Quando olha para seus resultados financeiros, sempre há momentos que você se pergunta  “nós realmente gastamos tanto assim?”.

Se você já teve essa reação às cobranças de custo com pedágio então é preciso tomar atitudes para otimizá-los.

Cada vez mais comum nas estradas brasileiras, o controle do custo com pedágio pode representar uma economia significativa para a sua gestão de frotas.

A busca pela redução desse custo pode levar a sua frota a transitar por vias em más condições ou para desvios na sua rota, o que, no fim, acaba não compensando.

Embora não exista uma alternativa para o custo com o pedágio, ainda é possível controlá-lo para equilibrar as finanças da empresa no final do mês. 

 

Continue lendo e descubra o que fazer!

 

Um pouco sobre os pedágios no Brasil

 

Atualmente, existem 58 concessionárias de pedágio em operação no Brasil. Essas empresas cuidam de 19.031 de km de rodovias. 

A maioria dos pedágios está localizada no estado de São Paulo, que conta com 13 concessionárias. 

Embora a intenção seja válida, afinal, a concessão tem o objetivo de transferir a responsabilidade das condições de uma rodovia para o setor privado, na prática, é um pouco diferente.

Condutores, e principalmente empresas de transporte ainda tem que lidar com condições precárias nas estradas, principalmente na região norte e nordeste do país. 

Além disso, motoristas precisam lidar também com os aumentos no custo com pedágio.

 

Como os custos com pedágio são definidos?

O custo com pedágio nas rodovias brasileiras é definido pelos órgãos reguladores federais, como a ANTT e estaduais, como a ARTESP em São Paulo.

Esse valor tem como base em um custo fixo por quilômetro multiplicado pelo trecho de cobertura.

Na gestão de frotas, empresas de transporte não estão autorizadas a embutir o valor do pedágio no frete contratado. Veja o que diz a lei 10.209:

1º Fica instituído o Vale-Pedágio obrigatório, para utilização efetiva em despesas de deslocamento de carga por meio de transporte rodoviário, nas rodovias brasileiras. § 1º O pagamento de pedágio, por veículos de carga, passa a ser de responsabilidade do embarcador.

 

Como calcular os custos com pedágio?

O cálculo do pedágio presume valores diferentes, de acordo com a rota e o tipo de veículo utilizado pela sua empresa.

Para calcular os custos com pedágio é necessário seguir um passo a passo:

  • Definir a rota; 
  • Escolher o veículo;
  • Verificar quais são as praças de pedágio; 
  • Identificar se a viagem será de ida e volta ou se há rotas alternativas.

Aqui, a experiência e estratégia do gestor de frotas pode contribuir com a redução de custos, já que o conhecimento sobre as estradas utilizadas pode garantir a redução de custos com pedágio.

 

Portanto, estude todas as possibilidades e verifique todos os trechos com pedágio no site da ANTT

Com a rota e veículos e todos os valores com o pedágio definidos, faça uma conta simples e calcule quanto você vai gastar com o pedágio na viagem.

Alternativas para a redução do custo com pedágio

O planejamento de uma rota é um problema um tanto quanto complicado. Além de determinar as melhores orientações para os seus condutores, você também precisa considerar o tráfego, condições das estradas, a disponibilidade do cliente e muitos outros fatores. 

Gestores que tentam fazer os roteiros para evitar altos custos com pedágio manualmente acabam gastando tempo demais. Dependendo do número de clientes que você precisa atender, essa tarefa pode levar horas. 

Roteirização

O planejamento de rotas é a prática utilizada pelos gestores para otimizar a logística, evitar obstáculos, reduzir custos e chegar a todas as paradas em tempo. 

Com um estudo de todas as alternativas possíveis para chegar do ponto A ao ponto B, certamente os seus custos com pedágio serão inseridos nos seus custos de forma mais estratégica.

Controle das rotas

O desvio de rotas não deve ser uma prática comum na sua operação. Ou, pelo menos, não deveria. Com o apoio da tecnologia é possível verificar se os seus motoristas estão cumprindo as rotas propostas pelo seu planejamento. Logo, vale apostar em sistemas que garantam o  controle de viagens para evitar gastos desnecessários com pedágio.

Entregas terceirizadas

A terceirização das entregas já é uma alternativa para diversas empresas de transporte pelo Brasil. Entretanto, essa decisão precisa ser estratégica e impactar diretamente nos seus custos operacionais.

 

Conte com a Sofit para reduzir o custo com pedágio!

O pedágio é um tipo de custo com relação direta com a precificação das suas entregas. Por isso, é importante escolher muito bem os recursos utilizados para amortizá-los.

Como vimos ao longo deste artigo, a tecnologia é uma importante aliada no planejamento das suas rotas, rastreamento dos seus motoristas e demais decisões estratégicas.

O sistema de gestão de frotas da Sofit pode te ajudar com isso e muito mais!

 

Entre em contato com um dos nossos consultores e descubra como podemos te ajudar com a redução do custo com pedágio!

 

 

Rotinas de manutenção preventiva, corretiva e preditiva devem caminhar juntas nos processos de manutenção da frota, embora nem sempre aconteça dessa forma.

Muitos gestores de frota priorizam a corretiva, mas quando bem estruturadas, as manutenções preventivas e preditivas contribuem com a redução de custos e a disponibilidade da frota de veículos

Neste artigo, a Sofit apresenta para você as principais diferenças entre manutenção preventiva, corretiva e preditiva para que você entenda como aplicar nos veículos da sua frota. 

Vamos lá?

O que é manutenção corretiva?

A manutenção corretiva é realizada quando é preciso realizar algum reparo em um veículo que apresenta defeitos. 

Ou seja, quando uma peça apresenta um problema “inesperado”, como quebras, falhas ou avarias, geralmente você recorre a essa categoria de manutenção.

Este tipo de manutenção costuma ser o mais oneroso para a empresa, pois está atrelada a custos com mão de obra.

A manutenção corretiva também demanda reparos imediatos ou a substituição de peças para que o veículo volte a rodar sem problemas e com segurança para o motorista e a carga a ser transportada.

De todos os tipos de manutenção, esta é a que pode deixar o carro fora de operação por mais tempo do que ocorreria com a manutenção preditiva ou a preventiva.

Dependendo do tamanho da frota e da organização da empresa, a paralisação pode levar a prejuízos consideráveis e problemas diversos, como:

  • Interrupção dos serviços;
  • Atrasos na entrega;
  • Não cumprimento de prazos e;
  • Perda de clientes pouco satisfeitos com tal situação.

O que é manutenção preventiva?

A manutenção preventiva é método de manutenção é baseado em um planejamento que antecede o surgimento dos problemas na frota. 

Ele se fundamenta na Curva de Tempo Médio para Falha (CTMF) e, assim, permite a identificação precoce de eventuais problemas com os veículos.

Quando sua empresa adota a manutenção preventiva, a eficiência da frota aumenta, já que a programação dos reparos, recondicionamentos, ajustes e trocas de peças segue um cronograma já pré-determinado.

Isso não só diminui as surpresas recorrentes de colocação dos veículos fora de operação, mas também possibilita ao gestor um ótimo planejamento orçamentário.

Outras vantagens da manutenção preventiva incluem:

  • Redução de riscos de problemas mecânicos inesperados;
  • Diminuição da recorrência da manutenção corretiva;
  • Evita altos custos com a compra de peças e equipamentos;
  • Aumenta a vida útil do veículo, garantindo o pleno funcionamento.

