dos pneus, impactando negativamente no desempenho e na segurança.

Como minimizar o desgaste dos pneus?

Independente da marca do pneu, para minimizar o desgaste dos pneus é fundamental adotar práticas de manutenção regular. 

Em primeiro lugar, garanta que os pneus estejam com a pressão correta, nem muito cheios, nem muito vazios, seguindo as instruções do fabricante.

Por vezes, faça o alinhamento e o balanceamento dos pneus para ter certeza de que estão “pisando” da melhor forma, na estrada.

Além disso, não esqueça de trocar os pneus de lugar de tempos em tempos, conforme o manual do veículo orienta, isso ajuda a gastar tudo de forma mais igual.

Da mesma forma, é importante falar para os motoristas dirigirem suavemente, evitando frear forte ou fazer curvas muito fechadas, já que essas manobras podem causar desgaste irregular.

Por último, escolha pneus que combinem com o tipo de estrada e com o jeito que o veículo é usado. 

Isso é essencial para garantir a durabilidade e para cuidar do controle de pneus, inclusive quando for necessário fazer a vulcanização.

Por que monitorar os pneus dos veículos da frota?

Monitorar os pneus dos veículos de uma frota é crucial para um gestor por diversos motivos. 

Em primeiro lugar, o desgaste inadequado dos pneus pode levar a problemas de segurança, como redução da aderência e aumento do risco de acidentes. 

Além disso, o desgaste excessivo dos pneus pode resultar em custos adicionais de substituição, impactando negativamente o orçamento da frota.

O monitoramento regular dos pneus também pode fornecer insights sobre o desempenho dos veículos e indicar possíveis problemas mecânicos. 

Por exemplo, um desgaste desigual pode indicar problemas de alinhamento ou suspensão, enquanto a pressão inadequada dos pneus pode afetar a eficiência do combustível.

Assim, ao adotar práticas de monitoramento, você pode implementar ações corretivas proativas, como ajustes de alinhamento, correção de pressão dos pneus e rodízio adequado.

Isso não apenas maximiza a segurança dos veículos, mas também contribui para a economia de combustível e prolonga a vida útil dos pneus.

A Sofit otimiza a manutenção dos pneus da sua frota!

A Sofit oferece uma solução abrangente de gestão de frota, proporcionando monitoramento eficaz dos veículos. 

Por meio da nossa plataforma, é possível acompanhar o desempenho dos pneus, contribuindo para a eficiência operacional e redução de custos. 

Com recursos avançados, como alertas de manutenção e análise de dados, te ajudamos a identificar padrões de desgaste e a tomar decisões informadas para maximizar a performance da frota.

Saiba mais sobre o nosso recurso para controle de pneus agora mesmo!

As melhores marcas de pneus para frotas de caminhões

Para gestores de frota, a escolha das melhores marcas de pneus é mais do que apenas uma decisão operacional; é uma questão de segurança, eficiência e economia. 

Os pneus são um dos componentes mais críticos de um veículo de carga, influenciando diretamente o desempenho, o consumo de combustível e a segurança nas estradas. 

Portanto, saber quais são as melhores marcas de pneus e como escolhê-los de maneira adequada é essencial para manter uma frota saudável e eficiente.

Neste artigo, vamos explorar as melhores marcas de pneus disponíveis no mercado e oferecer orientações valiosas sobre como fazer a escolha certa para a sua frota. 

Além disso, abordaremos a importância de acertar na escolha dos pneus e discutiremos as principais multas relacionadas a pneus que os gestores de frota precisam evitar.

Continue lendo para saber mais!

Índice:

  1. Quais são as melhores marcas de pneus?
  2. Quais as principais multas relacionadas aos pneus?
  3. Conheça os tipos de pneus para caminhão
  4. Como reconhecer um pneu de qualidade?
  5. Saber escolher as melhores marcas de pneus é apenas o primeiro passo!

Quais são as melhores marcas de pneus?

Quando se trata de escolher os pneus certos para sua frota de caminhões, a marca é um fator crucial. 

No Brasil, algumas das melhores marcas de pneus, amplamente reconhecidas por sua qualidade e durabilidade, incluem:

Michelin

A Michelin é uma das marcas mais respeitadas do mercado. Seus pneus são conhecidos por sua alta durabilidade e desempenho consistente, tornando-os ideais para frotas que buscam eficiência e segurança.

Pirelli

Outro nome entre as melhores marcas de pneus é a Pirelli. Sua reputação se baseia na aderência e resistência dos pneus, tornando-os ideais para diferentes condições de estrada.

Bridgestone

Da mesma forma, a Bridgestone é famosa por suas inovações em tecnologia de pneus, o que se traduz em maior durabilidade e eficiência. Seus pneus são uma escolha sólida para frotas que buscam alto desempenho.

Goodyear

Outra boa opção é a Goodyear, uma marca confiável que oferece uma variedade de opções para atender às necessidades de diferentes tipos de frotas. Seus pneus são conhecidos pela durabilidade e resistência.

Hankook

A Hankook é uma marca globalmente reconhecida por sua combinação de desempenho e durabilidade. Seus pneus oferecem excelente aderência em várias condições de estrada.

Continental

Para finalizar a lista com as melhores marcas de pneu, temos a Continental. Uma marca conhecida por sua inovação em tecnologia de pneus e por sua resistência excepcional. Eles são ideais para frotas que valorizam alta qualidade e durabilidade.

Como escolher os pneus certos?

A escolha dos pneus certos vai muito além da marca. 

Por isso, é essencial considerar fatores como o tipo de carga transportada, as condições das estradas e as especificações do veículo. 

Além disso, a pressão dos pneus, a manutenção regular e a substituição oportuna desempenham um papel fundamental na vida útil dos pneus. 

Portanto, um gestor de frota deve estar ciente das necessidades específicas de sua operação e buscar aconselhamento de especialistas em pneus.

Quais as principais multas relacionadas aos pneus?

Muitos gestores de frota enfrentam multas de trânsito relacionadas a pneus, o que pode afetar significativamente o orçamento da empresa. 

Alguns dos tipos mais comuns de infrações incluem:

  • Pneus carecas: Rodar com pneus desgastados é perigoso e sujeito a multas. A profundidade dos sulcos deve estar dentro dos limites legais.
  • Falta de sulcos adequados: Sulcos insuficientes reduzem a aderência, aumentando o risco de acidentes.
  • Pressão incorreta: Pneus com pressão inadequada afetam o consumo de combustível e a vida útil dos pneus.
  • Excesso de peso: Cargas acima do limite legal podem causar danos aos pneus e resultar em multas pesadas.

Sendo assim, manter os pneus em boas condições e realizar inspeções regulares é fundamental para evitar multas e garantir a segurança da frota e dos motoristas.

Conheça os tipos de pneus para caminhão

Quando se trata de pneus para caminhões, não existe uma abordagem única. 

Portanto, o tipo de pneu que você escolhe para sua frota depende de várias variáveis, como o tipo de carga que você transporta, as condições das estradas e as preferências de desempenho. 

Aqui estão alguns dos tipos de pneus mais comuns para caminhões:

  • Regional (Média Severidade): Ideal para estradas brasileiras, os pneus regionais são capazes de enfrentar acidentes, curvas, aclives e declives com eficiência.
  • Pneus Urbanos (Alta Severidade): Projetados para veículos urbanos, esses pneus oferecem aderência e durabilidade necessárias para manobras, acelerações e frenagens variadas nas cidades movimentadas.
  • Pneus de tração (off road): Projetados para melhor aderência em superfícies escorregadias, como lama ou neve. São uma escolha ideal para veículos que frequentemente enfrentam condições de estrada desafiadoras.
  • Pneus rodoviários: Projetados para longas distâncias e velocidades consistentes, ideais para transporte de cargas em rodovias.
  • Pneus de uso misto: Esses pneus oferecem um equilíbrio entre tração e durabilidade. São adequados para frotas que operam em uma variedade de condições.

Como reconhecer um pneu de qualidade?

A escolha de um pneu de qualidade é fundamental para manter a segurança e o desempenho de sua frota. 

