Despachante automotivo

Hoje em dia, gerir uma frota se tornou uma tarefa que requer cada vez mais versatilidade e uma equipe formada por profissionais de confiança. É preciso manter a sustentabilidade na utilização dos recursos da empresa — como combustível, pneus, os veículos —, gerir toda documentação, finanças e, principalmente, multas. A fiscalização é complicada e é nesse trabalho burocrático que um despachante automotivo é essencial.

Esse profissional atua junto aos órgãos de transito, cuidando de toda a documentação dos automóveis e dos condutores. Eles atuam desde o processo de emplacamento até a baixa de um veículo, passando por vistorias, transferência de veículos, renovação de CNH´s, licenciamentos e controle de multas e pontuação.

Antes de partirmos para a questão principal — contratar ou internalizar? —, vamos apresentar as lacunas essenciais na hora de refletir e tomar sua decisão:

  • Qual a função de um despachante automotivo para sua empresa?
  • As vantagens de se contratar um despachante externo
  • As vantagens de se internalizar um despachante

Despachante automotivo: ele faz o trabalho chato

Um despachante é o encarregado de gerir a parte administrativa relativa às transferências, recursos de multas, regularização do documento do veículo, pagamento de taxas, requerimento de placas e o recebimento do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), entre outras muitas coisas. Fora ele, apenas parentes de primeiro grau podem fazer esses trabalhos para o proprietário.

Um bom despachante conhece bem as regras do Detran e pode representá-lo na instituição ou fazer isso de dentro de sua empresa, como veremos mais à frente.

Preze por um profissional de boas referências e credibilidade. Alguém experimentado na função. Antes de contratar, confira se a pessoa está registrada no Sindicato dos Despachantes de Trânsito do seu estado. A filiação pede um curso de formação e uma prova, além de bons antecedentes.

As vantagens de se contratar um despachante externo

Um despachante externo terá os mesmos poderes de um internalizado, portanto, confiança é primordial. Ele terá a posse de seus veículos e uma procuração em seu nome para realizar suas atividades: não torne essa escolha uma nova dor de cabeça.

O despachante externo trabalhará como um funcionário terceirizado. Esse distanciamento mantém a hierarquia de maneira cordial, ao mesmo tempo em que garante um detalhamento menor do funcionamento da sua empresa. Assim, o despachante dificilmente vai interferir além dos seus deveres — é uma visão de fora, além da empresa.

Conhecedor das regras e prazos do Detran, sabe que a pontualidade pode custar seu emprego e minimizará o fator erro nos trâmites.

Sem o contato pessoal evidente, não terá problemas em identificar problemas de ordem financeira, possivelmente reduzindo custos e desafogando o orçamento — ele não conhece seus funcionários, não existe camaradagem.

As vantagens de internalizar um despachante

Um despachante automotivo internalizado requer mais cuidado. O trato personalizado com esse funcionário pode potencializar seus resultados. A harmonia na relação com os companheiros de trabalho, porém, merece atenção.

Dentro da empresa e ciente da logística e o funcionamento de tudo, essa integração com o sistema lhe dará maior facilidade para analisar todos os processos e encontrar pontos de crescimento a partir dessa análise — diminuir gastos desnecessários, facilitar o fluxo dos serviços.

Identificando os problemas e cuidando da papelada, o despachante automotivo lhe oferece a liberdade de gerir e coordenar a estratégia da operação com muito mais tranquilidade.

E aí, conseguiu entender melhor a função de um despachante automotivo? Identificou a melhor escolha para a sua empresa? Então confira também o nosso post sobre como conseguir uma redução de custos com a frota de veículos!