Manutenção preventiva na gestão de frotas

O que é manutenção preditiva?

A manutenção preditiva utiliza a coleta de dados para prever problemas que possam acometer os veículos da sua frota no futuro.

Sendo assim, esta metodologia se trata uma filosofia corporativa, na qual existe o monitoramento regular das condições mecânicas e da performance de cada veículo da frota. 

As análises preditivas dos veículos da frota geralmente são viabilizadas através do emprego de instrumentos que medem determinadas métricas, como:

  • Ultrassom;
  • Câmeras termográficas; 
  • Termografia;
  • Testes de análise de vibração; 
  • Inspeção visual simples, entre outros. 

Através da manutenção preditiva, o gestor e sua equipe vão ser capazes de identificar problemas nos veículos antes que eles se tornem mais sérios.

Tal circunstância possibilitará a reparação ou a troca de peças, antes que uma situação de risco se concretize. 

Esta metodologia exige treinamentos específicos e a compra de equipamentos, porém desonera a empresa de muitos custos no futuro, sem deixar, inclusive, que os veículos parem por muito tempo na garagem da empresa.

A importância de ter um plano de manutenção

Um plano de manutenção de frota bem estruturado engloba todos os tipos de manutenção, em especial a preventiva e a preditiva.

Entretanto, devido ao investimento inicial, muitos frotistas preferem contar apenas com a manutenção corretiva em função também do trabalho relacionado com os demais tipos de manutenção.

Apesar disso, podemos considerar essa postura como um erro estratégico, uma vez que a economia inicial pode acarretar altos custos inesperados no futuro.

A falta do cuidado e de uma previsão de danos pode fazer com que o proprietário do veículo acabe gastando muito mais do que o planejado, em função de um defeito que pode causar a avaria de diversas outras peças. 

Um disco de freio, por exemplo, em caso de defeito, pode dar origem a uma colisão e, consequentemente, a danos bem maiores que o original.

Alguns mitos na gestão da manutenção de frotas

Como dissemos no tópico anterior, a simples manutenção corretiva acaba sendo uma opção mais utilizada pelos frotistas em função da economia que os proprietários pensam estar fazendo. 

Isso ocorre muito em função da ideia equivocada de que a manutenção preventiva sugerirá a substituição de peças, mesmo sem necessidade.

Na verdade, principal característica da manutenção preventiva não é essa, mas sim, conseguir identificar previamente qual é a medida do desgaste natural que as peças estão sofrendo, e quanto tempo ainda conseguirão suportar o trabalho em um nível aceitável.

É claro que, por segurança, algumas peças deverão ser substituídas ao atingir certa quilometragem, mas isso será feito sempre de acordo com a necessidade real de substituição.

Manutenção de frotas: o guia completo

Prejuízo em amplo sentido

Um programa de manutenção adequado evita muito mais do que gastos elevados com peças e mão de obra. 

Imagine que um veículo sem a manutenção preventiva em dia, ou sem um programa de manutenção preditiva, necessita parar em algum ponto do trecho para realizar um reparo.

Em um caso de emergência, o condutor não terá tempo para avaliar se ali está um mecânico de confiança e que o problema será resolvido em definitivo, o que pode acabar gerando um custo maior no futuro.

Outro aspecto importante é a quantidade de dias que o veículo necessitará ficar parado.

Isso faz com que o proprietário deixe de ganhar dinheiro, o que causa impacto em diversos setores da empresa, tendo em vista a diminuição do fluxo de caixa e de entrada de capital.

 

Manutenção preventiva, corretiva e preditiva, qual priorizar?

Apesar de todo o esforço, nem sempre o gestor de frotas consegue escapar das manutenções corretivas. 

Pequenos acidentes, infelizmente, não são incomuns, ainda mais para quem trafega por trechos muito longos. 

Ou seja, ninguém está 100% protegido de colisões nas vias ou de peças que quebram de forma inesperada.

No entanto, esses casos podem ser consideravelmente reduzidos se existe uma disciplina com as manutenções preventivas e um acompanhamento sério das manutenções preditivas. 

Então, o ideal é contar com as 3 formas de manutenção, evitando ao máximo deixar para realizar uma grande corretiva somente em emergências.

Manutenção preventiva na gestão de frotas

 

Um bom plano de manutenção proporciona menos gastos desnecessários para a sua frota!

Dentro do programa de manutenção que será adotado para sua frota, pode-se escolher, portanto, apenas uma dessas metodologias ou mesclar algumas ações de duas ou de todas elas. 

Dessa forma, um bom planejamento proporciona economia de gastos com a reposição de peças e com o tempo parado de um veículo.

 

E na sua frota? Como é feita a manutenção preventiva, corretiva e preditiva?

 

Compartilhe as suas experiências e resultados conosco!

Mercedez-bens, Iveco e Volkswagen encabeçam a lista de marcas de caminhões mais vendidas no início deste ano, segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos).

Com um recuo de 14,9% nas vendas, inferior ao projetado pelos especialistas em 2020, a previsão é de que o mercado automotivo volte a crescer.

Neste sentido, 2021 traz diversos desafios para os gestores, entre eles a renovação da frota, que ganha um fôlego a mais com o início da vacinação e seu impacto positivo na economia.

Porém, antes de investir em novos veículos, é importante entender quais são os modelos que mais rodam por todo o país. Por isso, a Sofit traz para você um resumo sobre as marcas de caminhões mais populares no Brasil. Confira!

Leia mais

Algum colaborador já alertou sobre um veículo consumindo muito combustível? Com o passar do tempo, alguns componentes do carro e hábitos de direção podem influenciar no consumo e elevar o custo com a sua frota. Como gestor, a sua missão é monitorar o consumo, além de saber agir quando for necessário. Afinal, gastos com combustível representam até 70% das despesas de uma frota veicular. Então, continue acompanhando o nosso artigo e entenda porque a sua frota está consumindo mais combustível do que deveria!

Como identificar um veículo consumindo combustível demais?

Computadores de bordo e recursos de controle de combustível fornecidos por ferramentas de gestão auxiliam o gerente de frotas na identificação de um veículo consumindo combustível demais.

Alguns modelos de carros e caminhões já contam com tecnologia capazes de informar o consumo médio e até o instantâneo.

Embora isso seja um recurso útil, nem sempre o motorista consegue calcular o consumo, especialmente enquanto dirige.

Dicas para economizar combustível

Qual a melhor maneira de calcular o consumo de combustível do seu veículo?

Para saber com precisão o consumo do veículo, é preciso apelar para o controle manual.  Primeiro, complete o tanque — lembre-se de que abastecer com o mesmo combustível deixa o cálculo mais preciso (etanol ou gasolina) —, anote a quantidade abastecida e zere o hodômetro parcial antes de começar a dirigir outra vez. Depois, basta dirigir até esvaziar o tanque (não precisa ser completamente) e completar novamente. Feito isso, divida a quilometragem que você rodou pela quantidade de combustível que foi colocada no tanque nesse reabastecimento. Atualmente, existem vários aplicativos e planilhas que podem ajudar o motorista no cálculo do consumo de combustível do veículo, vale a pena conferir. Fez a conta e seu carro realmente está consumindo mais do que o comum? Veja o que pode estar acontecendo!

