Muitas técnicas para economizar combustível são difundidas desde a popularização do uso do automóvel, ainda no século passado. São práticas de direção que os motoristas devem seguir, estratégias na escolha nos postos de combustível e até táticas de uso de acessórios são recomendadas pelos amantes de carros para conseguir um melhor controle de combustível.

Algumas dessas técnicas não têm nada de verdadeiro; outras, até já fizeram sentido um dia, mas continuam popularmente aceitas há várias décadas, mesmo que os carros tenham mudado muito no decorrer dos anos.

Você sabe dizer o que é mito e o que é verdade quando se fala em controle de combustível? Acompanhe nosso post e saiba exatamente como economizar em sua frota!

Aditivos fazem o consumo de combustível ser menor?

Mito! Não se deixe influenciar por promessas de que as gasolinas aditivadas interferem no desempenho dos motores.

Os aditivos complementares que podem ser acrescentados ao tanque também não aumentam a potência e nem reduzem o consumo de combustível. As gasolinas aditivadas têm apenas uma vantagem: atuam na limpeza de resíduos da câmara de combustão do motor.

Manutenção em dia facilita o controle de combustível?

Verdade! A manutenção periódica verifica todas as peças e partes do carro e do motor e garante o funcionamento adequado de cada uma, o que contribui de diversas formas para o melhor controle de combustível. Confira os fatores que fazem diferença no consumo.

Temperatura e funcionamento do motor

Um fator importante é o estado do motor. Se ele estiver superaquecendo, com problemas nas válvulas ou pistões, será sobrecarregado, e obviamente o consumo irá subir.

O tipo e a qualidade do óleo lubrificante

Além disso, usando um óleo mais viscoso do que o indicado, as peças lubrificadas e a bomba de óleo precisarão de mais força para trabalhar.

A rotação do motor

Observe também se a rotação do motor está dentro do limite, pois se ela estiver acima do normal será necessário mais combustível para seu funcionamento.

A troca de óleo

Troque o óleo do motor regularmente, conforme o manual, pois óleo vencido faz aumentar o atrito interno das peças do motor e consequentemente também o consumo.

A calibragem, o alinhamento e balanceamento dos pneus

Atualize o alinhamento e balanceamento das rodas a cada 10 mil quilômetros. Calibre os pneus toda semana com a pressão a frio recomendada e evite gastar cerca de 20% a mais de combustível, que é o quanto um conjunto de rodas e pneus mal cuidado pode dificultar a vida do motor. Se estiverem muito gastos ou com a calibragem errada, isso aumenta a força de arrasto necessária, consequentemente aumentado o consumo.

A troca dos filtros

Trocar os filtros de óleo, ar e combustível também é essencial. Respeite os prazos estipulados pelas montadoras e permita que o motor funcione sempre bem próximo do ideal, sem impurezas que interferem na mistura de ar e combustível e na lubrificação de suas partes, e assim ele sempre rodará de maneira eficiente.

Peça seu mecânico para fazer ajustes sempre que necessário.

Ar condicionado ligado faz diferença no tanque?

Verdade! Sabemos que o ar condicionado tem seu percentual no consumo, portanto é necessário deixá-lo sempre em dia em relação ao gás e ao filtro, pois isso também afeta o gasto.

Rodar com o ar ligado aumenta o consumo, pois o compressor do sistema é acionado por uma correia conectada diretamente à polia do motor. Isso significa que cada giro do motor é aproveitado para fazer rodar, além das rodas, acessórios como o compressor do ar condicionado.

Isso é especialmente importante quando se circula dentro da cidade. Em contrapartida, andar numa estrada com os vidros abertos pode sair mais caro do que se o ar estivesse ligado. A perda na aerodinâmica com a entrada de vento pelas janelas do veículo compromete o rendimento graças a um aumento significativo da resistência do ar.

Abrir os vidros em altas velocidades cria o chamado efeito paraquedas, em que o próprio carro funciona como uma bolsa de ar e assim exige muita força do motor pedindo, portanto, mais combustível para superar essa barreira adicional.