Dessa forma, aqui estão algumas características a serem consideradas ao avaliar a qualidade de um pneu:

1. Durabilidade

Pneus de qualidade são projetados para resistir ao desgaste e durar mais tempo. Isso significa menos substituições e economia a longo prazo.

2. Aderência

A aderência adequada é fundamental para a segurança nas estradas. Pneus de qualidade oferecem excelente aderência, reduzindo o risco de derrapagem.

3. Resistência ao calor

Pneus de qualidade são construídos para resistir ao calor gerado pelo atrito, o que ajuda a evitar superaquecimento e desgaste prematuro.

4. Economia de combustível

Pneus eficientes em termos de combustível podem reduzir os custos operacionais. Pneus de qualidade são projetados para minimizar a resistência ao rolamento e economizar combustível.

5. Carga e pressão adequadas

Certificar-se de que os pneus suportam a carga e mantêm a pressão adequada é crucial. Pneus de qualidade são fabricados com tolerâncias rigorosas.

Lembre-se de que a manutenção adequada, como a verificação regular da pressão e a inspeção de desgaste, é igualmente importante para prolongar a vida útil e o desempenho dos pneus. 

Logo, escolher os tipos certos de pneus e mantê-los em ótimas condições é essencial para a segurança e a eficiência de sua frota de caminhões.

Saber escolher as melhores marcas de pneus é apenas o primeiro passo!

Selecionar os pneus ideais para a sua frota de caminhões é fundamental, mas a sua jornada não encerra por aí.

A manutenção e o controle dos pneus desempenham um papel igualmente crucial na garantia da segurança, eficiência e economia da sua frota.

Neste ponto, a Sofit como pode ser uma valiosa aliada para os gestores de frota.

Através de nossa tecnologia inovadora, oferecemos soluções avançadas para o monitoramento e controle de pneus.

Nosso sistema fornece informações em tempo real sobre o estado dos pneus, ajudando a identificar desgastes precoces e garantindo que eles estejam sempre em ótimas condições.

Com o apoio da Sofit, você pode otimizar a manutenção, prolongar a vida útil dos pneus e reduzir os custos operacionais. 

Descubra mais sobre como a Sofit pode ser sua parceira nessa jornada!

Os 5 principais erros no controle de pneus


Um dos itens mais importantes na Gestão de Frota é cuidar com os erros no controle de pneus, que é fundamental para garantir a segurança e a eficiência das operações. Além disso, esses são itens importantes também para o orçamento da área: os gastos com pneus representam cerca de 12% do custo da frota, perdendo apenas para as despesas com combustíveis e manutenções.

Você sabia que, se bem realizado, o controle de pneus aumenta entre 20 e 25% sua vida útil? Um pneu que rodaria 100 mil km pode rodar até 125 mil km. Por outro lado, a manutenção incorreta, além de diminuir a durabilidade do pneu, traz mais gastos e menos segurança para a frota.

Confira a seguir os principais erros cometidos na manutenção dos pneus:

Índice:

1. Não utilizar a pressão indicada pelo fabricante

2. Rodar com pneus carecas e riscá-los

3. Usar remendos para consertar os pneus

4. Negligenciar a suspensão, o balanceamento e o rodízio

5. Falta de Rotação dos Pneus

Não utilizar a pressão indicada pelo fabricante

Se o veículo rodar com o pneu abaixo da pressão indicada pelo fabricante isso fará com que aumente a área de contato com o piso, gerando um desgaste maior de suas extremidades. Isso faz com que o motor faça um maior esforço, aumentando o consumo de combustível.

Porém, o excesso de pressão também é prejudicial: provoca um maior desgaste no centro do pneu, rachaduras na base dos sulcos (com maior propensão a estouros) e faz com que o veículo perca estabilidade.

Rodar com pneus carecas e riscá-los

Você sabe o que são os TWIs (Tread Wear Indicators)? Eles são ressaltos da borracha de 1.6 mm que indicam a profundidade mínima dos sulcos. Se o pneu ultrapassar essa medida, ele é considerado careca. Rodar com ele nesse estado – além de ser passível de multa e autuação – aumenta o risco de aquaplanagem.

Existem ainda alguns motoristas que riscam o pneu para redesenhar os sulcos. Isso compromete a estrutura do pneu, podendo estourar em pleno movimento.

Usar remendos para consertar os pneus

Muitos borracheiros usam um recurso chamado “macarrão”, que é introduzido no pneu como alternativa para restaurar algum furo. Esse recurso não deve ser utilizado, pois permite o vazamento da pressão, provocando os desgastes citados no item 1.

Em caso de furos ou danos causados aos pneus, o correto é substituí-los para maior segurança.

Negligenciar a suspensão, o balanceamento e o rodízio

Uma suspensão mal calibrada e desgastada provoca o desalinhamento da direção e compromete a estabilidade do veículo. Realize o alinhamento das rodas sempre que houver algum impacto – seja na troca do item ou de componentes da suspensão.

Fique atento aos desgastes irregulares, que sinalizam a falta de alinhamento, e também verifique se o veículo não está “puxando” para um lado. Além disso, para igualar os desgastes, é aconselhável realizar o rodízio entre os pneus, aumentando sua durabilidade.

O rodízio deve ser feito de acordo com o indicado no Manual do Proprietário ou a cada oito mil quilômetros para pneus radiais e cinco mil para pneus diagonais.

Falta de Rotação dos Pneus

Os pneus dianteiros e traseiros de um veículo desgastam de maneira diferente devido ao peso e ao funcionamento do sistema de direção. Se os pneus não forem rotacionados regularmente, isso pode resultar em desgaste desigual, o que encurta a vida útil dos pneus e compromete a tração e a estabilidade do veículo.

Siga o programa de rotação de pneus recomendado pelo fabricante do veículo. Normalmente, a rotação deve ser feita a cada 8.000 a 10.000 quilômetros. Isso ajudará a distribuir o desgaste de forma mais uniforme entre os pneus e a prolongar sua vida útil.

Em conclusão, o controle adequado dos pneus é essencial para a segurança e eficiência de qualquer veículo. Evitar esses erros comuns pode prolongar a vida útil dos pneus, melhorar o desempenho do veículo e, mais importante, manter você e seus passageiros seguros na estrada.

Lembre-se de que a manutenção preventiva é a chave para evitar despesas desnecessárias e garantir uma experiência de condução segura e agradável.

Vulcanização de pneus: como fazer de forma segura na sua frota?

A vulcanização de pneus é uma prática comum em empresas de frota, proporcionando uma solução eficaz para prolongar a vida útil dos pneus e reduzir custos operacionais. 

No entanto, assim como em qualquer procedimento, é crucial adotar cuidados específicos para garantir que a vulcanização seja realizada de forma segura e eficiente. 

Neste artigo, exploraremos em detalhes o processo de vulcanização de pneus, seus benefícios e os cuidados essenciais que as empresas de frota devem adotar para assegurar resultados positivos. 

Então, se você busca compreender melhor essa prática e maximizar os benefícios que ela pode trazer para a sua operação, continue a leitura.

Índice:

  1. O que é a vulcanização de pneus?
  2. O pneu vulcanizado é seguro?
  3. Como é o processo da vulcanização de pneus?
  4. Quais cuidados adotar após a vulcanização?
  5. Quanto tempo dura um pneu vulcanizado?
  6. Controle os pneus vulcanizados com a Sofit!

O que é a vulcanização de pneus?

A vulcanização de pneus é um processo que revitaliza pneus desgastados, tornando-os mais resistentes e duráveis. 

Funciona como uma “regeneração” daquele pneu rasgado ou com um corte provocado por algum objeto na estrada. 

Durante a vulcanização, o pneu é aquecido para uma temperatura específica e, em seguida, é tratado com produtos químicos especiais. 

Isso faz com que o pneu recupere suas características originais, como aderência e resistência. 

Assim, pneus que pareciam estar no fim de sua vida útil podem ser usados por mais tempo, o que é ótimo para empresas de frota que buscam economia e eficiência.

