Sabia que simples medidas de direção econômica podem reduzir drasticamente os seus custos com combustível no final do mês? Pois é.

 

Quando falamos de frotas corporativas, essa redução tende a ser mais significativa, visto que pequenas ações, quando somadas e colocadas “na ponta do lápis” contribuem com a redução de despesas, principalmente se a sua empresa contar com um número elevado de veículos.

 

É por isso que estimular medidas de direção econômica junto aos motoristas é uma premissa que tem dado certo em diversas empresas e que pode ser um fator crucial para você!

 

Não sabe como colocar em prática ações de direção econômica? Não se preocupe. Preparamos esse artigo justamente para mostrar como fazer de forma simples e prática. Acompanhe!

O que é direção econômica?

Chamamos de direção econômica o script seguido pelos motoristas de uma frota corporativa no que diz respeito ao uso da direção, acelerador, freios e transmissão.

 

Esse script deve ser seguido de acordo com o trajeto a ser realizado, previamente mapeado pelo gestor de frotas, de preferência, em parceria com os demais colaboradores.

 

O emprego de técnicas de direção econômica não garantem apenas uma economia significativa, mas também contribuem com a segurança no trânsito e com a preservação do meio ambiente, além de aumentar a vida útil dos seus veículos.

 

Como capacitar os motoristas?

Para fazer com que medidas de direção econômica sejam assimiladas por todos os seus colaboradores é aconselhável produzir um material e compartilhar com todos os seus motoristas.

 

Também é recomendável trabalhar com capacitações periódicas e apresentar os resultados desse esforço coletivo, provando que as medidas valem a pena.

 

Abaixo, reunimos pelo menos 7 dicas de direção econômica que podem fazer parte do seu conjunto de medidas. Leia com atenção e utilize aquelas que fizerem mais sentido para a sua gestão de frotas!

 

7 dicas de direção econômica para a sua gestão de frotas

 

Defina um planejamento de rotas

 

Além de evitar custos adicionais com combustível e influenciar na qualidade do serviço prestado pela sua empresa, um bom planejamento de rotas evita também custos extras com combustível.

 

É por isso que planejar a rota é o primeiro passo para gestores que desejam implantar uma política de direção econômica.

 

Para não errar, considere os seguintes pontos:

 

  • Estude roteiros comuns e veja se não há outras opções mais curtas e viáveis;
  • Eleja o melhor trajeto para cada rota;
  • Mapeie as paradas de abastecimento;
  • Verifique as condições das rodovias.

 

Dessa forma, você consegue economizar e ainda aumenta o nível de satisfação da sua empresa.

 

 

Respeite sempre os limites de velocidade

Essa é uma premissa básica, mas que quando aplicada tende a reduzir os seus custos com combustível, contribuindo com a sua política de direção econômica.

 

É preciso deixar claro aos seus motoristas que a sua empresa incentiva o respeito aos limites de velocidade, caso contrário, eles podem agir por conta própria movidos pelo cumprimento de metas e prazos.

 

Ainda existe uma teoria, difundida principalmente entre caminhoneiros que o consumo de combustível diminui ao dirigir em alta velocidade, o que é COMPLETAMENTE FALSO!

 

Na verdade, quanto maior for a rotação do motor, mais combustível o veículo vai consumir e mais gases poluentes ele vai emitir.

 

Ao acelerar, o veículo aumenta a sua resistência contra o ar e, consequentemente, mais força terá que fazer para se manter em movimento constante.

 

Verifique a calibragem dos pneus

A calibragem dos pneus também faz parte de um plano de direção econômica. Item fundamental de um checklist pré-viagens, a calibragem garante uma aderência maior dos pneus com a estrada.

 

Principalmente quando falamos em caminhões, ou em veículos de uma empresa de transporte de carga, é necessário diminuir o atrito dos pneus com o asfalto para que o motor não precise trabalhar com mais força para render de forma equilibrada.

 

Além disso, o desgaste de pneus descalibrados só aumenta e eles também tem uma vida útil menor. Ou seja, as trocas serão cada vez mais frequentes.

 

Utilize as marchas corretamente

É sabido que as marchas mais baixas exigem mais do motor, obrigando-o a trabalhar com uma rotação maior e, consequentemente, gastando mais combustível.

 

Por isso, a dica é conversar com os seus motoristas e engrenar os veículos sempre que possível em marchas maiores, principalmente em trajetos com subidas e descidas mais leves.

 

Também é possível antecipar a marcha durante a aceleração e em retomadas de velocidade. A ideia é manter a rotação do motor baixa pelo maior período possível para, dessa forma, economizar combustível.

Desligue o veículo enquanto ele estiver parado

O simples ato de desligar o veículo durante paradas já reduz de forma significativa os seus custos com combustível e deve ser um ponto fundamental do seu plano de direção econômica.

 

Isso porque os veículos continuam consumindo combustível, mesmo em ponto morto. Sem combustível, o carro deixa de funcionar, simples assim. O consumo é relativo, podendo variar entre 1,5 e até 5 litros por hora, dependendo do tipo, condições e modelo do carro.

 

Agora imagine situações de trânsito em que uma frota de 50 veículos esteja na rua. Quanto a sua empresa poderia economizar com o simples hábito de desligar os veículos enquanto eles permanecem parados?

 

Evite ao máximo utilizar a inércia em descidas

A famosa “banguela” é outro hábito comum entre motorista de frotas. Consiste em utilizar a inércia em descidas e após um grande período de aceleração, em retas, por exemplo.

 

Ao contrário do que muitos imaginam, essa prática NÃO proporciona a redução de combustível, o motor continua consumindo mesmo com a caixa de marchas em ponto neutro.

Portanto, se você está tentando implementar uma política de direção econômica, atente para esse fato.Além disso, a retomada de controle do veículo, especialmente em casos de eventualidades, pode comprometer a segurança tanto do motorista como dos pedestres.

 

Não acelere bruscamente

 

A aceleração brusca é outro ponto a ser considerado nas suas medidas de direção econômica. Quando aceleramos o veículo bruscamente, o consumo de combustível é maior.

 

Em caminhões, que possuem um sistema inteligente de direção eletrônica, o desperdício é ainda maior, já que o sistema entende que o veículo necessita de mais combustível quando o acelerador é pisado de modo brusco.

 

Por isso, oriente os motoristas a acelerarem os seus veículos sempre com suavidade. Isso vai fazer com que a quantidade de combustível injetada seja a ideal.

 

Conte com a Sofit para o seu plano de direção econômica!

 

A Sofit deixa a sua disposição uma ferramenta fácil, intuitiva e 100% online para auxiliar a sua gestão de veículos. Com ela, você consegue controlar os custos por KM rodados facilmente. É só agendar uma demonstração gratuita e comprovar.

 

Gostou do nosso artigo sobre direção econômica? Então baixe agora mesmo o Kit de controle de combustível e economize!