Desengrenar o veículo nas descidas economiza combustível?

Mito! Deixar o veículo “na banguela” já foi sinônimo de economia de combustível quando ainda se usavam carburadores.

Hoje, com a injeção eletrônica, se o câmbio está em ponto morto, a central comanda a injeção da quantidade de combustível que o motor precisa para funcionar em marcha lenta. Mas se estiver engrenado em qualquer marcha e em movimento, a mesma central corta totalmente o envio de combustível caso não haja nenhum comando vindo do pedal do acelerador.

Além disso, descer engrenado ainda é a opção da segurança, pois em situações de emergência o carro está sob o controle do condutor para reduzir a velocidade ou até parar.

Em caso de colisão traseira isso também evitará um deslocamento imprevisível para frente e, por fim, impede o desgaste prematuro e até perda total de função dos freios, o que ocorre quando são acionados por muito tempo e superaquecem — durante a descida de uma serra, por exemplo.

Hábitos de abastecimento interferem?

Verdade! Os hábitos de abastecimento influenciam muito no controle de combustível, tanto a forma como local e a periodicidade. Veja abaixo os pontos principais disso.

O volume de combustível no tanque

Não é recomendado abastecer o tanque do veículo até a ”boca”, pois isso pode afetar o cânister, um filtro que recebe somente os vapores do combustível.

A qualidade da gasolina

Podemos abastecer qualquer veículo, mesmo carros motores 1.0, com gasolina de alta octanagem, pois ela possui uma compressão mais alta, que é benéfica a motores de qualquer tamanho.

A posição da bomba de combustível

Muitas pessoas dizem que a bomba de combustível tem que ficar imersa para melhor funcionamento, mas isso é um mito. Montada dentro ou fora do tanque, a lubrificação e refrigeração são feitas pelo próprio combustível.

Combustível em veículos flex

Em motores total flex, não se preocupe com a proporção das misturas, pois eles são projetados para trabalhar com etanol e/ou gasolina, sozinhos ou misturados, em qualquer proporção. A variação de um para o outro não influencia o consumo.

A confiança no fornecedor

Procure sempre abastecer em postos de confiança, pois infelizmente ainda existem locais que vendem misturas adulteradas ou irregulares.

Hábitos e rotinas do condutor podem aumentar o gasto de combustível?

Verdade! A maneira de guiar o veículo e o trajeto feito regularmente também afetam o controle de combustível.

O uso das marchas

Se você dirige basicamente em cidade urbana, de casa para o trabalho e vice versa, trabalhará mais com marchas mais fortes, o que consome mais combustível. Carros 1.0 geralmente rendem melhor esticando mais as marchas.

O peso das cargas no veículo

A carga que você leva no carro também tem influência no consumo, pois quanto mais pesado o veículo, mais o motor trabalha, gastando mais combustível. Veja se a carga que você leva diariamente é realmente necessária, pois às vezes deixamos um peso extra dentro do veículo, sendo que o utilizamos pouco ou às vezes nada.

A escolha do melhor itinerário

Avalie também seu itinerário. Longas subidas aumentam o consumo, e às vezes temos caminhos disponíveis alternativos, poupando nossos gastos.

Mostramos aqui o que, de fato, contribui ou não para que você tenha um melhor controle de combustível do seu veículo. Fatores como estado do veículo, maneira de abastecer e hábitos do condutor são fundamentais, basta ficar atento a eles.

É muito importante que você tenha em mente as razões para que cada prática de controle de combustível seja aplicada. A maioria dos mitos continua existindo depois de muito tempo, mas com alguma pesquisa e conhecimento prévio você consegue saber o que é verdade e o que faz ou não sentido.

Entender quais são as ações que surtem algum efeito no desempenho dos veículos é fundamental para o seu controle de combustível e de todos os gastos da frota. Para ter ainda mais controle dos gastos com combustível, não se esqueça de baixar nossa planilha de controle, assim você não terá sustos e saberá se está gastando mais  do que o necessário.

2 respostas

Os comentários estão fechados.