5 vilões do aumento no consumo de combustível

1. Filtro de combustível

Sempre esquecido, o filtro de combustível impacta diretamente no consumo de combustível.  Quando está muito velho e não é trocado, ele deixa de reter micropartículas de sujeira que chegam ao motor e dificultam a queima, fazendo o carro consumir mais

2. Calibragem dos pneus

A calibragem incorreta dos pneus também é vilã do consumo de combustível. Mas não é só um pneu muito murcho que faz o carro “beber” mais: o ideal é manter o veículo na calibragem recomendada pela fábrica, pois é a medida que equilibra aderência e consumo.

 

3. Alinhamento

Um carro desalinhado com certeza vai acabar gastando combustível demais. Isso acontece porque, quando desalinhadas, as rodas acabam exercendo um atrito muito maior com o solo, exigindo mais do motor e consumindo mais combustível.

4. Escapamento

O escapamento também pode impactar no consumo, especialmente se estiver furado.  Esse componente é projetado para dar vazão aos gases da queima e, se está furado ou foi trocado por outro que não tem as mesmas especificações do original.  Isso altera o fluxo de escape e pode aumentar o consumo por não liberar totalmente os resíduos da queima e deixar pouco oxigênio para a combustão.

5. Hábitos de Direção

Os hábitos de dirigir do motorista influenciam muito no consumo de combustível do veículo.  Afinal, quanto mais você pisa, mais o carro consome combustível. Assim, não é só quem dirige com pressa que acaba gastando muito combustível. Veja alguns hábitos para evitar:

  • alongar marchas: ficar alongando marchas (especialmente baixas como 1ª e 2ª) faz o giro do motor subir muito e, com ele, o consumo;
  • arrancadas: evite arrancar com a aceleração alta;
  • rampa: em subidas e rampas, pare o carro com o freio. Controlá-lo com o acelerador e embreagem vai aumentar tanto o consumo de combustível quanto do componente.

6. Limpeza dos veículos

Em tempos de pandemia, reforçar a higiene nunca é demais. Portanto, lave os carros da sua frota regularmente. Sujeira, fuligem, óleo, graxa e até o sal podem danificar o acabamento. O que muitos não sabem é que eles adicionam peso e aumentam a resistência aerodinâmica, o que reduz a eficiência do combustível. 

7. Ar-condicionado

Minimize o uso do ar condicionado. Haverá momentos, é claro, em que o calor fará ou uma viagem mais longa fará com que os seus motoristas precisem utilizar o sistema de ar condicionado.  No entanto, é preciso que isso seja feito com moderação e se você precisar escolher entre manter as janelas abertas em uma viagem que exija uma velocidade constante (acima de 40km/hora) ou usar o ar-condicionado, prefira utilizar o ar na potência mínima.

8. Veículos com cargas muito pesadas

Às vezes, acontece de um veículo ter que transportar uma carga além da necessária, seja para aproveitar a rota ou resolver problemas com entregas atrasadas. Mas o excesso de peso é um dos vilões do alto consumo de combustível, por isso, não deve ser nunca uma regra na sua organização.

Prepare-se para o aumento de combustível

A Petrobrás já anunciou um aumento de 5% no valor do combustível na bomba, com acumulado de 13,4% em 2021. Logo, um veículo consumindo combustível demais pode ser o menor dos seus problemas.  A menos que seja possível controlar todos os abastecimentos nos postos de gasolina ou diesel, a despesa com combustível da frota inevitavelmente aumentará. Por isso, é importante adotar medidas de contenção, além das citadas aqui, como:

  • Recorrer a cartões de combustível;
  • Fazer parceria com postos de abastecimento;
  • Planejar rotas mais econômicas e;
  • Oferecer treinamentos constantes aos seus motoristas, em especial, sobre direção econômica.

E aí, fez todas essas checagens mas seu veículo ainda está consumindo combustível demais? Então baixe nosso e-book sobre economia de combustível e vá mais a fundo no que pode estar causando esse problema! Controle custos e elimine divergências com o controle de combustível da Sofit! Através da nossa ferramenta de controle de abastecimento, você pode monitorar e auditar o abastecimento de veículos próprios ou de terceiros na sua bomba interna. Obtenha dados precisos de abastecimento através de integração com cartões de combustível e identifique o consumo médio por veículo e condutor. Tenha controle do valor pago por litro, e acompanhe custos por km rodado. 

O Custo Total de Propriedade (TCO) auxilia na compreensão do custo real dos veículos da frota, e é uma métrica fundamental no gerenciamento estratégico de frotas.

Uma avaliação precisa de custos realizada a partir do TCO permite que a empresa de frota determine a hora certa de trocar ou partir para veículos alugados, por exemplo. 

Como envolvem uma série de detalhes, o cálculo do Custo Total de Propriedade precisa ser realizado com cuidado, já que é através destes dados que você tomará decisões importantes de modo a evitar prejuízos financeiros.

Neste artigo, você vai entender melhor o conceito do Custo Total de Propriedade, o porquê sua empresa precisa estar atenta a esse cálculo para promover a redução de custos.

Boa leitura!

O que é o Custo Total de Propriedade (TCO)?

Custo Total de Propriedade – TCO (Total Cost of Ownership) é o cálculo geral de todos os custos que envolvem a aquisição de um ativo, como um veículo, por exemplo. 

Na gestão de frotas, o TCO tem como objetivo calcular os custos de vida e aquisição do veículo e determinar se um investimento vale a pena ou não.

Basicamente, seus conceitos representam uma grande importância no mundo do empreendedorismo pelo fato de indicar os impactos positivos – ou negativos – no investimento de algum tipo de serviço para uma empresa.

Por isso, com uma visão no segmento de gestão de frotas, é ideal que todo empreendedor conheça como realizar esse cálculo para garantir o sucesso de sua frota.

Por que a sua empresa precisa ficar atenta a esse cálculo?

Assim como dito anteriormente, é ideal que todo gestor entenda como realizar o cálculo do Custo Total de Propriedade principalmente porque esta métrica é o primeiro passo para indicar se um investimento vai trazer retornos positivos ou negativos para sua empresa.

Nele, não estão inclusos apenas gastos superficiais de um investimento, mas este índice também considera os custos ocultos que acompanham a compra de qualquer serviço, plataforma ou produto.

Isso é, supondo que um gestor de frota esteja pensando em investir em uma frota inicial, quais gastos acompanham esse investimento? O valor total é utilizado como base para esta compra, certo?

Além do valor de compra, no entanto, também estão inclusos todos os gastos ocultos e indiretos que acompanham uma frota de veículos: combustível, seguro de carga, manutenção, administração, tempo útil até o próximo investimento, entre muitos outros fatores que vão impactar no funcionamento destes veículos.

E é através do Custo Total de Propriedade que é feito o estudo sobre todos esses custos ocultos e futuros gastos que vão acompanhar este investimento. Isso é, considerando muito além do valor bruto da aquisição, esse índice ainda leva em conta as taxas e custos com depreciação (natural ou não) que acompanham essa compra.

Como fazer o cálculo do Custo Total de Propriedade?

Para que você efetue este cálculo corretamente, é preciso avaliar quatro aspectos que determinam diferentes categorias em um investimento: a aquisição deste produto ou produto(s), seu uso, os gastos gerais. 

