Economizando com manutenção corretiva
Por mais que os cuidados preventivos sejam sempre recomendáveis, uma empresa que possui frota estará sempre suscetível a fazer a manutenção corretiva nos veículos. E esse tipo de trabalho não programado requer um atendimento rápido, para evitar interrupção na produção. Afinal, veículo parado é sinônimo de prejuízo.

Ainda assim, os reparos não planejados tendem a sair mais caros para a empresa do que os trabalhos preventivos. Por isso, este artigo elencará 3 dicas para economizar na manutenção corretiva. Confira!

Tenha um plano de contingência

Como você deve saber, qualquer empresa corre riscos na execução de atividades. Por isso, dispor de um planejamento adequado para situações de perigo, acidentes, avarias etc. é essencial para que o negócio consiga vencer os obstáculos que aparecem no meio do caminho.

Mesmo com a manutenção preventiva em dia, um veículo pode estar sujeito à manutenção corretiva quando ocorrem imprevistos, como pneus furados ou quebra de um vidro, por exemplo.

Em casos assim, é recomendável que a empresa já tenha um roteiro de ação, para evitar perda de tempo e prejuízos maiores. Uma opção para economizar é ter uma parceria com um reparador de confiança, para acioná-lo sempre que necessário por um preço mais convidativo.

Não adie a manutenção corretiva

Sabemos que alguns defeitos simplesmente impedem o veículo de trafegar, como pane elétrica, problemas na combustão, entre outros. Nesses casos, o reparo é inevitável para colocar o carro ou o caminhão de volta à estrada.

Porém, alguns defeitos que ainda permitem a condução do veículo, como queima de lâmpadas, desgaste prematuro em um só lado do pneu, quebra de um retrovisor, barulhos no freio ou na embreagem, etc. — e, muitas vezes, eles não são fontes de preocupação imediata por quem faz a gestão da frota.

O problema de adiar a manutenção corretiva é que um defeito pequeno pode se tornar grande e gerar ainda mais custos. Por exemplo, defeitos no balanceamento e no alinhamento dos pneus, depois de uma passagem brusca por um buraco na pista, podem causar eventuais danos na suspensão do veículo.

Além disso, alguns danos podem até ser motivo para multas ou ainda causar acidentes, o que tornaria tudo muito pior.

Mantenha um histórico da manutenção

Dispor de um sistema de gestão de frota para acompanhamento da situação de cada veículo é uma verdadeira “mão na roda” na hora de cortar gastos.

Você já deve ter ouvido falar de carros ou caminhões que frequentemente possuem defeitos em uma determinada peça, não é mesmo? Em alguns casos, as fábricas até realizam os chamados “recalls”, para solucionar esses problemas.

Já na frota da empresa, vários motivos podem causar defeitos comuns em veículos, como a maneira de se transportar uma certa carga, as condições de determinada estrada, o jeito de dirigir dos motoristas, etc.

Com o histórico da manutenção corretiva, a empresa poderá estudar qual é a causa da avaria para buscar solucioná-la. E, com esse conhecimento acumulado, o negócio evita gastos desnecessários no futuro.

Como você deve saber, a manutenção preventiva é a mais indicada para não deixar a empresa na mão quando ela precisar colocar os veículos na estrada. Porém, a manutenção corretiva também faz parte do dia a dia dos empreendimentos.

Mesmo que ela não seja planejada, é possível encontrar maneiras de torná-la mais eficiente, com a definição antecipada da maneira certa dos colaboradores agirem em caso de imprevistos nos veículos.

Você costuma realizar a manutenção corretiva na frota do seu negócio? Compartilhe sua experiência aqui nos comentários. Não deixe de participar!