Saiba mais sobre as faixas refletivas

Segurança no trânsito é um dos temas que tem recebido mais atenção da população nos dias de hoje. E os acidentes que possuem caminhões relacionados levam um destaque especial dos holofotes.

Para atender à legislação, evitar acidentes com sua frota, aumentar a segurança no trânsito e ainda por cima diminuir suas despesas, as faixas reflexivas são recursos possíveis e necessários. Ao mesmo tempo, são constantemente negligenciadas.

Confira no post de hoje as peculiaridades que você provavelmente não conhecia sobre as faixas refletivas.

Para que as faixas refletivas realmente servem

Todos já viram, mas poucos sabem qual sua real utilidade. Em dias chuvosos, com neblina ou durante a noite, a visibilidade dos motoristas fica muito prejudicada, o que torna o ato de dirigir muito mais complicado.

Ao acionar os faróis do veículo, fica mais fácil identificá-lo, mas somente a frente dele fica visível. Fica impossível para os outros condutores decifrarem o tamanho, altura e largura de veículos longos, o que facilita muito que ocorram acidentes.

Em um momento de névoa intensa, por exemplo, um veículo de passeio pode decidir fazer uma ultrapassagem de um caminhão. Porém, sem as faixas reflexivas não consegue ter uma ideia do tamanho do caminhão, o que faz com que ele se arrisque de maneira desnecessária. Isso pode fazer com que um acidente na pista contrária aconteça mais facilmente e que potencialmente atingirá o caminhão em questão.

Ao fazer uso das faixas refletivas, o caminhão ficará sinalizado, de forma que mesmo que os condutores estejam com sua visibilidade prejudicada, ainda assim conseguirão perceber as dimensões do veículo à sua frente.

Isso evita acidentes ou ultrapassagens perigosas por outros condutores e também favorece a logística do negócio. Menos acidentes são sinônimos de menos atrasos e menos paradas imprevistas, levando à diminuição dos custos.

Onde colocá-las e como elas devem ser utilizadas?

Pensando nessas adversidades, o Batalhão Rodoviário da Brigada Militar liberou um conteúdo instruindo motoristas e proprietários de frotas de veículos grandes sobre como utilizar as faixas reflexivas dentro das regras.

Na traseira

As faixas devem ser colocadas na borda de toda a traseira do caminhão, delineando seu contorno e também em seu para-choque, respeitando a ordem das cores.

Como o lado direito deve ser um espelho do esquerdo, quando as faixas alcançarem o centro, as cores no lado direito as faixas deverão ser colocadas na posição contrária às do lado esquerdo. Isso permite que, vistas de qualquer ângulo, as faixas façam a sinalização correta.

Nas laterais

Seguindo a mesma lógica da traseira, as faixas devem ser fixadas no contorno do veículo, delineando suas bordas e respeitando espaços de uma faixa para cada dois espaços vazios.

Entretanto, nesse caso não se deve inverter a ordem das faixas, de modo a garantir que seja seguida uma ordem contínua até o fim.

As cores das faixas e o que elas representam

Existem diversas cores de faixas no mercado, cada uma com seu significado próprio. É obrigação do gestor da frota de caminhões manter seus veículos devidamente sinalizados e isto inclui usar corretamente as cores das faixas que cada um deverá possuir.

Faixas nas cores vermelho e branco

Essas cores devem ser utilizadas por veículos fabricados ou importados a partir de 1º de Julho de 2004, ou por outros mais antigos que tenham sido modificados. Além disso, essa categoria de cor deve ser utilizada para veículos com peso total bruto superior a 4.600 kg.

Faixas nas cores preto e amarelo

Também para veículos fabricados ou importados a partir de 1º de Julho de 2004, mas com carga superior a 3.500 kg. Assim, motoristas que vejam essas cores saberão que o veículo é muito mais pesado, o que exige ainda mais atenção no caso de uma ultrapassagem, por exemplo, já que o veículo passa a ser mais difícil de ser freado.

Instruções para os motoristas de sua frota

Por lei, cabe ao motorista inspecionar o veículo antes de utilizá-lo, entretanto, quem será prejudicado por qualquer irregularidade também será o proprietário da frota de caminhões.

Considerando isso, é importante instruir a seus funcionários que sempre inspecionem os veículos, verificando antes de dar a partida se as faixas reflexivas estão em bom estado, não estão cobertas de poeira e se está sendo respeitada a troca obrigatória das faixas no período de 7 anos. Além, é claro, de outros itens obrigatórios de segurança, e do bom uso de seus veículos.

Além disso, é necessário checar se as faixas estão posicionadas no local correto, de modo que devem ser retiradas e substituídas por outras para que garantam a delimitação de tamanho do veículo.

Legislação e consequências do mal uso das faixas refletivas

O DENATRAN estabeleceu em 2010 uma portaria que regulamentou e tornou obrigatório o uso dessas faixas. A portaria 1164/2014 determina, por exemplo, como a faixa deve ser disposta no caso de haver uma dobradiça ou parafuso.

Também fica disposto na resolução como as faixas devem ser colocadas no caso de um tanque e de transportes especiais. Outro ponto determinado pela portaria é o uso das cores e a sequência de uso das faixas.

A não utilização das faixas de forma correta, ou seja, devidamente funcionais e em conformidade com a lei, acarreta em infração de trânsito. Em uma fiscalização o veículo poderá ser retido para regularização, além de acarretar em multa de R$127,69 e registro de 5 pontos no prontuário do responsável. Caso não seja resolvida a irregularidade no local, poderá ser recolhido o documento de porte obrigatório CRLV.

Outro ponto a ser considerado é que as faixas devem ser devidamente homologadas. Ainda que sejam mais caras, as faixas com esse tipo de certificação são indicadas porque refletem a luz da maneira correta. Enquanto isso, falsificações podem fazer com que todo o procedimento de segurança seja prejudicado.

Conclusão

Além de tudo, a imagem da empresa pode ficar prejudicada com o uso incorreto desses mecanismos de segurança. Ao tornar as estradas mais inseguras, a empresa pode dar a impressão que não se preocupa com os seus motoristas e nem com os demais que estão na estrada. Eventualmente, isso pode gerar problemas com parceiros de negócios.

Como todo bom gestor, é importante estar atento a estas coisas que podem gerar despesas e problemas futuros para sua organização, e que podem ser evitados sem custos intensos, apenas realizando inspeções rápidas no início de cada dia. Ao garantir o uso adequado das faixas, os veículos ficam mais seguros e não encaram problemas no futuro com a fiscalização.