Sendo assim, o cálculo do TCO para a gestão de frotas deve considerar:

  • Custo de aquisição;
  • Custo de utilização;
  • Custos de manutenção;
  • Depreciação de ativos.

Custos de aquisição

Esta etapa do cálculo do Custo Total de Investimento representa o valor geral da compra do produto. Isso inclui o custo total, assim como tudo que será preciso para mantê-lo adequado e pronto para o dia a dia como taxas, impostos, revisões de fábrica.

Custos de utilização

Neste caso, é importante avaliar tudo que será preciso para realizar a utilização deste veículo em sua empresa como, combustível, pneus, pedágio e lavagem.

Custos de manutenção

Neste cálculo são contabilizados os recursos que vão contribuir para a manutenção do veículo como ferramenta de trabalho, por exemplo, o seguro, as manutenções corretivas, o software para gestão integrada da frota.

Depreciação do Veículo

Esse é um cálculo difícil de ser realizado porque existem variáveis de mercado que influenciam diretamente no valor do carro usado na hora da desmobilização. Apesar disso, a Sofit possui parceiros que podem fornecer esses dados baseados no histórico de negociações de cada veículo. Assim, você saberá em média quanto o seu veículo estará valendo após determinado período de uso.

Como calcular o TCO na sua Gestão de Frotas?

O TCO é uma equação simples como você pode conferir abaixo:

TCO = [Custo aquisição] + [Despesas de utilização] + [Custos de manutenção] – [Valor de revenda]

Após analisar todos esses fatores, também é importante considerar outras questões indispensáveis que vão impactar no cálculo do Custo Total de Propriedade para chegar a uma conclusão satisfatória.

Dicas para calcular o TCO na sua frota

Primeiramente, é importante conhecer de forma clara os objetivos em dar continuidade a este investimento. 

Qual o propósito? 

O que vai acontecer depois? 

Está pronto para isso? 

Essas são algumas das questões que devem ser repensadas na hora de realizar a reflexão do cálculo final.

Após isso, procure levantar o contexto financeiro que será feito este investimento. O período de execução é uma das amostras que devem ser contempladas para se calcular o TCO na aquisição de uma frota.

É através da reflexão destes cálculos que você conseguirá definir os valores positivos ou negativos de um investimento e, a partir disso, procurar as melhores maneiras de encaixá-lo nos paradigmas financeiros de sua empresa.

gestão de grandes frotas leves

Pronto para rever seus custos e adotar o TCO no seu planejamento de frotas?

Embora existam fórmulas e modos de fazer o cálculo do custo total de propriedade, muitos desafios ainda vão surgir no dia a dia de um gestor e ficar em dúvida sobre como aplicá-los em sua empresa é algo extremamente comum. 

Mas não precisa se preocupar! Para que você fique tranquilo na hora de fazer o seu cálculo de TCO, a Sofit está disponibilizando esse serviço para você. 

Em complemento ao cálculo nós também disponibilizamos os parceiros certos para te auxiliar (de forma gratuita) na negociação dos veículos junto às montadoras e para desmobilizar a sua frota antiga de forma rápida e fácil recuperando em média 95% da tabela FIPE.

Tá esperando o quê? Entre em contato com a gente hoje mesmo!

Qual é o prazo correto para realizar a calibragem de pneus? Isso deve ser feito com ele quente ou frio? Qual a pressão correta? 

Essas perguntas são mais comuns do que você pensa e a maioria das pessoas tem dúvidas sobre as respostas e acaba não fazendo o correto controle dos pneus dos veículos da  frota.

Pneus sem a calibragem correta trazem inúmeros problemas, gastos indesejados e são um risco ao condutor e passageiros. 

Neste post você vai aprender como fazer o correto controle dos pneus do seu veículo, garantir mais segurança e ainda economizar dinheiro.

Qual a frequência correta para calibrar os pneus?

Provavelmente esta é a principal dúvida dos condutores. A boa notícia é que é muito simples saber a frequência correta para realizar a calibragem dos pneus do seu carro.

Em condições de uso normais o correto é calibrar os pneus a cada 15 dias. 

Mas faça isso de preferência quando os pneus estiverem frios, ou seja, tendo rodado no máximo 3 quilômetros. No entanto, existem algumas exceções a serem seguidas:

  1. Veículos que trafegam grandes distâncias durante o mês: calibre os pneus a cada 500km, caso aconteça antes dos 15 dias.
  2. Veículos com pouco uso durante o mês: calibre os pneus uma vez a cada 30 dias.

Outra coisa importante é calibrar os pneus sempre antes e depois de viagens longas. 

Andando com o carro carregado em viagens a pressão dos pneus é diferente de quando você utiliza somente para rodar na cidade. 

Se o seu pneu está precisando ser calibrado antes de 15 dias, você precisa verificar outros itens de manutenção que devem estar prejudicando os pneus do seu veículo. 

Cuidado, o problema pode não ser diretamente no pneu. Então, recomenda-se que o gestor consulte um especialista.

Outra dica, se cair em algum buraco muito grande ou pegar alguma guia, principalmente em estradas, confira a pressão dos pneus. 

Pancadas muito fortes podem fazer o pneu perder pressão e você acabará danificando ele mais.

A classificação de calibragem dos pneus

Para conferir a etiqueta que indica a calibragem correta de cada pneu é preciso entender a nomenclatura utilizada pelos fabricantes.

Há, basicamente, 3 tipos de classificação para a calibragem que indicam as unidades de pressão:

  • PSI (Pound Per Square Inch)  indica a quantidade de libras por polegada quadrada;
  • BAR (Do grego Barys – Pesado) unidade de pressão comumente utilizada na Europa ocidental. Equivale a 100 000 Pascais;
  • kPA (Pascal SI – Sistema Internacional).

O problema com os pneus cheios demais

Assim como a calibragem baixa pode ser um indicativo de desgaste prematuro dos componentes dos veículos da frota, pneus inflados demais aumentam a probabilidade de acidentes.

Quando o pneu está com a calibragem acima da indicada pelo fabricante, há um aumento na firmeza de contato com a superfície.

Ou seja, os seus veículos estarão mais sujeitos a cortes, quebras por impacto, perfurações e danos por choque.

guia definitivo para controle de pneus

Então, como calibrar os pneus corretamente?

Agora que você já sabe quando deve ser feita calibragem para garantir o correto controle dos pneus, está na hora de aprender como fazer isso de forma correta.

O primeiro passo é saber qual a pressão correta dos pneus. Essa informação é normalmente encontrada nos seguintes locais:

  1. Adesivo na parte interna da tampa de combustível;
  2. Adesivo em uma das portas dianteiras;
  3. Manual de uso e manutenção do veículo logo no início ou na parte que fala sobre pneus.

Repare que existe mais de uma informação sobre a pressão correta dos pneus. Elas variam em função do tamanho do pneu em seu veículo e se você está ou não andando carregado.

Para saber o tamanho do pneu do seu carro, é só olhar no próprio pneu as informações.  e comparar com o que está escrito na indicação do manual. 

Depois é só verificar qual a pressão correta para uso com pouca carga e carregado (normalmente para viagens) e calibrar os pneus.

Em algumas exceções a pressão para andar com o veículo cheio e vazio é a mesma. Portanto é só seguir o que está no manual sem medo.

Quer aprender mais? Veja mais artigos sobre Pneus: como aumentar a durabilidade dos pneus.