O pneu vulcanizado é seguro?

Quando feita corretamente e conforme as orientações do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), a vulcanização de pneus é segura.

No entanto, é importante escolher fornecedores confiáveis e experientes para realizar o processo. Isso garante que todas as etapas sejam seguidas corretamente e que os produtos químicos utilizados sejam apropriados. 

Além disso, é crucial que os pneus vulcanizados sejam periodicamente inspecionados e mantidos, para assegurar sua integridade e desempenho ao longo do tempo.

Confira, a seguir, algumas práticas recomendadas para tornar a vulcanização de pneus mais segura:

  • Siga as Instruções do Fabricante: Siga as instruções do fabricante dos produtos químicos e equipamentos, garantindo que sejam utilizados corretamente.
  • Manutenção Preventiva: Realize manutenções preventivas regulares, como calibragem e balanceamento. Isso ajuda a distribuir o desgaste de maneira uniforme.
  • Respeite o Tempo Adequado: Respeite o tempo necessário para a vulcanização, permitindo que o pneu seja tratado com calma e eficácia.
  • Conformidade com Regulamentações: Esteja ciente das regulamentações locais e nacionais relacionadas à vulcanização de pneus e siga todas as normas e padrões relevantes.
  • Registro e Rastreabilidade: Mantenha registros detalhados de todos os pneus vulcanizados, incluindo informações sobre os produtos químicos usados, as condições de vulcanização e as datas.

Como é o processo da vulcanização de pneus?

1. Preparação do Pneu

Primeiro, o pneu é inspecionado para verificar se está apto para a vulcanização. Se estiver tudo certo, o pneu é limpo e preparado para o processo.

2. Aquecimento

O pneu é aquecido em uma máquina especial. O calor ajuda a amolecer a borracha, tornando-a mais maleável.

3. Adição de Produtos Químicos

Logo após o aquecimento, produtos químicos especiais são aplicados na superfície do pneu. Esses produtos ajudam a rejuvenescer a borracha, tornando-a mais forte e resistente.

4. Tempo de Espera

O pneu é colocado em um ambiente onde os produtos químicos podem fazer efeito. O tempo de espera permite que a borracha absorva os produtos químicos e se transforme em uma borracha “nova”.

5. Resfriamento

Depois de esperar o suficiente, o pneu é resfriado. Isso faz com que a borracha “nova” fique firme e forte novamente.

6. Verificação Final

Antes de voltar a rodar, o pneu é cuidadosamente verificado para garantir que o processo tenha sido bem-sucedido e que tudo esteja seguro.

Quais cuidados adotar após a vulcanização?

Após a vulcanização de pneus, é importante adotar alguns cuidados para garantir que os pneus mantenham seu desempenho e segurança. 

Aqui estão algumas orientações:

  • Alinhamento e Balanceamento: Certifique-se de que os pneus estejam adequadamente alinhados e balanceados. Um alinhamento inadequado pode causar desgaste irregular, afetando a vida útil do pneu.
  • Condução Cautelosa: Dirija com cuidado, evitando frenagens e curvas bruscas. Condução agressiva pode causar desgaste prematuro nos pneus.
  • Carga Adequada: Não sobrecarregue os pneus com carga além da capacidade recomendada. Isso pode causar danos e comprometer a segurança.
  • Evitar Impactos: Evite buracos, obstáculos e guias de maneira cuidadosa. Impactos fortes podem danificar os pneus, mesmo após a vulcanização.
  • Manutenção Preventiva: Realize manutenções preventivas regulares, como rotação de pneus e balanceamento. Isso ajuda a distribuir o desgaste de maneira uniforme.
  • Armazenamento Adequado: Caso tenha pneus sobressalentes, armazene-os no estoque, em local seco e longe da luz solar direta.

Quanto tempo dura um pneu vulcanizado?

A durabilidade de um pneu vulcanizado pode variar dependendo de vários fatores, como o tipo de pneu, as condições de uso, a qualidade do processo de vulcanização e os cuidados após a vulcanização. 

Geralmente, um pneu vulcanizado bem cuidado pode ter uma vida útil prolongada em comparação com um pneu desgastado não tratado, que fica entre 40 a 60 mil quilômetros.

Dessa forma, em média, um pneu vulcanizado pode durar de 20% a 50% a mais do que um pneu não vulcanizado. 

Isso significa alguns meses ou até mesmo em anos adicionais, dependendo das circunstâncias. 

No entanto, é importante lembrar que não existe um tempo exato de vida útil para um pneu vulcanizado, pois isso pode variar amplamente.

Controle os pneus vulcanizados com a Sofit!

Como podemos ver, a vulcanização de pneus é uma estratégia valiosa para prolongar a vida útil dos pneus da sua frota, reduzindo custos e aumentando a segurança. 

Contudo, para tirar o máximo proveito dessa prática, é essencial adotar uma gestão adequada dos pneus. 

E é aí que a funcionalidade de gestão de pneus da Sofit se destaca.

Ao controlar seus pneus desde a aquisição até o descarte, essa funcionalidade oferece uma visão abrangente da vida útil de cada pneu. 

Com ela, você acompanha elementos como marcação de fogo, rodízio, recapagens e km percorridos, e faz análises profundas, permitindo otimizar o uso de um dos itens mais cruciais da sua frota. 

A gestão de pneus da Sofit é uma ferramenta exclusiva disponível no plano avançado, oferecendo a você o controle total sobre seus pneus, garantindo a máxima eficiência, segurança e economia!

Saiba mais e veja uma demonstração dessa funcionalidade agora mesmo!

Durabilidade dos pneus: como aumentar e ainda reduzir custos? 

Se você quer economizar dinheiro e manter os pneus do seu carro em ótimo estado, é importante saber como aumentar a durabilidade deles.  

Com algumas dicas simples e eficazes, você pode prolongar a vida útil dos pneus e evitar gastos desnecessários.  

Descubra aqui como fazer isso e aproveite os benefícios. 

Índice: 

  1. Como aumentar a durabilidade dos pneus?
  2. Conte com a tecnologia para auxiliar nesse processo 

Como aumentar a durabilidade dos pneus? 

Durante as viagens, os motoristas percorrem caminhos que podem ocasionar problemas negativos para os pneus. Esses problemas acabam diminuindo a durabilidade prevista dos pneus e aumentando os custos com manutenção.  

Algumas práticas podem aumentar a durabilidade dos pneus, mas é importante estar atento e seguir orientações seguras. Pois um pneu com defeito pode ocasionar situações de alto risco na estrada. Confira quais são: 

Mantenha a pressão correta dos pneus. 

Uma das maneiras mais simples e eficazes de aumentar a durabilidade dos pneus do seu carro é manter a pressão correta. Pneus com pressão inadequada podem desgastar mais rapidamente e até mesmo causar problemas de segurança.  

Verifique regularmente a pressão dos pneus e certifique-se de enchê-los de acordo com as recomendações do fabricante. Isso não apenas ajudará a prolongar a vida útil dos pneus, mas também melhorará a eficiência do combustível e o desempenho do veículo. 

Faça o alinhamento e balanceamento regularmente. 

Além de manter a pressão correta dos pneus, fazer o alinhamento e balanceamento regularmente também é essencial para aumentar a durabilidade dos pneus do seu carro.  

O alinhamento garante que as rodas estejam todas apontando na mesma direção, evitando desgastes irregulares nos pneus. Já o balanceamento equilibra o peso das rodas, evitando vibrações e desgastes prematuros.  

Essas duas práticas devem ser realizadas a cada 10.000 km ou sempre que você perceber algum problema de direção ou desgaste irregular nos pneus.  

Ao fazer o alinhamento e balanceamento regularmente, você garante uma condução mais segura, economiza dinheiro com a troca prematura de pneus e mantém seu carro em ótimo estado. 

Evite acelerar e frear bruscamente. 

Acelerar e frear bruscamente pode causar um desgaste excessivo nos pneus do seu carro. 

