O que é Proconve e sua importância no transporte de carga

O Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) é mais uma medida que o gestor de frota deve ficar de olho.

Enquanto a questão ambiental fica cada vez mais em evidência, tornando-se, além de todos os benefícios para o planeta, um diferencial competitivo, é importante que a sua frota se enquadre.

Dessa forma, o Proconve reúne, nas suas fases, uma série de medidas que as empresas de frota devem adotar para reduzir a emissão de gases poluentes. Então, vamos entender melhor sobre isso? Continue lendo!

O que é Proconve?

O Proconve é uma determinação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA. 

A série de medidas foi instituída na Resolução Conama nº 18, de 6 de maio de 1986 como uma resposta ao tráfego cada vez mais crescente nos centros urbanos.

Dessa forma, o Proconve define novos padrões de emissão de gases poluentes para motores veiculares e veículos automotores leves, nacionais e importados.

Dentre outros temas, a medida estabelece padrões sobre:

  • Limites máximos de emissão de escapamento;
  • Emissão de combustível evaporado dos veículos a gasolina;
  • Utilização de combustível de referência.

Segundo o IBAMA, o programa gera resultados significativos, com redução de 98% na emissão de poluentes desde a sua implementação. Entretanto, as atualizações do Proconve preveem medidas cada vez mais rígidas de controle de emissão. 

Conforme a resolução do Conama, os objetivos do Proconve são:

  • Reduzir os níveis de emissão de poluentes por veículos automotores;
  • Promover o desenvolvimento tecnológico nacional, tanto na engenharia automobilística, como também em métodos e equipamentos para ensaios e medições da emissão de poluentes;
  • Criar programas de inspeção e manutenção para veículos automotores em uso;
  • Promover a conscientização da população com relação à questão da poluição do ar por veículos automotores;
  • Estabelecer condições de avaliação dos resultados alcançados;
  • Promover a melhoria das características técnicas dos combustíveis líquidos, postos à disposição da frota nacional de veículos automotores.

O que é Proconve e sua importância no transporte de carga

Qual é a função do Proconve no transporte de cargas?

A fase do Proconve que fala especificamente sobre veículos de transporte de cargas é a P-8. Ela entrou em vigor em janeiro de 2022 e deve gerar um impacto sobre a aquisição de novos veículos. 

De forma semelhante ao Euro VI, a fase P-8 do Proconve discorre sobre a modernização e descarbonização dos motores automotivos.

Entretanto, o maior desafio deve ser na renovação da frota brasileira, composta por 2,5 milhões de caminhões e mais de 1,2 milhão acima de 15 anos rodando nas estradas brasileiras.

Esse detalhe compromete o cumprimento da legislação imposta pelo Proconve, uma vez que veículos mais antigos não estão conforme as determinações do programa.

Assim, quem pretende renovar a frota de caminhões nos próximos anos, deve se atentar ao Proconve P-8. 

Por enquanto, estamos em fase de adaptação, mas a partir de 2023, todas as empresas de frota devem estar em conformidade com o Poconve P-8. Por isso, é importante saber o que muda com a resolução.

Quais são as fases do Proconve?

Atualmente, existem 7 fases do Proconve em vigor. A fase atual, a P-7, foi estabelecida pela resolução nº 492, de 20 de dezembro de 2018. 

Saiba mais sobre cada uma delas a seguir:

– P1

A fase P1, de 1987, definiu parâmetros de controle de emissão de fumaça para caminhões e ônibus urbanos. Ela recomenda a calibragem de sistemas de ingestão de combustível, a fim de diminuir a emissão de óxido de nitrogênio (NOx).

– P2

O objetivo da fase P2, instituída em 1994, é impor limites de ruídos decorrentes de veículos em aceleração. A fase também estabelece medidas mais claras de controle de inspeção dos veículos à diesel.

– P3

Datada em 1996, a fase P-3 veio para estabelecer medidas mais rígidas sobre a emissão de enxofre. Assim, fabricantes de veículos tiveram que se adaptar às mudanças.

– P4

A fase P-4 teve como objetivo adequar 80% da frota de veículos às resoluções estabelecidas pelo CONAMA. A fase foi definida nos anos 2000 e, entre as principais mudanças, estava a obrigatoriedade da aplicação de um conjunto de multi válvulas em motores de injeção.

– P5

A fase P5 enfatizou a otimização dos combustíveis através de um acordo com as montadoras e refinarias. Assim, enquanto os motores passaram a ser produzidos com injetoras de alta pressão, as refinarias desenvolveram insumos mais limpos.

– P6

A fase P6 teve início em 2009. Infelizmente, o país não foi capaz de atingir os limites estabelecidos. Entre os motivos, estavam a falta de diesel adequado.

– P7

A P7 é a fase atual e está em vigor desde 2012. O objetivo é reduzir em até 60% as emissões de óxidos de nitrogênio, além do uso ampliado da Arla 32.

Por que adotar medidas sustentáveis na sua frota?

Ao adotar estratégias de “frota verde”, sua frota consegue avançar para o futuro – e também traz muitos outros benefícios comerciais, incluindo:

  • Fortalecimento da reputação de marca;
  • Redução dos custos de longo prazo, como gastar menos com combustível, óleo e até manutenção;
  • Melhora na conformidade com os regulamentos de emissões aplicáveis.

Uma “frota verde” pode ser definida simplesmente como uma frota com o objetivo de reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, emissões de critérios, resíduos enviados para aterros e consumo de combustível convencional. 

Logo, uma frota verde é qualquer frota com objetivos sustentáveis.

Para além das medidas obrigatórias como o Proconve é possível também aderir uma estratégia de gestão de frota sustentável como uma forma de impactar positivamente o meio ambiente.

Portanto, a sustentabilidade da frota refere-se a atividades centradas na redução do impacto ambiental, econômico e social dos veículos da frota e inclui estratégias como:

  • Direção econômica;
  • Redução de marcha lenta;
  • Programas de emissões de carbono;
  • Adoção de veículos de baixa ou zero emissões;
  • Dimensionamento certo para atender às necessidades da frota;
  • Compartilhamento de veículos (car sharing) ou compartilhamento de carros;
  • Considerar modos alternativos de transporte.

Portanto, para frotas grandes ou pequenas, criar um programa de frota sustentável é uma das melhores contribuições que podem ser feitas para ajudar a reduzir seu impacto nas mudanças climáticas.