O que a calibragem de pneus inadequada acarreta para veículos pesados?

A pressão de ar de um pneu é ainda mais importante no caso de caminhões e veículos pesados. Isso porque o peso da carga de um caminhão, por exemplo, pode ser bastante elevado. 

Dessa forma, a manutenção da pressão dos pneus deve ser vista pelo gestor de frotas como um componente chave de um programa completo de manutenção de pneus.

A quantidade de problemas relacionados aos pneus e incidentes à beira da estrada será significativamente reduzido caso você mantenha as inspeções de pressão dos pneus em dia, assim como o tempo de inatividade dos seus veículos.

Note também que a calibragem baixa é a causa número 1 da remoção prematura dos pneus. 

Especialistas recomendam que caso ela esteja 20% abaixo da pressão recomendada pelo fabricante, o pneu deve ser considerado furado. Assim, deve ser removido e inspecionado para a verificação de perfurações ou outros danos.

Economize e reduza riscos de acidentes com pneus calibrados!

Poucas pessoas sabem, mas, de acordo com uma pesquisa da Michelin, cerca de 50% dos veículos brasileiros trafegam com a calibragem dos pneus incorreta, sendo que 20% deles estão em condição perigosa.

Isso gera sérios problemas para o gestor de frotas. Um deles é seu desgaste prematuro dos pneus. Manter veículos trafegando com calibragem incorreta podem ter uma vida útil de até 8.500 km menor. 

Aliado a isso, andar com pneus muito cheios ou muito vazios aumenta o risco de acidentes e o consumo de combustível.

Um outro problema é o peso no bolso. Com o aumento da manutenção de alguns itens do sistema de suspensão e de direção do carro por andarem sob estresse excessivo devido a calibragem incorreta dos pneus. 

Veja mais sobre este assunto no post sobre como reduzir os custos com manutenção dos veículos.

Gostou desse post sobre calibragem de pneus? Compartilhe nas redes sociais e ajude mais pessoas a rodarem com segurança e economizar.

O controle de frota envolve o gerenciamento de ativos como custos, satisfação dos clientes, cumprimento de prazos de entrega, manutenção e muitos outros. E uma planilha de controle de Frota pode ajudar nisso.

Sem o controle e um acompanhamento adequado, através de uma planilha ou de uma tecnologia adequada para gestão de frotas, não é possível nem gerar e nem analisar os dados corretamente.

Sabemos que manter seus veículos e motoristas seguros, produtivos e na estrada é essencial para atingir as metas de vendas e serviços da sua organização. 

Por isso, neste artigo especial, listamos algumas práticas atualizadas e disponibilizamos uma planilha gratuita para manter sua frota em plena operação! 

Controle de frota: por que é tão importante fazer?

A importância do controle de frota para a sua gestão se dá, principalmente, pela necessidade de se gerir os custos e otimizar a sua operação na totalidade

Um controle bem feito e estruturado permite que os recursos sejam utilizados adequadamente. Tanto para evitar desperdícios quanto para aumentar as possibilidades de investimentos do negócio.  

Além disso, também é possível saber, por exemplo, se o número de veículos presente na sua frota é suficiente para atender a sua demanda atual. Ou, ainda, quantos veículos deverão passar por uma manutenção preventiva no próximo mês.

Confira outros benefícios gerados pelo controle eficiente da frota:

  • Possibilidade de maximizar os lucros;
  • Aumento da produtividade da operação;
  • Facilita a tomada de decisão baseada em dados;
  • Garante maior competitividade para a sua empresa.

Como é um controle de veículos eficiente?

Um controle eficiente envolve 3 frentes principais

  • Controle de Custos: engloba o gerenciamento dos custos fixos e variáveis.
  • Controle de Ativos: cadastro e acompanhamento da sua operação, seja em uma planilha ou através de um sistema de gestão;
  • Política de Frotas: diretrizes gerais para o gerenciamento dos veículos da sua frota.

Dessa forma, um controle de frota eficiente consiste na adoção de estratégias que permitam a redução dos custos e ganhos de produtividade.

Quando a sua gestão mantém um controle estruturado e amparado por uma política de frotas clara é possível evitar ações drásticas. Como demissões em massa, fechamentos de centros de distribuição ou a perda de alguns negócios.

Muitas vezes, inclusive, pequenas alternações pontuais, feitas com o embasamento nos dados recebidos e analisados. Para que isso aconteça, é necessário que você organize sua estrutura para captar e analisar as informações desse setor.

A função de uma política de frotas clara e objetiva

O controle de frota ganha e muito quando existe um documento que estabelece as regras de gestão para todo e qualquer veículo da sua frota.

É comum que esse documento nem sequer exista ou esteja defasado,  não servindo para fins de otimização da gestão e controle.

Um documento de Política de Frotas, deve conter:

  • Regras de conduta para os seus colaboradores;
  • Normas para a condução dos veículos;
  • Política de comportamento no trânsito;
  • Metas e objetivos da sua organização.

Não esqueça de divulgar a sua política de frotas! Dessa maneira, você integra a sua equipe das políticas internas da empresa, o que facilita o controle da frota.

Nesse sentido, é importante ter uma reserva para não precisar recorrer a empréstimos e, consequentemente, ter que arcar com juros altíssimos. 

Tente separar uma quantia todo os meses para compor esse fundo, e a coloque em uma aplicação segura e com liquidez imediata.

Criando um fluxo de controle de frota

1. Controle de gastos com uma planilha de controle de frota

Você pode até saber o plano geral, ou seja, quanto dinheiro sua empresa gasta para manter a frota. No entanto, a sua gestão pode ser muito mais eficiente se você controlar a fundo cada gasto com cada veículo.

Em primeiro lugar, com um correto controle de despesas, é possível saber quais são as áreas da frota em que você mais está gastando. Manutenção, reparos, compra de equipamentos, abastecimento, multas etc.

Assim você pode identificar os problemas que estão gerando esses gastos, e tomar ações para corrigir essas falhas, economizando dinheiro.

Também pode acompanhar a evolução dos gastos ao longo dos meses e fazer uma comparação das atividades relacionadas às despesas. Assim, você consegue desenvolver um planejamento financeiro para épocas de maior gasto.

Além disso, ainda é possível usar essas informações de controle de despesas de forma estratégica.

Por exemplo: mostre o gasto com manutenções e abastecimento aos motoristas. Para incentivá-los a seguir boas práticas no trânsito que podem evitar ou diminuir essas despesas. Como motivação, mostre que o dinheiro economizado poderia ser aplicado em melhorias para eles próprios.

2. Mapeie os gastos dos últimos meses

Uma frota envolve muitos gastos, e mapear a maneira como você tem administrado o orçamento é essencial para obter um controle de qualidade.

Nesse sentido, saber quais são as áreas da frota — manutenção, reparos, compra de equipamentos, abastecimento, multas — em que você mais está gastando também é fundamental.

Assim, podemos identificar os problemas que estão gerando esses gastos, e tomar ações para corrigi-los.

Para isso, é necessário que você tenha todas as notas fiscais e recibos dos seus gastos, tanto aqueles que a sua empresa paga diretamente aos fornecedores quantos os gastos realizados pelos motoristas, e reembolsados para eles.

No geral, muitos não têm tempo, paciência, ou disciplina para guardar recibos e preencher esses dados. Mas para ter sucesso no controle de gastos e saber aonde o dinheiro está indo, é fundamental se esforçar para realizar um bom mapeamento orçamentário.