Essas ações repentinas colocam uma pressão extra nos pneus, fazendo com que eles se desgastem mais rapidamente. Além disso, acelerar e frear bruscamente também pode afetar a aderência dos pneus à estrada, aumentando o risco de derrapagens e acidentes. 

Portanto, é importante dirigir de forma suave e gradual, evitando acelerações e frenagens repentinas.  

Isso não apenas aumentará a durabilidade dos seus pneus, mas também contribuirá para uma condução mais segura e confortável. 

Evite dirigir em estradas com buracos e obstáculos. 

Os buracos podem fazer com que os pneus batam no chão com força, resultando em cortes, rasgos ou até mesmo estouros. Além disso, obstáculos como pedras ou objetos pontiagudos podem perfurar os pneus, causando vazamentos de ar.  

Portanto, sempre que possível, evite estradas com condições precárias e opte por rotas mais seguras e bem conservadas.  

Isso ajudará a preservar a durabilidade dos seus pneus e evitará gastos desnecessários com reparos ou substituições. 

Faça rodízio dos pneus regularmente. 

Fazer o rodízio dos pneus regularmente é uma maneira eficaz de aumentar a durabilidade deles. Consiste em trocar a posição dos pneus, movendo-os de um eixo para outro.  

Isso ajuda a distribuir o desgaste de forma mais uniforme, já que os pneus dianteiros tendem a desgastar mais rapidamente do que os traseiros. Além disso, o rodízio também pode ajudar a identificar problemas de alinhamento ou balanceamento, que podem afetar a vida útil dos pneus.  

Consulte o manual do seu carro para saber a frequência recomendada de rodízio e siga as instruções corretamente. 

Conte com a tecnologia para auxiliar nesse processo 

Adote essas práticas com o auxílio de um aplicativo simples . Assim é mais fácil e seguro de realizar o controle de todas essas tarefas.  

O aplicativo lhe avisará quando algum dado estiver inconsistente, diminuindo o risco de registros errados, no qual acontece muito quando o controle é feito em uma planilha de dados.  

A planilha não lhe avisa quando o vencimento do pneu estiver chegando e também não envia alertas com as datas que foram inseridas de forma errada ou que a quilometragem está inconsistente. 

E lembre-se, além de dirigir o veículo com regularidade, evitando buracos, arrancadas ou freadas bruscas, realizar um bom controle de pneus ajudará na redução de custos com manutenção do componentes do veículo e na diminuição de acidentes nas estradas. 

Planilha em excel de controle de pneus

Como fazer sua planilha de controle de pneus + Excel Grátis

Sua frota já conta com uma planilha de controle de pneus para o gerenciamento desses ativos? 

Uma planilha é um instrumento útil para gestores de frota que precisam de um recurso simples e barato para fazer o controle dos pneus.

E quando aliada a uma ferramenta de gestão, a planilha pode ser ainda mais útil, servindo como portas simples de entrada de dados, por exemplo.

Então, se você precisa de uma força para controlar esses ativos, confira algumas dicas para realizar esse gerenciamento e baixe grátis a nossa planilha de controle de pneus!

Índice:

  1. Por que fazer o controle de pneus?
  2. Após quanto tempo um pneu precisa ser trocado?
  3. A importância de conferir o hodômetro
  4. Por que investir numa planilha de controle de pneus?
  5. Como utilizar a planilha para controlar os pneus?
  6. Otimize o seu gerenciamento com uma planilha gratuita de controle de pneus

Por que fazer o controle de pneus?

Fazer o controle de pneus ajuda você a garantir a segurança, a eficiência e a redução de custos. 

Vamos entender o porquê?

Primeiramente, pneus desgastados, danificados ou com pressão inadequada podem aumentar o risco de acidentes. 

Isso é perigoso para o motorista, passageiros e ainda coloca em risco a segurança nas estradas.

Assim, quando você controla os pneus, pode identificar e substituir aqueles que apresentam riscos à segurança.

Além disso, pneus inadequados podem afetar o desempenho do veículo. 

Eles podem aumentar o consumo de combustível e reduzir a vida útil desses ativos. 

Portanto, com o controle de pneus, é possível monitorar o desgaste, a pressão e a qualidade dos pneus, ajudando a manter a eficiência dos veículos da frota.

Após quanto tempo um pneu precisa ser trocado?

Por mais que a sua empresa tenha a sua própria política de troca periódica de pneus, ela deve ser realizada pelo menos a cada 40 mil quilômetros rodados.

Esse marco pode variar um pouco conforme o carro é utilizado e o perfil do veículo, mas não foge muito da média.

Além disso, independente da política de substituição dos pneus da frota de veículos da sua empresa, é importante acompanhar de perto a quilometragem predefinida.

A importância de conferir o hodômetro

Outro fator importante no controle dos pneus da frota é o hodômetro.

É necessário fazer o registro periódico do hodômetro para planejar as trocas com antecedência.

Essa medida simples promove a segurança dos motoristas e demais colaboradores e também evita a ociosidade dos veículos.

Afinal, pneus também têm um prazo de validade, que geralmente é de cinco anos. 

Por isso, além de acompanhar a quilometragem dos veículos, também é importante fazer o acompanhamento da validade dos pneus. 

Assim, você previne o risco de sua frota rodar por aí com pneus fora das especificações do fabricante.

Por que investir numa planilha de controle de pneus?

Investir em uma planilha de controle de pneus é um bom começo para otimizar o gerenciamento e monitoramento dos pneus da frota de forma organizada e eficiente. 

Veja aqui alguns motivos pelos quais isso pode ser vantajoso para sua empresa:

Simples de usar

Uma planilha é uma ferramenta simples e fácil de usar, que permite organizar o estoque de pneus de forma clara e acessível. Com ela, é possível registrar o histórico de cada pneu, incluindo data de compra, preço, desgaste e substituição.

Facilita a tomada de decisão

Com essas informações registradas, você pode controlar os custos e tomar decisões mais assertivas em relação ao controle de manutenção e substituição de pneus. 

Auxilia na identificação de problemas com pneus

É possível identificar problemas com mais facilidade, como desgaste irregular ou pressão inadequada, prevenindo problemas mais graves e reduzindo custos com manutenção.

Ajuda a reduzir o risco de acidentes

Ao controlar os pneus numa planilha, você pode reduzir os riscos de acidentes e problemas relacionados à segurança dos motoristas e passageiros. 

Pode reduzir custos com manutenção

Com a planilha, ainda é possível monitorar e planejar a substituição de pneus de forma mais eficiente, ajudando a manter os veículos em bom estado de conservação e a reduzir custos com manutenção.

Portanto, investir em uma planilha de controle de pneus é uma forma simples e eficaz de garantir a segurança dos motoristas e passageiros, além de reduzir custos com manutenção e aumentar a eficiência da gestão de frotas. 

Como utilizar a planilha para controlar os pneus?

Fazer o gerenciamento dos pneus através da planilha não é algo tão complexo quanto se imagina.

Além disso, os benefícios para sua empresa ao utilizar essa simples ferramenta são inúmeros.

A planilha para iniciantes que desenvolvemos, por exemplo, é bem simples de utilizar:

  1. Para começar, baixe a planilha clicando aqui e ao abrir, clique na aba “Controle”.
  2. Depois, cadastre cada um dos seus veículos.
  3. Agora, sinalize quais serviços foram realizados nos seus pneus — se foram comprados pneus novos ou se foi feito algum reparo ou manutenção — qual foi o fornecedor utilizado, quanto custou e a data em que o serviço foi feito.

Logo após preencher essas informações, as outras abas da planilha automaticamente indicarão:

  • Se você está gastando com cada tipo de serviço — troca, reforma, balanceamento, etc.
  • Quanto cada veículo seu está gastando com pneus.

Além disso, a marcação do hodômetro do veículo em cada um dos serviços mostra o quanto esse veículo rodou até precisar de alguma troca ou ajuste nos pneus.

O controle desses itens — hodômetro, fornecedores e gastos com serviços — permite:

  • Fazer um acompanhamento mais preciso da vida útil de todos os pneus.
  • Identificar o momento ideal para realizar algum ajuste, rodízio ou troca dos pneus.
  • Realizar o gerenciamento dos gastos com os pneus dos veículos da frota.

