Guia completo para cortar custos na gestão de frotas

O corte de custos em uma empresa deve sempre fazer parte do planejamento, de forma que as ações tomadas ajudem a praticar processos mais enxutos e a manter o negócio competitivo no mercado. Na gestão de frotas existem diversas possibilidades que, se bem analisadas, podem contribuir para reduzir os gastos da operação.

O nosso artigo de hoje foi criado com a intenção de fornecer dicas de como cortar custos na gestão de frotas, aprimorar seus resultados e tornar os processos mais eficientes. Quer saber como tudo isso pode ser feito, aperfeiçoar ainda mais os seus conhecimentos e melhorar a gestão? Então continue conosco e confira agora mesmo:

Faça um controle rigoroso de combustível

Controle os níveis de consumo de combustível por viagem, se possível. Ele ajuda a identificar o desempenho por veículo, por rota e por motorista. Com as informações detalhadas a esse nível, é possível identificar melhor quais são os principais gargalos que podem ser, por exemplo, uma falha no planejamento de rotas ou uma condução inadequada de determinado motorista.

Além disso, procurei sempre pesquisar preços e identificar quais postos de abastecimento são mais confiáveis. Se possível, procure negociar e fechar contrato com algumas redes. Isso pode ajudar a conseguir descontos e/ou boas condições de pagamento. Nesse vídeo, você acompanha como reduzir custos na frota com o uso do Sofit4Transport.

Cuidado extra com os pneus

Os pneus, assim como o abastecimento, representam os maiores custos na gestão de frotas. Portanto, é preciso estar atento aos cuidados e adotar medidas, algumas delas bem simples, que contribuem para aumentar a vida útil desse item.

Manter uma calibragem adequada, fazer uma condução mais responsável – evitando derrapadas e frenagens bruscas – e evitar o excesso de peso são algumas dessas ações que ajudam a prolongar a utilização dos pneus, contribuindo para que os custos com reposição sejam adiados.

Identifique e controle os custos ocultos

Os custos ocultos na gestão de frotas são aqueles que nem sempre são fáceis de identificar e mensurar, mas que existem e podem alterar consideravelmente os resultados. Entre os principais, podemos citar: o período de indisponibilidade de um veículo que está em manutenção, custo da troca de uma peça em manutenção antes do tempo ideal e equipe mal treinada – o qual vamos abordar em outro tópico.

Saiba mais sobre os custos ocultos e como eles podem ser controlados!

Realize manutenções preventivas

Ainda existe um certo tabu a respeito das manutenções preventivas. Muitos gestores consideram essa prática como um ônus para a gestão de frotas. Entretanto, são essas manutenções que ajudam a prever quando uma peça precisará ser trocada, que identificam e se antecipam a falhas que poderiam se transformar em problemas maiores e que permite que reparos sejam realizados sem comprometer a produtividade dos veículos.

Quando as empresas optam por realizar apenas as manutenções corretivas, ela corre o risco de elevar seus custos com a mão de obra do mecânico, com a ociosidade do veículo que precisa ficar parado por mais tempo e com a reposição de peças, que poderia ser adiada caso os cuidados tivessem sido tomados. Isso tudo sem contar no aumento do risco de acidentes nas estradas que podem ocorrer por falhas mecânicas!

Invista no treinamento dos motoristas

Uma equipe mal treinada pode contribuir para que os custos na gestão de frotas sejam ainda maiores. Esses gastos estão dentro da categoria de custos ocultos e, dificilmente, são identificados, o que torna sua gestão menos assertiva.

É importante conscientizar os motoristas a respeito de uma direção consciente, sobre os cuidados adequados com o veículo – como a calibragem dos pneus e os locais de abastecimento – e sobre a importância do cumprimento das rotas que foram planejadas para o transporte. Quando a equipe se torna consciente da importância de seu papel e como ele afeta os resultados, é mais fácil conseguir obter as melhorias desejadas.

Melhore a comunicação

Estamos na era da comunicação, em mercados dinâmicos que exigem respostas cada vez mais rápidas para as questões. Alguns problemas estão relacionados justamente ao atraso na comunicação ou no repasse ineficiente de informações.

Por exemplo, um veículo foi para a manutenção preventiva e foi detectada a necessidade de realizar a reposição de determinada peça. O ideal é que o gestor seja comunicado a respeito desse fato imediatamente, para que possa tomar sua decisão e agilizar o processo. Quando essa comunicação demora para acontecer, o veículo passa mais tempo ocioso, aumentando ainda mais os custos de indisponibilidade.

Analise seus processos

Algumas falhas nos processos internos também podem contribuir para o aumento de custos de uma operação. Mapeie cada etapa de sua rotina e procure identificar quais delas são desnecessárias e causam desperdícios e quais podem ser melhoradas e o que pode ser feito para que isso seja alcançado.

Quando essas melhorias, ou a eliminação de atividades desnecessárias, são implementadas, os processos se tornam mais enxutos, proporcionam um aumento de produtividade e ainda reduz os custos necessários para que a operação continue rodando.

Utilize a tecnologia a seu favor

A utilização de um software de gestão de frotas permite que grande parte dos processos – com o controlde abastecimento, de pneus e de custos por viagem, custo por km rodado – sejam administrados de forma mais eficiente e eficaz. Além disso, ele permite a geração de relatórios que auxiliam no acompanhamento da evolução dos resultados, permitindo um controle ainda maior sobre cada aspecto da operação.

Com todos os custos sendo mais controlados, é mais fácil identificar os principais gargalos e quais ações devem ser tomadas para evitar a ocorrência desses riscos que podem prejudicar os resultados.

Saiba como um software de gestão de frotas contribui para a redução de custos e aumento da rentabilidade com esse artigo.

Sabemos da importância que o corte de custos possui para as empresas e porque esse planejamento deve ser realizado com frequência. Contudo, é preciso ressaltar um ponto crítico nesse processo: a qualidade dos serviços. A redução de custos só é considerada eficiente quando ela não afeta a qualidade do serviço prestado e os níveis de satisfação dos clientes. Portanto, os gestores devem estar atentos e prever se as ações tomadas não impactam de forma negativa na qualidade – caso contrário o corte de gastos pode apresentar mais problemas do que benefícios.

O que achou das nossas dicas de hoje? Já utiliza algumas delas para melhorar o desempenho da sua gestão de frotas? Para complementar essas informações e te ajudar ainda mais a reduzir custos, acesse esse kit. Compartilhe suas experiências conosco através dos comentários e contribua com mais conhecimento!

“A parceria Sofit x Ebeg trouxe além da redução de custo, uma transparência nos dados obtidos mensalmente, onde podemos identificar oportunidades de melhorias.” – Nosso cliente, Transportes Ebeg.

2 respostas

Os comentários estão fechados.