3. Some as despesas de cada mês da planilha de controle de frota

Na última linha, é importante inserir a soma de todos os gastos dos meses anteriores. Dessa maneira, com certeza ficará mais fácil identificar se os gastos estão, ou não, de acordo com as receitas. Informações que poderão te ajudar a tomar a melhor decisão na hora de cortar gastos indevidos.

4. Crie metas de economia

Depois de organizar todos os dados na planilha e sofrer o primeiro impacto quanto a como andam as finanças da sua frota, é preciso buscar a melhor maneira para fazer com que seus gastos se tornem menores que as receitas.

Para isso, algumas decisões drásticas serão necessárias, bem como criar metas para que essa redução de custos aconteça, de fato. Então, com base em tais metas, você poderá programar serviços como manutenções preventivas, trocas de pneus, entre outros.

É importante acompanhar a evolução dos gastos ao longo dos meses, fazendo uma comparação das despesas. Assim, você consegue desenvolver um planejamento financeiro para épocas de maior gasto.

Além disso, também é necessário analisar todas as alternativas para reduzir os custos da sua frota. Ou — o que seria ainda melhor — conseguir aumentar as receitas sem deixar de fazer as devidas economias.

Esses gastos deverão ser acrescentados antecipadamente na planilha. Com isso, você terá um maior controle das despesas e poderá pensar em começar a guardar dinheiro para possíveis imprevistos.

5. Acompanhe o desempenho

Com o passar dos meses, é importante que as metas sejam reavaliadas. Afinal, conforme vão sendo cumpridas, elas podem (e devem) ser ampliadas, assegurando um controle cada vez mais eficiente das despesas da sua frota.

Contudo, uma observação importante quanto a isso é compreender que imprevistos podem acontecer. Logo, se alguma meta deixar de ser cumprida, ela também deverá ser reformulada para que o objetivo seja alcançado.

Lembre-se: assim como em uma residência, controlar as despesas e receitas de qualquer departamento é uma questão de definir as prioridades.

6. Conheça os custos fixos e variáveis

Por fim, como já dissemos, uma frota tem vários tipos de gastos — e nossa planilha de controle de despesas é eficiente para apresentar tanto os gastos fixos quanto os variáveis. Dessa forma, você não terá maiores surpresas na hora de fazer o fechamento mensal e dos gastos da frota.

Além do mais, isso ainda possibilita que você esteja preparado para os gastos que surgirão nos próximos meses. Afinal, avaliar com frequência o desempenho mensal, além da evolução do controle de despesas com a sua frota,é tão importante quanto o planejamento inicial que foi realizado.

Isso te permite analisar, por exemplo, se as metas impostas estão sendo alcançadas e, caso não estejam, por qual motivo não o são. Enfim, uma boa planilha de controle diário de veículos é a chave para identificar os ralos existentes que estão prejudicando a saúde financeira da sua frota.

7. Tenha um bom planejamento financeiro

Bom, agora que já tem um bom controle da sua gestão de frotas, você pode apostar em fazer um bom planejamento financeiro para esse setor da sua empresa. 

Com mais conhecimento de causa, poderá avaliar quais são os melhores momentos para investir, bem como qual é a hora de apertar o cinto nas despesas.

Utilize esses dados e informações obtidas para fazer projeções em relação aos custos que você terá com a aquisição de veículos, salários extras, manutenção e combustível, entre outros itens relacionados. 

Isso será a chave para o sucesso e para um bom desempenho do seu negócio.

Planilha de Controle de Frota Grátis! A Sofit te ajuda a manter a sua frota sob controle!

Então, viu só como o controle de frota pode ser benéfico para a sua empresa? Chega de olhar apenas a linha final das despesas — controle cada saída de dinheiro, saiba para onde o capital da sua empresa está indo e como ele poderia ser melhor aplicado!

E, se você ainda está em dúvida se esse controle pode mesmo ser bom para a gestão da sua frota, faça o teste e perceba as melhorias!

Para te ajudar a dar os primeiros passos, criamos uma planilha de controle de frotas, justamente para que você consiga avaliar melhor as informações sobre a sua frota e o seu negócio. 

Baixe a planilha logo abaixo!

Planilha de controle de frota grátis

E, depois de provar que o método funciona na planilha, pode dar o próximo passo para deixar esse controle ainda mais dinâmico, seguro e integrado com todas as informações da frota!

Você aplica um checklist diário de veículos para eliminar erros e garantir o fluxo correto da sua operação?

Essa prática, além de facilitar a verificação de componentes dos ativos da sua frota, auxilia, também, na conferência de componentes que fazem parte do dia a dia de qualquer gestor de frotas. 

Embora o checklist diário de veículos seja uma prática tradicional, ela evoluiu. Hoje, gestores já contam com o apoio de softwares de gestão integrada e apps. Proporcionando uma visão muito maior sobre o que está acontecendo com seus veículos.

Neste artigo, você vai entender porque é importante utilizar este checklist em seu dia a dia e entender como aplicá-lo hoje mesmo na sua empresa. Acompanhe!

Por que utilizar um checklist para veículos é importante para a sua frota?

Um checklist faz parte de uma estratégia ampla de controle de frotas. Através deste recurso é possível acompanhar o andamento dos componentes prioritários dos veículos  de uma frota. 

As principais vantagens de checar os seus veículos diariamente incluem:

Um checklist diário de veículos é importante também por permitir a manutenção de uma rotina mais organizada. Assim, o gestor passa a possuir todas as informações relevantes sobre seus veículos em suas mãos.

Além disso, também pode  utilizá-lo como um lembrete para itens que podem passar despercebidos antes de liberar um veículo.

Como utilizar um modelo de checklist diário de veículos?

É importante que você identifique primeiro como este checklist será aplicado nos processos da sua empresa. Seja para a vistoria de entrada e saída do veículo, acompanhamento de itens, revisão, manutenção ou inspeção de conservação. Existem diferentes tipos de checklist que você pode passar a aplicar em sua frota.

A maioria deles são compostos por informações e itens obrigatórios para que você preencha antes de liberar um veículo, por exemplo. 

Entre essas informações, podemos encontrar dados como:

  •  Identificação do carro;
  • Unidade da empresa;
  • Características do veículo, etc.

Para começar a utilizar um checklist diário de veículos, é importante que você  faça sua impressão caso o mesmo seja impresso. Após isso, repasse para seus funcionários ou, se preferir, preencha-os manualmente você mesmo.

No fim de suas operações, reúna seus checklists. Então, junte as informações recolhidas e veja quais medidas precisará tomar para corrigir os problemas identificados.

É válido ressaltar que é importante que os dados sejam preenchidos dentro dos padrões já conhecidos na empresa. Assim é possível aplicar planos de ação realmente efetivos.

Como automatizar esse checklist?

Aquela imagem do gestor com uma prancheta e atualizando todos os componentes dos veículos numa planilha já ficou no passado. 

Além de evitar o erro humano e auxiliar na organização e conferência dos dados, a tecnologia facilitou o processo de checklist diário de veículos.

De qualquer lugar e com a utilização de um APP de controle de frotas, por exemplo, é possível criar um checklist colaborativo e conferir item por item.