Por isso, aliar o uso da planilha de controle de pneus com o software de gestão de frotas, é a opção mais adequada.

Isso porque o gerenciamento se torna ainda mais dinâmico, uma vez que o software importa automaticamente esses dados colocados na planilha.

Além disso, o controle se torna ainda mais ágil e eficiente, com o fornecimento de relatórios completos, para comparar os gastos com pneus em relação ao custo total da frota.

Mas para começar a entender a importância desse controle, você pode começar apenas com a planilha e mais tarde implantar o uso software de gestão na sua empresa.

Otimize o seu gerenciamento com uma planilha gratuita de controle de pneus

Realizar o gerenciamento de pneus pode ser uma tarefa árdua para gestores de frota.

Entretanto, contando com as ferramentas certas, essa pode ser uma tarefa bem simples, que oferece vários benefícios para a empresa. 

Afinal, com toda a correria que envolve gerenciar uma frota, o risco de acabar esquecendo de realizar alguma troca, calibragem de pneus, ou manutenção preventiva é alto.

Por isso, baixe a nossa planilha de controle de pneus grátis e comece a usar agora mesmo na sua frota!

Você sabe organizar o estoque de pneus da sua frota? [Planilha grátis]

Você conhece as melhores práticas para organizar o seu estoque de pneus? 

A alta demanda por estes ativos em empresas de frota exige um gerenciamento adequado do estoque, a fim de evitar desperdícios e reduzir custos.

Assim, a maximização do potencial dos pneus e a redução dos custos operacionais associados começam com a boa gestão desses ativos no estoque. 

Por isso, este artigo analisa os fundamentos do controle de estoque de pneus e alguns dos benefícios de como isso pode ajudar na gestão da sua frota. Boa leitura!

Índice:

  1. Qual a importância de ter um estoque de pneus?
  2. Como calcular a quantidade de pneus em estoque?
  3. Como organizar um estoque de pneus
  4. Qual a validade de um pneu?
  5. Cuidados na escolha de fornecedores de pneus
  6. Bônus: 7 dicas para aumentar a vida útil dos pneus
  7. Tecnologia para o gerenciamento e controle de pneus
  8. Baixe grátis: guia para controle de pneus

Qual a importância de ter um estoque de pneus?

Muitos gestores de frota não percebem a importância do controle de estoque de pneus.

Entretanto, há mais a fazer além de comprar o melhor pneu para os seus veículos.

Assim, você tem que saber o quê, quando e quanto comprar. 

Para fazer isso, é necessário acompanhar seu estoque por meio de um bom método manual ou por computador e aplicar o conhecimento adquirido nesse sistema ao seu processo de gestão e compra.

Além disso, sem uma gestão de estoque de pneus adequada, tarefas simples podem se tornar mais complicadas, como:

  • Encontrar um pneu no estoque;
  • Entender quais estão em falta e;
  • Organizar a compra de novos pneus de maneira inteligente.

Finalmente, lembre-se: o controle de pneus é um meio de cortar custos desnecessários, otimizar a manutenção e manter a segurança dos seus colaboradores.

Logo, a falha em controlar seu estoque corretamente resultará em gastos desnecessários e, consequentemente, na diminuição dos lucros.

Como calcular a quantidade de pneus em estoque?

A melhor forma de calcular a quantidade de pneus no estoque é através de um sistema de controle.

Ao alimentar essa tecnologia com dados sobre compras, tipos, além de entradas e saídas dos itens, você conseguirá dimensionar a quantidade de pneus sem problemas.

Essa tecnologia está disponível em sistemas de gestão de frotas como a Sofit, permitindo acompanhar toda a vida útil desse ativo, desde a aquisição, até a recapagem e descarte.

Como organizar um estoque de pneus

A organização de um estoque de pneus começa com a catalogação e inserção em um sistema de estoque. 

Embora seja um processo simples que pode ser realizado rapidamente, é importante seguir algumas boas práticas ao longo do caminho.

Primeiro, não economize nos detalhes. Alguns gestores de frota negligenciam os detalhes e acabam tendo problemas no futuro. 

Por exemplo, além do tamanho do pneu, é essencial registrar a marca, modelo, e outras características do fabricante. 

Um bom programa de inventário de pneus fornecerá uma maneira de capturar todas as informações que você precisa sobre um pneu de maneira rápida, simples e organizada.

Além disso, considere incluir imagens reais do seu pneu. Isso pode facilitar a gestão de pneus e o seu processo de manutenção.

Para finalizar, também é importante registrar o local onde o pneu está armazenado. Dessa forma, fica mais fácil localizá-lo quando for preciso.

Qual a validade de um pneu?

A validade de um pneu pode variar conforme o fabricante. 

Entretanto, 5 anos é o prazo médio para que um pneu cumpra a sua vida útil.

Dessa forma, mesmo se os pneus do estoque nunca forem utilizados, é importante respeitar este prazo para evitar acidentes.

Caso esse período já tenha sido concluído, a orientação é descartar.

Vale lembrar também que se você não manusear e armazenar seus pneus adequadamente, suas características podem mudar e isso pode encurtar sua vida útil. 

Eles podem até se deteriorar tanto no armazenamento que precisarão  ser substituídos. Mas se você manuseá-los e armazená-los corretamente, eles fornecerão anos de serviço – e você economiza dinheiro.

Cuidados na escolha de fornecedores de pneus

A escolha cuidadosa de um fornecedor de pneus é importante para manter a segurança, eficiência e rentabilidade da frota.

Primeiramente, é necessário contar com fornecedores que possam fornecer pneus de qualidade quando necessário para minimizar o tempo de inatividade da frota.

Além disso, opte sempre pelo custo-benefício, uma vez que pneus baratos e de baixa qualidade podem ter uma vida útil mais curta. 

Esses itens ainda precisam de substituição com mais frequência, o que pode aumentar os custos de manutenção da frota. 

Finalmente, alguns fornecedores de pneus podem ter um foco maior na sustentabilidade, oferecendo opções mais eco-friendly para a frota, o que pode ser uma consideração importante para algumas empresas.

Bônus: 7 dicas para aumentar a vida útil dos pneus

Aumentar a vida útil dos seus pneus passa por cuidados simples na hora da estocagem. A seguir, confira algumas práticas que você pode adotar:

  1. Faça alinhamento e balanceamento regularmente

Alinhamento e balanceamento corretos ajudam a reduzir o desgaste dos pneus e prolongar sua vida útil. Por isso, verifique regularmente ou sempre que notar algum problema no veículo.

  1. Guarde os pneus somente após limpeza

Usando um pouco de detergente, água e uma escova apropriada, limpe os pneus antes de guardá-los. Isso ajudará a remover a sujeira. 

Além disso, limpe também as suas rodas, se você guardar seus pneus nelas. Por fim, certifique-se de que estejam completamente secos antes de guardar.

  1. Utilize prateleiras

A melhor maneira de armazenar pneus montados em aros é pendurá-los na parede da garagem. A roda suportará o peso e manterá seu pneu em boas condições. 

Caso isso não seja possível, coloque os pneus preferencialmente em um pedaço de madeira limpa e não diretamente no chão.

  1. Não armazene pneus ao ar livre

Nunca mantenha um estoque de pneus armazenado ao ar livre, mesmo sob uma cobertura protetora. 

É que os pneus têm revestimentos para ajudá-los a expandir e contrair em temperaturas variadas e os raios UV do sol podem secar os pneus e torná-los mais fracos. 

Portanto, o local de armazenamento precisa ser longe da luz solar direta, fresco, seco e possuir ventilação mínima.

  1. Evite locais com variação de temperatura

A maioria das garagens e galpões sofre bastante variação de temperatura e umidade e isso deve ser evitado.

Caso contrário, os seus pneus podem rachar com mais facilidade, tornando uma séria preocupação de segurança e até mesmo estourando durante altas velocidades nas estradas.

