O que é Proconve e sua importância no transporte de carga

Veículos compartilhados, frotas 100% verdes, lavagem ecológica e o investimento em fluidos anti-poluentes como o ARLA 32 são algumas das ações realizadas pelos gestores de frota para reduzir a emissão de poluentes e também para otimizar gastos.

Se engana quem pensa que o ecológico é mais caro. Pelo contrário, a economia, seja em termos de dinheiro, seja em ganhos para o planeta, é muito maior.

Neste artigo vamos te apresentar informações sobre o ARLA 32, substância obrigatória para frotas de caminhões e ônibus. O que é, quem deve utilizar e quais são as consequências de não usar este fluido nos seus veículos? 

O que é o ARLA 32?

Se você nunca ouviu falar, ARLA é um produto químico cuja abreviação vem de Agente Redutor Líquido de óxidos de nitrogênio (NOx) Automotivo. 

O número 32 refere-se ao nível de concentração da solução de ureia (32,5%) em água desmineralizada. 

Na prática, o ARLA 32 é uma solução líquida para veículos que possuem o sistema de Redução Catalítica Seletiva (SCR). Sua ação auxilia na redução da emissão de poluentes provenientes da queima do óleo diesel.

É importante esclarecer que o produto não é um tampouco um combustível: trata-se de um líquido que é injetado no catalisador do veículo e causa uma reação química.

Até pouco tempo, apenas ônibus e caminhões utilizavam o produto, mas recentemente a Jeep lançou o modelo SUV Compass com uma versão 2.0 turbo diesel com injeção de ARLA 32. Em locais como o oeste do continente europeu, o produto já é velho conhecido dos motoristas.

Qual a composição do ARLA 32?

Em sua composição, há 32,5% de ureia de alta pureza, também chamada de ureia técnica. 

Ela é a responsável pela reação química que acontece dentro de um catalisador e torna o uso tão importante para os caminhões de sua frota.

E não se esqueça de ficar atento aos golpes: em condições normais de armazenamento, o ARLA 32 não possui cor nem cheiro. 

Para que serve e quais as vantagens de utilizá-lo?

Com certeza o principal motivo para o uso do produto é a redução da emissão de agentes nocivos ao meio ambiente. Há anos o uso do componente é obrigatório no Brasil. Em outros lugares isso já é realidade até mesmo antes.

Mais eficiente do que qualquer outra tecnologia semelhante, ele age convertendo as partículas de óxido de nitrogênio (NOx) em nitrogênio e água.

Essa reação reduz em até 98% as emissões de óxido de nitrogênio, que além de altamente poluente, são nocivas à saúde e responsável por diversos males de respiração.

E não menos importante, o produto ainda promove a economia de combustível, fazendo compensar ainda mais o investimento no produto que custa por volta de R$100,00 um recipiente com 20 litros.

Um ponto relevante é a necessidade de apenas adquirir o produto de revendedores autorizados, que possuam selo do INMETRO e sigam a norma estabelecida pelo ISO 22241 para veículos com motores a diesel.

Como usar o ARLA 32 no caminhão?

É importante saber que a sua utilização é obrigatória no Brasil desde 2012, ano em que veículos pesados como caminhões e ônibus passaram a ser produzidos de fábrica com a tecnologia SRC (Solução Catalítica Seletiva).

A exigência foi estabelecida pelo Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), que instituiu limites no controle de emissões de veículos. A partir disso, a indústria automobilística e o setor de combustíveis passaram por grandes adequações.

Também vale ressaltar que o produto não pode ser adicionado diretamente no tanque de combustível. Existe um recipiente, geralmente ao lado da entrada do tanque, onde deve-se adicionar o produto. O resto é feito internamente no veículo.

Qual proporção utilizar?

A quantidade da solução que deve ser usada nos veículos pesados é bem inferior à quantidade de combustível. Em média, 5% do volume de diesel é o suficiente. Ou seja, para cada 20 litros de diesel, 1 litro de ARLA 32.