Outras possibilidades como anexar imagens e personalizar o seu checklist de acordo com as particularidades da sua empresa também são possíveis graças à tecnologia.

Baixar check list de veículos pdf

Quais as melhorias para sua frota este checklist pode ajudá-lo a alcançar

Por permitir um retorno prático sobre suas operações, um checklist diário de veículos é essencial para corrigir problemas que passam despercebidos na gestão. 

Controlar os passos que vão compor a saúde de seus componentes é a melhor forma de ter uma frota mais organizada e eficiente. E ter essas informações quando realmente precisa é super importante para isso até mesmo quando algo passar em branco.

Outra função de um checklist envolve a área fiscal. 

Muitos gestores acabam sendo pegos de surpresa com veículos que rodam com documentação atrasada ou sem componentes obrigatórios e o uso de um checklist diário de veículos evita que isso aconteça.

Pronto para ativar o recurso de checklist diário na sua frota?

Tendo em mãos tudo que você precisa para garantir o sucesso de sua operação é a melhor forma de se livrar de atividades desnecessárias. Que, também, podem contribuir, principalmente, para o atraso da liberação de um veículo, por exemplo.

O sucesso de uma gestão de frotas é resultado da exatidão e no foco no que realmente importa e aplicar um checklist diário de veículos pode ser a escolha mais eficiente – e acessível – para isso.

Baixe agora o Checklist Gratuito que fizemos para ajudar você nesta missão diária.

Aproveite também e agende uma demonstração do Sofit para Gestão de Frota Aqui! Estamos te esperando.

A manutenção preditiva vem ganhando espaço na gestão de frotas. A coleta e análise de dados, ajuda a manter os seus veículos em movimento uma vez que prevê problemas que podem vir a acontecer no futuro.

Muito comum nas indústrias por promover ganhos de produtividade. Esse tipo de manutenção garante uma série de outros benefícios para empresas que possuem frotas de veículos.

Neste artigo, trazemos tudo o que há de mais novo na manutenção preditiva para frotas. Para que, então, você entenda exatamente qual o papel dela na sua gestão. 

Acompanhe!

O que é manutenção preditiva?

A manutenção preditiva é o acompanhamento periódico de máquinas e equipamentos através de dados coletados por meio de inspeção e monitoramento. 

O dicionário define o termo “preditivo” como algo relacionado à ação de afirmar antecipadamente o que poderá ocorrer num momento futuro. 

Para a realização da manutenção preditiva, alguns recursos são utilizados, como:

  • Estatísticas;
  • Modelagem;
  • Machine Learning;
  • Mineração de dados.

Uma das maiores características desse tipo de manutenção é que ela permite prever o tempo de vida útil dos componentes as condições necessárias para que este tempo seja aproveitado. 

Através dela, é possível premeditar a necessidade de serviços de manutenção. Bem como eliminar a chance de desmontagem ou adaptações desnecessárias.

 

A manutenção preditiva na gestão de frotas

Tradicionalmente, gerentes de frotas utilizam dados de fornecedores para estruturar os intervalos de manutenção preventiva. Para realizar, assim, as trocas de óleo, substituir fluidos e realizar, por exemplo, a troca de pneus.

Embora essa prática ainda seja utilizada e até recomendada, as tecnologias que entregam dados em tempo real estão ganhando cada vez mais espaço na gestão de frotas. Contribuindo com o processo de manutenção preditiva.

Para a gestão de frotas, a manutenção preditiva proporciona uma série de benefícios, como:

  • Redução dos custos gerais de manutenção;
  • Aumento do tempo de disponibilidade de peças e acessórios dos veículos;
  • Redução da porcentagem de paradas de emergência;
  • Eleva a vida útil e desempenho do automóvel a longo prazo.

É importante destacar que para cada tipo de manutenção, deve-se determinar a frequência, o responsável e os métodos de serviço. 

Esses são alguns aspectos que determinam os resultados da manutenção preditiva, como a redução de custos e o aumento da produtividade.

O desafio da análise preditiva para o gestor de frotas

Grandes gestores tomam as suas decisões baseados em dados e estão cada vez mais longe da operação, assumindo posições mais estratégicas e, no caso da gestão de frotas, não é diferente.

Todavia, embora gestores de frota entendam que os dados gerados pelos veículos definitivamente auxiliam a prever e detectar problemas antes mesmo que eles aconteçam, lidar com um amontoado deles pode ser um desafio.

É preciso ter a disposição de ferramentas de gestão corretas. Para extrair ideias que possam ser trabalhadas a partir dos dados, além de atuar de forma sistemática – não apenas quando o problema acontecer.

Dessa forma, utilizar a análise preditiva no gerenciamento de frotas é ideal para:

 

  • Impulsionar a análise de risco;
  • Analisar de uso de equipamentos;
  • Realizar programações de produtividade da frota;
  • Obter cronogramas de manutenção futura.

O que mais você precisa saber agora?

A manutenção preditiva de qualidade é feita a partir de dados fornecidos por um programa de monitoramento e inspeções de desempenho. 

São geralmente avaliados fatores como vibração, termografia e outros que podem trazer danos ao motor do carro ao longo do tempo. 

A execução é realizada com o uso de ferramentas adequadas, capazes de registrar determinados fenômenos.  

É dessa forma que a predição permite aumentar o grau de confiança no desempenho dos veículos de toda a frota. Determinando, então, previamente as interrupções de fabricação.

A manutenção preditiva é feita a partir de 4 estudos ou análises divididas em: 

  • Análise das vibrações; 
  • Análise dos óleos;
  • Análise dos estados das superfícies e;
  • Análise estrutural. 

Geralmente é por essas 4 observações que você consegue prever futuras manutenções. Vamos saber mais sobre elas:

1 – Estudo das vibrações

Um automóvel é formado por engrenagens, válvulas e peças que produzem vibrações em funcionamento. 

Cada vez que elas são usadas, são deterioradas de alguma forma. Na manutenção preditiva é observado o nível de vibrações, e, a partir disso, é possível se dizer em que estado a peça especifica se encontra no momento.

As vibrações são medidas por meio de aparelhos específicos. Um aparelho empregado para a análise é conhecido como analisador de vibrações. Há, enfim, vários modelos no mercado, dos mais simples aos mais complexos.

2 – Análise dos óleos

Essa segunda análise permite ver se é hora de trocar o óleo do automóvel. Ela é feita tanto na parte hidráulica como mecânica do carro.

Essa parte do processo é de extrema importância, e ignorá-la é correr o risco de causar danos maiores e provocar acidentes graves, que podem até ser fatais.

3 – Análise do estado das superfícies

A terceira análise feita na manutenção preditiva pode ser simplesmente visual e entra em cena como um complemento ao estudo das vibrações. 

Aqui você observar as peças, perceber se há desgastes ou anomalias capazes de afetar o funcionamento do motor futuramente, se elas necessitam de troca ou algum tipo de tratamento.

4 – Análise estrutural

A análise estrutural inclui todas aquelas estruturas que devem resistir a cargas e impactos, o que é o caso de alguns itens de frotas, como caminhões. 

Essa análise detecta, por exemplo, a existência de rachaduras, fissuras, trincas e, também, vazamentos em diversos locais do veículo.

E qual a diferença entre a manutenção preventiva e a preditiva?

A maior diferença da manutenção preditiva para a preventiva é que a primeira conta com algum sistema de monitoramento para analisar o status real da peça ou máquina, em vez de considerar apenas os padrões ou os índices estatísticos.