  1. Mantenha a pressão correta dos pneus

É importante manter os pneus sempre com a pressão recomendada pelo fabricante, pois isso ajuda a reduzir o desgaste irregular e prolonga a vida útil dos pneus.

  1. Use embalagens plásticas

O ideal é manter os pneus do estoque em embalagem plástica, preferencialmente a vácuo. Este detalhe pode ajudar a aumentar a vida útil do pneu e manter as suas características.

Tecnologia para o gerenciamento e controle de pneus

Uma solução de estoque de pneus abrangente abordará os fundamentos listados acima, otimizando a sua gestão de pneus e reduzindo os seus custos com manutenção e aquisição de novos itens para o seu estoque.

Por outro lado, um estoque de pneus bem estruturado pode ajudá-lo a identificar, localizar e substituir os pneus dos seus veículos com mais agilidade e precisão, além de ajudá-lo a tomar melhores decisões sobre seu estoque.

Com a Sofit, você conta com uma ferramenta completa para o controle dos pneus que permite acompanhar a quilometragem, saber a hora certa de realizar o recapeamento, calibragem e muito mais!

Baixe grátis: guia para controle de pneus

Garanta a segurança e eficiência da sua frota! 

Baixe grátis nosso guia completo para controle de pneus e saiba como prolongar a vida útil dos seus pneus e reduzir os custos de manutenção. 

Então, não perca mais tempo e faça o download agora mesmo!

Controle de pneus: uma guia completo para a sua frota [Excel GRÁTIS]

O controle de pneus é uma parte estratégica da gestão de frotas, uma vez que influencia na segurança, economia e produtividade da sua operação de transporte.

Para você ter uma ideia, os gastos com esse ativo podem representar até 12% do custo total da sua frota.

Assim, donos de empresas que lidam com transporte de cargas e os gestores de frota têm sempre que buscar maneiras para prolongar a vida útil e o controle de pneus.

No artigo de hoje vamos falar sobre a importância do controle de pneus para a sua empresa, além de trazer dicas objetivas para aplicar na sua frota.

Vamos lá?

Índice:

  1. O que é o controle de pneus?
  2. Qual a importância de fazer o controle de pneus?
  3. Dicas para o controle de pneus e manutenção da frota

O que é o controle de pneus?

O controle de pneus envolve desde o benchmarking ao controle de estoque e análise de dados e tem como função reduzir custos, garantir a segurança e aumentar a vida útil dessas peças.

Assim, elaborar um programa completo de gerenciamento de pneus pode ser a diferença entre lucratividade e ter de lidar com as dispendiosas dores de cabeça com esses ativos.

Além disso, é importante que o gestor de frotas faça o acompanhamento diariamente, por isso a tecnologia é fundamental, já que garante uma visão geral dos pneus e facilita o processo de manutenção da frota.

Por isso, aqui estão alguns pontos que você deve verificar ao fazer o controle de pneus:

  • Dados de pressão estabelecidos;
  • Quilometragem;
  • Cargas transportadas por veículos;
  • Quilômetros alcançados com bandas de rodagem originais;
  • Quilômetros alcançados com reformas;
  • Número de recauchutagens a partir da carcaça original;
  • Frequência das inspeções dos pneus;
  • Cronogramas de remoção de reformas, bem como o número de reformas esperadas;
  • Expectativa de vida útil da carcaça do pneu na frota; e
  • Inspeção de pneus danificados ou em fim de vida.

Qual a importância de fazer o controle de pneus?

O controle de pneus é importante não somente porque aumenta a vida útil desses ativos ou gera mais economia para a sua frota.

É que a gestão correta dos pneus deve considerar a legislação vigente que preza pela segurança, sobretudo no que diz respeito ao uso de pneus recapados. 

Dessa forma, os seus veículos de carga devem seguir a Resolução Contran 558/1980, que exige a identificação dos pneus reformados com a marca do reformador.

Além disso, essa norma também prevê a gravação dos marcadores de índice de desgaste (TWI).

Outras resoluções importantes do Contran para observar são as 416/2012 e n.º 445/2013 que proíbem a utilização de pneus recapados na dianteira de ônibus e micro-ônibus.

Vale lembrar que transitar com pneus carecas ou em más condições pode gerar multas para os seus condutores, sendo uma infração grave conforme o Art. 230, XVIII, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Dicas para o controle de pneus e manutenção da frota

A seguir, reunimos algumas dicas para você conduzir o processo de controle de pneus da frota da forma adequada. Confira:

1. Cuide da calibragem dos pneus

A pressão que há dentro dos pneus é um importante fator para sua durabilidade. 

Portanto, é essencial orientar os motoristas a verificar a calibragem ao longo da viagem e a utilizar a pressão de ar que os fabricantes recomendam.

Essa verificação de segurança precisa ser realizada uma vez por semana, pelo menos, e com o carro desligado (pneus frios).

Além disso, nunca se esqueça de calibrar também o pneu reserva (estepe) e não exceda a pressão recomendada.

A sobrecarga poderá trazer problemas aos pneus, como aumento da deflexão normal das peças e um aquecimento demasiado, o que pode romper a borracha.

2. Treine sua equipe

Se seus motoristas tiverem uma condução defensiva e prestarem bastante atenção nas vias por onde passam, a vida útil dos pneus certamente será muito maior. 

As superfícies acidentadas e irregulares devem ser evitadas, para não ocorrerem cortes ou danos nas bandas de rolagem.

Além disso, também é preciso orientar sua equipe com relação às estradas cobertas de óleo, combustíveis ou outras substâncias químicas, para que todos fiquem bem atentos e não ocorra um deslizamento ou estrago de outra ordem. 

Outro detalhe são as acelerações desnecessárias e freadas bruscas que precisam ser contidas, pois além de desgastar os pneus, prejudica o controle de combustível.

3. Evite o excesso de carga em seu controle de pneus

É importante que o veículo esteja circulando com a quantidade de peso dentro dos limites que o fabricante sugere.

Quando você não segue essa orientação, outros componentes do veículo podem ser prejudicados.

É que a sobrecarga reduz a vida útil da suspensão, freios e também da transmissão, obrigando você a realizar trocas com uma periodicidade maior.

4. Compre pneus de qualidade

A princípio, pode parecer interessante gastar menos ao adquirir pneus remanufaturados ou de segunda linha. 

Mas é preciso considerar que um veículo parado por estar com pneus danificados pode atrasar suas entregas e fazê-lo gastar muito mais dinheiro. 

Sendo assim, adquira pneus que tenham o selo do INMETRO e uma proveniência garantida.

5. Inspecione os pneus antes de cada viagem

Por mais que você tome cuidados, ninguém está livre de passar sobre pequenas pedras ou objetos cortantes e perfurantes na estrada, como pregos e cacos de vidro, por exemplo. 

Por isso, antes de partir em viagem, seus colaboradores devem revisar todos os pneus para identificar objetos estranhos enterrados na banda de rolagem ou nos perfis da peça.

6. Efetue o rodízio de pneus

É possível obter mais rendimento do seu jogo de pneus se você tiver um projeto de troca entre os pneus instalados em cada veículo de sua frota. 

O rodízio pode ser feito a cada 5 mil quilômetros. 

Essa medida será eficiente para compensar a disparidade dos desgastes entre os pneus do carro e também para diminuir o consumo de combustível.

7. Conte com um software para gestão e controle de frotas

Um software de gestão concede uma quantidade considerável de informações sobre cada veículo — desde o tempo certo de calibração até o histórico de movimentações dos pneus. 

Isso ajuda o gestor no controle dos pneus, além de ser um excelente auxiliar para prevenir desvios e furtos dos equipamentos e para a escolha das melhores rotas a seguir.

Além disso, essa tecnologia permite saber onde cada pneu está e automatiza o controle da periodicidade das manutenções.

E você, o que tem feito para controlar a vida útil dos pneus que vão nos carros de sua frota?

Como fazer gestão de pneus e reduzir custos com frota

A gestão de pneus é uma solução estratégica que deve ser adotada pelo gestor de frotas.

