Peças de Reposição para Frotas

Você tem problemas com o gerenciamento de inventário das peças de reposição para frota? Muitos gestores de frota, assim como você, também possuem algum grau de insatisfação com esta gestão.. 

Uma saída para aperfeiçoar este processo é adotar metodologias como o conhecido sistema 5S. Para o seu inventário, este método japonês pode ir muito além da teoria e representar um aperfeiçoamento real e contínuo das suas peças.

No artigo de hoje, daremos dicas práticas de como você pode aplicar a metodologia 5S na sua gestão de inventário de peças de reposição. Acompanhe para saber mais!

 

O que é a metodologia 5S?

O 5S começou como parte do Sistema de Produção Toyota (TPS), o método de fabricação iniciado pelos, então, líderes da Toyota Motor Company. No início do século XX. 

Esse sistema, também chamado de manufatura enxuta (lean) por aqui, visa aumentar o valor de produtos ou serviços para os clientes. Isso geralmente é realizado encontrando e, assim, eliminando o desperdício dos processos de produção.

Antes de aplicar no gerenciamento das suas peças de reposição, você deve entender que o método 5S é baseado em 5 princípios: 

  • Seiri (Classificação);
  • Seiton (Ordem);
  • Seiso (limpeza);
  • Seiketsu (padronização);
  • Shitsuke (Disciplina).

 

Por que adotar os 5S na sua gestão de inventário?

A gestão do inventário das peças de reposição da sua frota deve ser observada como um processo. Como tal ela está suscetível a erros.

Entretanto pode ser analisada com o objetivo de corrigir gargalos e aplicar melhorias antes que você perca tempo e dinheiro.

É justamente na análise do processo da sua gestão de peças de reposição que a metodologia japonesa 5S garante os maiores benefícios. Entre eles, os principais são:

  1. Redução de Custos 
  2. Melhoria da Qualidade
  3. Mais Produtividade
  4. Maior satisfação dos funcionários 
  5. Um ambiente de trabalho mais seguro

 

Como aplicar os princípios dos 5S na sua gestão de peças de reposição?

Armazéns e depósitos de peças de reposição são um cenário fértil para a desorganização.  E isso pode causar incômodos muito maiores do que a simples bagunça ou sujeira.

A falta de organização das peças de reposição da sua frota pode representar uma perda de eficiência gravíssima para a companhia.  Além de aumento de custos e baixa na produtividade.

É neste ambiente de desordem, comum em várias empresas que o sistema 5S pode ser utilizado. Isso é válido principalmente se você realiza os processos de manutenção de veículos internamente.

É o seu caso? Então, confira as dicas a seguir:

Seiri: Classificando as peças do seu inventário

O primeiro passo do 5S, Sort, envolve passar por todas as ferramentas, materiais, equipamentos da sua frota. E então  determinar o que precisa estar presente e o que pode ser removido. 

Mas antes de começar a organizar as suas peças de reposição, você precisa examiná-las e se refletir sobre as seguintes questões:

  • Qual é o objetivo deste item? 
  • Quando este item foi usado pela última vez? 
  • Com que frequência é usado? 
  • Quem o usa? 
  • Realmente precisa estar aqui?

 

Este exercício de classificação dos itens e ferramentas do seu inventário vai ajudar a eliminar peças desnecessárias e fará com que o seu inventário se mantenha mais organizado.

Seiton: Hora de colocar ordem no inventário!

Quando falamos em organização de inventário e sobre peças de reposição é muito importante que tudo esteja no seu devido lugar. Isso vai evitar que você perca tempo ao realizar uma manutenção, pois já vai saber onde encontrar cada peça. 

Então, para colocar ordem nas peças de reposição presentes no seu inventário, faça as seguintes perguntas:

  • Quando as peças são usadas?
  • Quais peças são usados ​​com mais frequência?
  • As peças devem ser agrupadas por tipo?
  • Onde seria mais lógico colocar cada peça?
  • Algumas colocações seriam mais ergonômicas para os trabalhadores do que outras?
  • São necessários mais contêineres de armazenamento para manter as coisas organizadas?

 

Seiso: Cuidando da limpeza o do estoque de peças de reposição

O cuidado com a limpeza pode parecer uma coisa básica, mas certifique-se de que as pessoas saibam como limpar adequadamente seus espaços e peças. 

Mostre aos funcionários – especialmente aos novatos – quais produtos de limpeza usar, onde os materiais de limpeza são armazenados e como limpar cada peça do seu inventário. 

Esses cuidados básicos vão evitar que as suas peças de reposição venham a ser danificadas.

 

Seiketsu: Padronizando a organização das peças

Você vai notar que ao aderir ao método 5S, classificar, organizar e realizar a limpeza periódica do seu inventário serão tarefas mais simples.

Normalmente, você não vai enfrentar resistência dos seus colaboradores. Entretanto, padronizar todas essas ações e fazer com que as coisas não voltem a ser como eram antes será o seu principal desafio.

Para vencer esse obstáculo procure utilizar dicas visuais, como sinais, etiquetas, pôsteres, fita de marcação de piso e organizadores de ferramentas.

A idéia é fornecer instruções de forma clara e sem precisar se comunicar verbalmente em todo o momento com os funcionários.

 

Shitsuke (Disciplina).

O princípio final da metodologia 5S recai sobre você, gestor de frota. É seu o papel da manutenção da disciplina entre os seus colaboradores.

Isso significa que uma vez implementados os procedimentos padrão para o 5S, você deve considerar a execução do trabalho contínuo de manutenção desses procedimentos e atualizá-los conforme necessário.

A nossa dica é criar um modelo de procedimento padrão, um manual, para que os seus novos colaboradores entendam como os princípios do 5S são utilizados na sua frota.

 

A Sofit te ajuda a manter as suas peças de reposição sempre organizadas!

Com a aplicação da metodologia 5S na sua gestão de frotas, é provável que você consiga manter o seu nível de estoque e a organização das suas peças de reposição. 

A boa notícia é que, através do Sofitview, sua empresa consegue padronizar os cadastros dos itens, o que otimiza as suas rotinas de manutenção.

Assim, fica fácil analisar os custos de cada peça, conferir se ela se encontra disponível no estoque e saber qual fornecedor oferece o melhor custo benefício.

Gostou do nosso artigo sobre a aplicação da metodologia 5S na gestão das peças de manutenção para frotas? Então conte com a Sofit para te ajudar a automatizar esses processos. Solicite um teste grátis hoje mesmo!