Podemos citar como exemplo o monitoramento da temperatura do baú, quando o veículo está carregado com cargas congeladas ou perecíveis. 

Nesse caso, a temperatura deve ser monitorada para garantir um padrão e evitar a quebra de frio ou descongelamento dos produtos.

A maior vantagem da manutenção preditiva: a redução de custos

Como sempre ressaltamos aqui, a empresa que deseja aumentar a vida útil dos itens de sua frota e reduzir custos precisa estar em dia com a manutenção preditiva. Avaliar as condições dos carros exige um trabalho minucioso de coleta e análise de dados.

O foco da manutenção preditiva está sempre na economia, na redução de custos e, também, na segurança das pessoas (leia-se condutores e clientes). Ela possibilita que algo seja feito antes que os defeitos possam se agravar. Evitando prejuízos maiores para os gestores e para toda a empresa.

Enfim, este modelo de manutenção possibilita que ações sejam tomadas no momento certo, evitando, assim, desgaste ou perda de carros. Isso ainda proporciona que o veículo esteja sempre pronto para ser usado. Funcionando, então, com total capacidade para maior rendimento e produtividade, elementos essenciais para o sucesso de sua empresa.

 

Adote a manutenção preditiva na sua frota!

Como vimos, os custos com manutenção, por menor que sejam acabam impactando diretamente nos custos da sua frota. Isso quando um pequeno problema não se torna uma perda maior que vai minando os seus recursos de forma inesperada.

Esperar pela próxima manutenção programada pode fazer o gestor de frotas perder tempo e dinheiro. 

Enfim, é por isso que a manutenção preditiva associada a um software de gestão de frotas, pode fazer com que a sua empresa economize e a sua frota ganhe mais disponibilidade e produtividade.

 

Conte com a Sofit para fortalecer a sua análise preditiva!

O software de gestão de frotas é essencial para um maior controle sobre os planos de manutenção — que incluem as manutenções realizadas e o estoque de peças de reposição — e também sobre a documentação dos veículos. 

O software de gestão funcionará como base de dados sobre toda a frota e outros aspectos da empresa. 

Você poderá gerenciar informações sobre a logística e, também, detalhes como o estoque de peças de reposição estarão acessíveis em um ambiente confiável.

Assim, como consequência, poderá rastrear problemas rapidamente e aplicar medidas para melhorar o fluxo de trabalho do negócio com facilidade. 

Tudo isso, sem dúvidas, vai proporcionar uma melhor manutenção preditiva e, consequentemente, o sucesso de sua organização do mercado.

Para saber mais sobre isso, clique aqui e confira nossas soluções! Temos uma equipe pronta para te atender!

Indicamos também nosso Webinar de Manutenção de Frotas:

Gestão de frotas não é uma tarefa simples. Você precisa controlar a utilização dos veículos, abastecimentos, manutenção, locações, infrações etc. E tudo é urgente, sendo com ou sem ajuda de um sistema e app para controle de frotas.

Agora imagine que no meio dessa gestão toda você recebe uma ligação de alguém solicitando aumento de limite mensal no cartão de abastecimento. Daqui a pouco chega, também, uma notificação no whats de outra pessoa precisando de um veículo reserva, enquanto isto na frente da sua mesa tem alguém parado aguardando para te devolver um veículo. E, assim, tudo vai embolando sem controle nenhum.

Essa ainda é uma realidade para muitos gestores de frota. Onde documentos impressos ainda são comuns e a conferência é realizada sem a possibilidade de anexar imagens. Tudo, então, na base da confiança.

Isso pode implicar numa gestão sem prioridades e nada eficiente. Já que, assim, assuntos de extrema importância acabam ficando para trás dando lugar à situações que podem ser facilmente resolvidas com um sistema de gestão de frota que inclui, também, um aplicativo de solicitações, checklist e painel do condutor.

Se você se identificou com alguns desses cenários, conheça então o APP para controle de frotas Sofit e veja como as funcionalidades do aplicativo podem te ajudar no controle da sua frota.

 

O que é e como o controle da frota normalmente é realizado?

O controle da frota pode ser compreendido como a base, o alicerce da sua gestão.

Essa é uma prática que envolve o gerenciamento dos ativos. Como pneus e condutores, até as informações sobre todos os seus veículos como entradas e saídas, manutenção, dimensionamento e controle de combustível.

Controlar a frota envolve, enfim, organizar fluxos, gerenciar as solicitações e processos e ter uma visão ampla de tudo isso sempre que for necessário.

O problema da falta de controle das solicitações

Gerentes de frota estão acostumados com solicitações diárias. São telefonemas, e-mails, recados em aplicativos de mensagem como o Whatsapp e até abordagens verbais. As principais incluem:

  • Aporte de combustível;
  • Solicitação de Manutenção;
  • Alterações de cadastro;
  • Solicitações de veículo reserva;
  • Sinistros;
  • Carga de Combustível (cartão).

 

Mapear as informações da sua frota de forma assertiva —  e isso inclui o registro das solicitações —  é, então, o primeiro passo para um controle de frotas mais eficaz.

Já que quando recebem solicitações através de diversos meios de comunicação, muitos gestores acabam falhando nesta missão e tendo problemas futuros.

 

Checando a sua frota, item por item

Na sua empresa, existe um checklist de controle da sua frota? Por exemplo:

  • Como você confere a situação do veículo?
  • Ou como faz para realizar a atualização do hodômetro?

Para boa parte das empresas, quando essa checagem é realizada, normalmente é feita através de documentos impressos ou planilhas.

Todavia, dessa forma, a gestão acaba sendo mais suscetível a erros, já que carece de recursos adicionais super importantes, como a possibilidade de anexar uma imagem de comprovação, por exemplo.

Como o APP Sofit auxilia no controle da frota?

Uma das funções do APP para controle de frotas Sofit é o checklist, automatizado para a conferência dos itens dos seus veículos. E o melhor, o sistema considera as particularidades de cada empresa e é, também, personalizável.

 

Assim então, você consegue checar itens com toda a segurança gerando benefícios como:

  • Facilidade na conferência de pneus;
  • Redução dos índices de acidentes;
  • Diminuição de gastos com manutenções corretivas;
  • Menos atrasos nas entregas devido a problemas mecânicos.

 

Além do checklist, você e o condutor também podem acessar o painel do condutor do smartphone, e ter acesso a informações sobre os seus condutores que incluem:

  • Um indicador de infrações que o condutor cometeu nos últimos 12 meses;
  • Visualizar Controle de consumo de combustível;
  • Verificar quais veículos é condutor responsável;
  • Informações sobre a necessidade de atualização de CNH;
  • Verificar pendências que estão aguardando alguma ação do usuário;
  • Visualizar a última manutenção executada e, caso controle alguma preventiva, a próxima manutenção preventiva a ser realizada.

Por que testar o APP para controle de frotas da Sofit na sua empresa?

Se você ainda sofre com a falta de controle da sua frota e deseja obter um mapeamento das demandas, além de um sistema de conferência mais simples e transparente, então, solicite um teste do sistema Sofit.

Como especialistas em Gestão de Frota temos certeza que podemos resolver juntos os problemas relacionados à sua gestão. Agende uma apresentação sem compromisso e conheça o APP para controle de frotas Sofit!