O sistema SCR

Nos veículos com sistema SCR existe um tanque específico para o ARLA 32, que não deve ser misturado ao óleo diesel. Esse reservatório geralmente fica ao lado do tanque de combustível. Basta reabastecer a solução quando o indicador no painel do veículo apontar a necessidade.

Quando reabastecer?

Os veículos que possuem SCR têm um sistema de sensores que medem a qualidade das emissões de gases do veículo e também alertam ao motorista o nível de ARLA 32 no tanque. 

Quando o produto acaba no tanque o sistema avisa no painel do veículo que o motorista tem até 48 horas para abastecer o reservatório de ARLA 32. Caso contrário, o veículo perderá potência até um limite de 40%.

Um ponto de atenção aos condutores é que a não utilização do produto configura infração de trânsito grave, prevista no Código Brasileiro de Trânsito (CBT), com previsão de retenção do veículo, além de multa de R$ 195,23. 

O ARLA 32 oferece riscos?

De forma alguma. O componente não oferece riscos, pois não é inflamável nem explosivo. Se houver contato com as mãos ou outras partes do corpo, é necessário apenas lavar o local com água corrente.

Ele também não provoca nenhum tipo de desgaste ao veículo se utilizado de forma correta. Ou seja, o único ponto negativo é apenas o custo do produto, mas que em termos de custo benefício é muito vantajoso.

Onde comprar o ARLA 32?

Antes de tudo, é essencial comprar o ARLA 32 de um revendedor autorizado e de confiança. Soluções de baixa qualidade certamente não terão o mesmo desempenho de um produto original e poderão danificar o catalisador do seu sistema SCR e acabar deixando seu caminhão parado. 

Vez ou outra, alguma grande apreensão de produtos falsos é feita pela polícia, por isso é importante observar parâmetros como:

  • Preço compatível ao mercado;
  • Produto sem cheiro ou cor;
  • Embalagens com selo do INMETRO e identificadas.

Portanto, compre apenas se o produto possuir o selo e for produzido de acordo com a norma ISO 22241.

Você pode encontrar o ARLA 32 em distribuidores e postos de combustíveis. Também é possível negociar com as distribuidoras a entrega de grandes quantidades e garantir o estoque para atender toda sua frota por valores mais baixos. 

Como acompanhar o nível de ARLA 32 nos caminhões?

Acompanhar o nível de ARLA 32 não é mais difícil do que monitorar o nível de óleo do motor. O componente apresenta prazo de validade entre 6 e 12 meses quando armazenado em condições adequadas. 

Por isso, principalmente no caso de grandes frotas, é importante ter um controle prático da disposição do produto nos veículos. Uma indicação é uma planilha simples com data de aplicação, data de revisão e previsão de troca. É mais uma maneira de garantir que tudo vai correr nos conformes e sem preocupações posteriores.  

Como armazenar o ARLA 32?

Antes de tudo, entenda que você não deve misturar o fluido com nenhum outro componente, nem mesmo com água. Isso pode causar problemas como a perda de potência nos seus veículos. 

A exposição à luz solar também deve ser evitada, assim como o calor e o frio excessivo, pois há risco de cristalização e hidrólise.

Dessa forma, o componente deve ser mantido em temperaturas médias controladas de 11° à 35ºC, ou seja, no clima médio da maioria dos locais do país. 

Evite lugares muito quentes, pois isso pode reduzir significativamente o prazo de validade.

Tudo pelo bem do meio ambiente!

Dependemos de veículos movidos a diesel – sejam caminhões, trens ou barcos – para transportar nossos produtos e até nós mesmos ao redor do mundo. 

Apesar de não ser o combustível mais ecológico disponível, o mundo não vai abandonar o diesel tão cedo. Embora possa não ser uma ótima solução a longo prazo para o planeta, a tecnologia SCR ajuda bastante no controle de danos causados pelo diesel. 

Isso significa que até estarmos prontos para abandonar completamente a combustão interna, devemos manter o uso de produtos como o ARLA 32, que reduzem emissões e problemas acarretados. O meio ambiente agradece.

Gostou das nossas informações sobre o ARLA 32 e seus benefícios? Aproveite para conhecer nossas dicas para reduzir o consumo de combustível dos seus veículos!