Através dela, o frotista pode comparar a durabilidade do pneu considerando as recomendações dos fabricantes, identificar facilmente as condições de uso, controlar a vida útil e prevenir desvios e furtos. 

A gestão adequada dos pneus ainda colabora com o controle de custos com compras, reformas e descartes. 

Por isso, neste artigo, vamos mostrar como você pode fazer esse gerenciamento da forma correta. Vamos lá? 

O que significa gestão de pneus?

A gestão de pneus corresponde aos cuidados sistemáticos para aumentar a vida útil deste importante item para o controle e manutenção da frota.

Sem a correta gestão de pneus, os frotistas podem acumular ainda mais riscos se considerarmos que muitas estradas brasileiras são mal cuidadas. Isto pode ocasionar também o aumento de compras de novos pneus e maior gasto com combustíveis.

Note que um simples pneu furado pode prejudicar a produtividade dos negócios e arriscar vidas. E um sistema de gerenciamento de pneus pode ajudá-lo a evitar isso – e muito mais. 

Sempre é possível recorrer a verificações básicas do estado geral dos pneus e da calibragem manual, por exemplo.

No entanto, em uma frota de veículos, a gestão de pneus precisa ser estratégica. Confira a seguir o porquê.

Por que você deve investir no controle de pneus da sua frota

Para controlar os custos com  transporte rodoviário, os proprietários de frotas não têm escolha a não ser continuar buscando todas as alternativas para redução de despesas operacionais possíveis. 

Certamente, ninguém pode se dar ao luxo de ignorar as economias que podem ser derivadas do gerenciamento adequado de um dos maiores custos operacionais para a maioria das frotas – pneus.

Os gastos com pneus representam cerca de 12% do custo da frota, perdendo apenas para as despesas com combustíveis e manutenções.

Banner controle de pneus

Como reduzir custos com frota através da gestão de pneus

O primeiro passo para reduzir os custos com a frota através da gestão de pneus é compreendê-los como um ativo e não como um bem consumível.

Isso porque bens consumíveis são mercadorias, compradas e consumidas. 

Por outro lado, os pneus são ativos financeiros que devem ser selecionados e gerenciados como tal desde a compra original até a recapagem até o descarte final.

Uma vez que os pneus apropriados são selecionados para o veículo e trabalho em questão, caberá aos técnicos ou terceirizados realizar a manutenção, mas a responsabilidade de tirar o máximo proveito desses pneus sempre será do gestor de frota.

Dessa forma, para que a gestão de pneus impacte diretamente na redução de custos, considere:

Realizar a seleção adequada dos pneus

Uma parte integrante da implementação da gestão de pneus é a seleção adequada desses itens. 

Dessa forma, essas decisões devem ser revisadas periodicamente, de acordo com o desempenho da sua frota. 

A seleção deve ser realizada conforme a demanda, e função dos pneus na sua frota, por isso, vale entender os objetivos da companhia em médio e longo prazo.

Elaborar um programa para aumentar a vida útil dos pneus

Como gestor de frotas, é seu papel definir ações estratégicas para aumentar a vida útil dos pneus antes de recorrer à troca. 

Assim, avalie os fatores que causam desgaste, como os níveis de manutenção e calibragem, estilo de direção e os tipos de carga que são transportadas. 

Em seguida, defina ações coordenadas para evitar que esses fatores reduzam a vida útil dos pneus.

Aplicação de um checklist diário de manutenção 

Com a ajuda dos condutores, é possível conservar os pneus com mais facilidade. 

Para isso, é importante que medidas para aumentar a vida útil desses itens sejam estruturadas em um checklist, verificando pontos como:

  • Estado Geral;
  • Calibragem;
  • Banda de Rodagem;
  • Limpeza;
  • Armazenamento.

Investimento em manutenção preventiva

Inspeções periódicas para descobrir padrões de desgaste irregulares dos pneus podem  indicar a necessidade de reparos. No entanto, essas inspeções precisam ser mais que encontrar defeitos superficiais. O pessoal de manutenção deve ser treinado para identificar padrões de desgaste que possam indicar problemas futuros nos veículos da sua frota.

Tecnologia para controle e gestão de pneus

A tecnologia avançou nos últimos anos a ponto de haver muitos recursos para ajudar no gerenciamento de pneus. 

Softwares tecnologicamente avançados, sistemas de monitoramento de pressão e inflação estão disponíveis e podem facilitar o rastreamento, manutenção e análise de pneus.

Apesar disso, um sistema de gerenciamento de pneus de uma frota ainda pode ser feito com lápis e planilhas, o que não é recomendado devido ao perigo de falha humana e da inviabilidade de aplicação em frotas de maior porte.

Lembre-se: um bom programa de gerenciamento de pneus inclui rastreamento do início ao fim, análise, manutenção preventiva e muito mais. 

Logo, o programa de gerenciamento de pneus de uma frota deve ser escrito, comunicado, monitorado e aplicado e com a tecnologia correta, fica muito mais fácil.

A Sofit te ajuda com a gestão de pneus!

E então, que tal começar a colocar as nossas orientações em prática e otimizar a gestão de pneus? Com a Sofit, o controle de pneus se torna uma tarefa simples e prática.

Com as funcionalidades de gestão de pneus da nossa plataforma você pode: 

  • Controlar a quilometragem e saber a hora de realizar uma recapagem; 
  • Receber alerta no momento certo de realizar um rodízio; 
  • Saber o custo da vida útil de cada pneu; 
  • Controlar (através de marca de fogo) a utilização e movimentação de cada pneu; 
  • Gerenciar o balanceamento e a calibragem;
  • Identificar as condições de uso; 
  • Verificar a vida útil do pneu comparando com as recomendações dos fabricantes;
  • Fiscalizar a localização do pneu por veículo, ajudando a prevenir desvios e furtos; 
  • Controlar as receitas com descarte de pneu.

Ficou interessado? Agende um teste grátis com um dos nossos consultores hoje mesmo!

O Mundo das Frotas – Ep #04 – Como reduzir os custos com PNEUS!

Nesse podcast a equipe Sofit, especializada em gestão de frotas, fala sobre O Mundo das Frotas – Ep #04 – Como reduzir os custos com PNEUS!

Leia mais

Calibragem de pneus: de quanto em quanto tempo devo calibrar?

Qual é o prazo correto para realizar a calibragem de pneus? Isso deve ser feito com ele quente ou frio? Qual a pressão correta? 

Essas perguntas são mais comuns do que você pensa e a maioria das pessoas tem dúvidas sobre as respostas e acaba não fazendo o correto controle dos pneus dos veículos da  frota.

Pneus sem a calibragem correta trazem inúmeros problemas, gastos indesejados e são um risco ao condutor e passageiros. 

Neste post você vai aprender como fazer o correto controle dos pneus do seu veículo, garantir mais segurança e ainda economizar dinheiro.

Qual a frequência correta para calibrar os pneus?

Provavelmente esta é a principal dúvida dos condutores. A boa notícia é que é muito simples saber a frequência correta para realizar a calibragem dos pneus do seu carro.

Em condições de uso normais o correto é calibrar os pneus a cada 15 dias. 

Mas faça isso de preferência quando os pneus estiverem frios, ou seja, tendo rodado no máximo 3 quilômetros. No entanto, existem algumas exceções a serem seguidas:

  1. Veículos que trafegam grandes distâncias durante o mês: calibre os pneus a cada 500km, caso aconteça antes dos 15 dias.
  2. Veículos com pouco uso durante o mês: calibre os pneus uma vez a cada 30 dias.

Outra coisa importante é calibrar os pneus sempre antes e depois de viagens longas. 

Andando com o carro carregado em viagens a pressão dos pneus é diferente de quando você utiliza somente para rodar na cidade. 

Se o seu pneu está precisando ser calibrado antes de 15 dias, você precisa verificar outros itens de manutenção que devem estar prejudicando os pneus do seu veículo. 

Cuidado, o problema pode não ser diretamente no pneu. Então, recomenda-se que o gestor consulte um especialista.

