Entenda a ideia de frotas ecológicas

A cada ano que passa o meio ambiente ocupa mais espaço nas rodas de discussões. A preservação de ecossistemas e dos bens naturais não é motivo de preocupação apenas para ambientalistas, mas também da população em geral. As empresas também não têm se mostrado indiferentes a esse pensamento e têm buscado mecanismos para tornar as suas atividades sustentáveis e garantir um novo tipo relacionamento com o ambiente em que estão inseridas.

Essa nova postura tem levado as corporações a desenvolverem mecanismos para tornarem os seus processos e maquinários mais sustentáveis. Dentre essas tendências tem-se desenvolvido o conceito de frotas ecológicas. Veículos automotores são apontados como poluidores, principalmente por usar as formas tradicionais de combustíveis — como a gasolina. Buscar alternativas menos poluentes se tornou um desafio para as empresas que pretendem ser ecologicamente responsáveis.

As frotas ecológicas, por se tratarem de uma iniciativa mais recente, ainda levantam dúvidas de muitos empresários sobre como funcionam e os benefícios que podem gerar. No post de hoje discutimos um pouco mais sobre esse novo conceito e sua aplicação no mundo dos negócios. Confira!

Por que investir?

Os veículos atuais são dependentes das formas tradicionais de combustíveis, cuja queima emite gases poluentes e que são apontados como causadores do efeito estufa. Adotar outros sistemas permite utilizar novos tipos de combustíveis — como energia elétrica, por exemplo — considerados mais baratos e que geram economia para empresas. Além disso, é uma alternativa para reduzir a emissão desses gases poluentes.

Como a adoção de práticas sustentáveis por empresas vem sendo incentivada, é possível buscar em órgãos públicos incentivos fiscais ou financiamentos para que se invista em projetos que beneficiem o meio ambiente. Sem contar o potencial publicitário que essas novas práticas geram para as corporações.

Quais são os tipos de automotores ecológicos

É possível encontrar no mercado diversos veículos ecológicos, ou seja, que têm menor potencial poluidor que os carros tradicionais. Porém, existem diversas opções disponíveis e que se diferenciam pelo sistema utilizado por cada modelo. Abaixo listamos os principais:

Híbridos

São compostos por um motor de combustão interna e um motor elétrico. Dessa forma, parte da potência é gerada pelo uso dos combustíveis tradicionais, mas também se utiliza fornecimento de energia elétrica para funcionar. A parte elétrica é carregada durante o funcionamento do próprio carro.

Híbridos com unidade de alimentação corrente 

Assim como nos carros híbridos, esse modelo combina motor a combustão com motor elétrico. Porém, este último motor tem importância maior no sistema de funcionamento, pois tem capacidade de mover o carro a velocidades normais. A parte elétrica é recarregada ao se ligar a uma tomada.

Veículos com extensores de alcance 

Ao contrário dos exemplos acima, esse tipo de veículo tem o motor elétrico como principal. Porém, ainda utiliza um motor de combustão, mas somente para recarregar as baterias. Esse modelo também utiliza uma tomada e a corrente elétrica no processo de abastecimento.

Carros elétricos

Esses veículos não emitem poluentes e são extremamente silenciosos. A sua manutenção é menos recorrente do que a de carros a combustão. Funcionam apenas com o motor elétrico. Porém, necessitam de bastante tempo para recarregar e a autonomia de condução é considerada pequena — 160 quilômetros em média. Além disso, os postos de abastecimento, ou estações de recarga, quase não existem pelas ruas.

Como fazer uma gestão ecologicamente eficiente

Não só modelos alternativos de veículos compõem uma frota ecológica. Mesmo os carros tradicionais e que utilizam motores à combustão podem ser considerados sustentáveis. Para isso é preciso adotar uma gestão que permita melhor controle sobre o uso desses sistemas de transporte. Isso permite reduzir o consumo e a emissão de gases.

Adotar uma manutenção regular e serviços de controles são importantes nesse processo, pois permitem acompanhar a pressão dos pneus, a troca de óleo e a limpeza dos filtros de ar. Tudo isso permite reduzir o potencial poluidor dos veículos.

Ferramentas tecnológicas também podem ser usadas nesse processo e tornar essa gestão ainda mais eficiente. Entre esses mecanismos estão o rastreio por GPS — que permite melhor planejamento da rota e acompanhamento da quilometragem — e softwares de controle do uso de combustível.

Tem pensado em tornar a sua empresa sustentável? Como pretende adaptar a sua frota para que prejudique menos o meio ambiente? Compartilhe nos comentários as suas ideias!