A manutenção corretiva, como o próprio nome já indica, é realizada para corrigir um problema já existente, levando o equipamento novamente às condições em que se encontrava inicialmente.

Essa manutenção pode ser necessária em duas situações: quando surge uma avaria inesperada, como a quebra de alguma peça ou componente do veículo, por exemplo, ou então quando detectada alguma falha que possa levar a algum problema maior.

Em alguns casos, a manutenção corretiva pode até ser planejada, quando se detecta uma falha, porém o veículo continua a funcionar.

Neste artigo, você vai entender um pouco mais sobre a manutenção corretiva aplicada à gestão de frotas. Confira!

Manutenção corretiva, o que é?

A manutenção corretiva é um processo de restauração que corrige um problema de um veículo e o retorna ao estado de funcionamento adequado. 

Isso inclui a solução de problemas com peças específicas ou pneus, desmontagem, ajustes, reparo, substituição de itens e realinhamento dos veículos da sua frota. 

Existem basicamente três situações nas quais a manutenção corretiva é adequada: 

  • Quando um problema é detectado através de monitoramento;
  • Quando uma inspeção de rotina descobre uma falha;
  • Quando uma peça do equipamento apresenta problemas e falha.

Como a manutenção corretiva é aplicada na gestão de frotas?

A gestão de frotas moderna utiliza tecnologia e estratégias de gerenciamento para evitar manutenções corretivas, ou seja, evitar resolver problemas depois que eles já aconteceram.

Normalmente, esse tipo de manutenção acaba ocorrendo quando o controle sobre a manutenção preventiva de rotina falha. Ou seja, não há mais saída e é preciso agir para garantir a disponibilidade da frota.

Outro ponto importante é que esta opção acaba gerando custos mais elevados para a sua operação. 

Ela é o tipo de manutenção mais cara, já que envolve a substituição de peças, mão de obra e deixa o veículo indisponível, sem rodar, o que prejudica a sua produtividade.

Confira também nosso Webinar sobre Manutenção de frota com Jades Souza:

Confira alguns exemplos de manutenção corretiva em veículos

A manutenção corretiva não se refere ao conserto de algo, como muitos podem imaginar, mas o retorno ao estado natural de funcionamento. 

Alguns exemplos de aplicação na sua frota de veículos incluem:

  • Correção de qualidade – a troca de um sistema de ar-condicionado de um caminhão, a fim de melhorar a potência e o bem-estar do motorista.
  • Reparos de Emergência – envolve alguns reparos urgentes realizados nos  veículos, como a troca de um pneu na estrada.
  • Otimizar a atuação – um bom exemplo é a troca da suspensão de um veículo por outra que absorva melhor os impactos do solo.

Vantagens da manutenção corretiva

Quando comparada com a manutenção preventiva, a corretiva pode não ter tantos benefícios para a sua gestão de frotas. 

Entretanto, esta manutenção tem sim as suas vantagens. 

Uma delas é quando se trata de equipamentos não críticos, ou seja, aqueles que, se vierem a falhar, não deixarão o veículo fora da operação. 

Por isso, quando você possui uma estratégia bem definida, ela pode sim proporcionar uma redução de custos com manutenção.

Desvantagens da manutenção corretiva

Gestores de frota trabalham para que as manutenções corretivas não planejadas sejam evitadas através de um bom plano de manutenção. 

Isso porque, além de ser mais cara, quando não é adotada de forma estratégica, manutenções corretivas podem acarretar: 

  • Altos gastos com peças, serviços e mão de obra;
  • Indisponibilidade dos veículos;
  • Redução de produção, resultando em perdas para o seu negócio;
  • Acidentes e danos ao meio ambiente.

Por este motivo é importante pesar na balança em que situações esta prática é vantajosa ou não para o seu negócio. É aconselhável utilizá-la de forma estratégica e aliada à manutenção preventiva.

Os tipos de manutenção corretiva

Manutenção Corretiva planejada

As manutenções corretivas também podem ter um planejamento prévio. É o caso da manutenção corretiva planejada

Esse tipo de  manutenção corretiva consiste na resolução de um problema ou falha que não está afetando diretamente o funcionamento pleno do veículo.

Dessa forma, ela pode não ser realizada no momento em que a falha é notada. Logo, quando o problema detectado antecipadamente, é possível planejar essa intervenção para sanar as falhas existentes. Antes que se tornem um problema maior.

Manutenção corretiva não planejada

Já a manutenção corretiva não planejada ocorre devido a uma falha mecânica que o veículo pode sofrer por falta de manutenção preventiva ou devido à quebra de alguma peça. 

Normalmente, essa manutenção necessita ser realizada imediatamente, tornando o reparo mais caro.

A manutenção corretiva na prática

Para ter uma ideia melhor desta manutenção planejada e não planejada, vamos pegar como exemplo o seu carro:

Digamos que você tenha detectado problema na lâmpada interna do carro. Certo dia essa lâmpada queimou, mas você teve tempo para encontrar locais que possuíam os melhores preços de lâmpadas e realizar a troca. Este é um exemplo da planejada.

Agora suponhamos que seu carro vinha apresentando um problema de vazamento de óleo. Você subestimou e de repente ele simplesmente parou de funcionar, deixando você na mão. 

Assim, é necessário consertá-lo imediatamente, não há como adiar, e isso sairá bem mais caro. Essa é a não planejada.

A Sofit te ajuda com os processos de manutenção!

Sabia que quando bem executada, a gestão de  manutenção te ajudar a reduzir até 17% dos custos com manutenções corretivas? 

Sabemos que na sua rotina, nem sempre é possível planejar esses processos, por isso criamos o Sofit..

Com o Sofit você planeja, monitora e nunca mais tem dores de cabeça com a manutenção corretiva.

Entre em contato conosco e agende uma demonstração da nossa plataforma sem compromisso hoje mesmo!