Outra dica, se cair em algum buraco muito grande ou pegar alguma guia, principalmente em estradas, confira a pressão dos pneus. 

Pancadas muito fortes podem fazer o pneu perder pressão e você acabará danificando ele mais.

A classificação de calibragem dos pneus

Para conferir a etiqueta que indica a calibragem correta de cada pneu é preciso entender a nomenclatura utilizada pelos fabricantes.

Há, basicamente, 3 tipos de classificação para a calibragem que indicam as unidades de pressão:

  • PSI (Pound Per Square Inch)  indica a quantidade de libras por polegada quadrada;
  • BAR (Do grego Barys – Pesado) unidade de pressão comumente utilizada na Europa ocidental. Equivale a 100 000 Pascais;
  • kPA (Pascal SI – Sistema Internacional).

O problema com os pneus cheios demais

Assim como a calibragem baixa pode ser um indicativo de desgaste prematuro dos componentes dos veículos da frota, pneus inflados demais aumentam a probabilidade de acidentes.

Quando o pneu está com a calibragem acima da indicada pelo fabricante, há um aumento na firmeza de contato com a superfície.

Ou seja, os seus veículos estarão mais sujeitos a cortes, quebras por impacto, perfurações e danos por choque.

guia definitivo para controle de pneus

Então, como calibrar os pneus corretamente?

Agora que você já sabe quando deve ser feita calibragem para garantir o correto controle dos pneus, está na hora de aprender como fazer isso de forma correta.

O primeiro passo é saber qual a pressão correta dos pneus. Essa informação é normalmente encontrada nos seguintes locais:

  1. Adesivo na parte interna da tampa de combustível;
  2. Adesivo em uma das portas dianteiras;
  3. Manual de uso e manutenção do veículo logo no início ou na parte que fala sobre pneus.

Repare que existe mais de uma informação sobre a pressão correta dos pneus. Elas variam em função do tamanho do pneu em seu veículo e se você está ou não andando carregado.

Para saber o tamanho do pneu do seu carro, é só olhar no próprio pneu as informações.  e comparar com o que está escrito na indicação do manual. 

Depois é só verificar qual a pressão correta para uso com pouca carga e carregado (normalmente para viagens) e calibrar os pneus.

Em algumas exceções a pressão para andar com o veículo cheio e vazio é a mesma. Portanto é só seguir o que está no manual sem medo.

Quer aprender mais? Veja mais artigos sobre Pneus: como aumentar a durabilidade dos pneus.

O que a calibragem de pneus inadequada acarreta para veículos pesados?

A pressão de ar de um pneu é ainda mais importante no caso de caminhões e veículos pesados. Isso porque o peso da carga de um caminhão, por exemplo, pode ser bastante elevado. 

Dessa forma, a manutenção da pressão dos pneus deve ser vista pelo gestor de frotas como um componente chave de um programa completo de manutenção de pneus.

A quantidade de problemas relacionados aos pneus e incidentes à beira da estrada será significativamente reduzido caso você mantenha as inspeções de pressão dos pneus em dia, assim como o tempo de inatividade dos seus veículos.

Note também que a calibragem baixa é a causa número 1 da remoção prematura dos pneus. 

Especialistas recomendam que caso ela esteja 20% abaixo da pressão recomendada pelo fabricante, o pneu deve ser considerado furado. Assim, deve ser removido e inspecionado para a verificação de perfurações ou outros danos.

Economize e reduza riscos de acidentes com pneus calibrados!

Poucas pessoas sabem, mas, de acordo com uma pesquisa da Michelin, cerca de 50% dos veículos brasileiros trafegam com a calibragem dos pneus incorreta, sendo que 20% deles estão em condição perigosa.

Isso gera sérios problemas para o gestor de frotas. Um deles é seu desgaste prematuro dos pneus. Manter veículos trafegando com calibragem incorreta podem ter uma vida útil de até 8.500 km menor. 

Aliado a isso, andar com pneus muito cheios ou muito vazios aumenta o risco de acidentes e o consumo de combustível.

Um outro problema é o peso no bolso. Com o aumento da manutenção de alguns itens do sistema de suspensão e de direção do carro por andarem sob estresse excessivo devido a calibragem incorreta dos pneus. 

Veja mais sobre este assunto no post sobre como reduzir os custos com manutenção dos veículos.

Gostou desse post sobre calibragem de pneus? Compartilhe nas redes sociais e ajude mais pessoas a rodarem com segurança e economizar.

Páginas

[2024] – Modelo Materiais – Guia do Controle de Pneus

E-book Grátis

Guia para controle de pneus

Veja dicas sobre como aumentar a vida útil do pneu, dessa forma você saberá qual é a melhor forma para realizar um controle de forma eficiente.

Por que você precisa fazer ​ o controle de pneus?​

  • Os pneus representam um dos maiores custos operacionais de uma frota, portanto, monitorar seu desgaste e desempenho ajuda a otimizar os gastos.​

  • Identifique padrões de desgaste, substitua no momento adequado e garanta que os pneus estejam em boas condições para proporcionar uma condução segura e eficiente. ​

  • Contribua para a redução do consumo de combustível, aumentando a eficiência operacional da frota.​

O que você vai encontrar
no E-book?

Dicas para aumentar a vida útil dos pneus

Marca de fogo

Controle de pneus

Outros Conteúdos sobre Pneus

Validade do pneu e vida útil dos veículos: entenda relação

A validade do pneu nem sempre é seguida à risca pelos gestores de frota.  Contudo, negligenciar...

Conheça os tipos de desgaste de pneus

Quem está à frente da manutenção de uma frota de veículos compreende a importância de identificar e...

As melhores marcas de pneus para frotas de caminhões

Para gestores de frota, a escolha das melhores marcas de pneus é mais do que apenas uma decisão...

Os 5 principais erros no controle de pneus

Um dos itens mais importantes na Gestão de Frota é cuidar com os erros no controle de pneus, que é...

Vulcanização de pneus: como fazer de forma segura na sua frota?

A vulcanização de pneus é uma prática comum em empresas de frota, proporcionando uma solução eficaz...

Durabilidade dos pneus: como aumentar e ainda reduzir custos? 

Se você quer economizar dinheiro e manter os pneus do seu carro em ótimo estado, é importante saber...

[2024] – Modelo Materiais – Planilha para Controle de Pneus

Excel Grátis

Planilha para
Controle de pneus​

A planilha para controle de pneus para gestão de frota é uma ferramenta essencial para monitorar e gerenciar o desempenho e a manutenção dos pneus.

Por que você precisa fazer ​ o controle de pneus?​

  • Os pneus representam um dos maiores custos operacionais de uma frota, portanto, monitorar seu desgaste e desempenho ajuda a otimizar os gastos.​

  • Identifique padrões de desgaste, substitua no momento adequado e garanta que os pneus estejam em boas condições para proporcionar uma condução segura e eficiente. ​

  • Contribua para a redução do consumo de combustível, aumentando a eficiência operacional da frota.​

O que você vai encontrar
na Planilha?

Controle de Pneus

Relatório de Custos de Serviços

Dashboard

Relatório de Veículos

Outros Conteúdos sobre Pneus

Validade do pneu e vida útil dos veículos: entenda relação

A validade do pneu nem sempre é seguida à risca pelos gestores de frota.  Contudo, negligenciar...

Conheça os tipos de desgaste de pneus

Quem está à frente da manutenção de uma frota de veículos compreende a importância de identificar e...

As melhores marcas de pneus para frotas de caminhões

Para gestores de frota, a escolha das melhores marcas de pneus é mais do que apenas uma decisão...

Os 5 principais erros no controle de pneus

Um dos itens mais importantes na Gestão de Frota é cuidar com os erros no controle de pneus, que é...

Vulcanização de pneus: como fazer de forma segura na sua frota?

A vulcanização de pneus é uma prática comum em empresas de frota, proporcionando uma solução eficaz...

Durabilidade dos pneus: como aumentar e ainda reduzir custos? 

Se você quer economizar dinheiro e manter os pneus do seu carro em ótimo estado, é importante saber...