A falta de matéria-prima nas montadoras: como você está se preparando?

A crise que chegou com a pandemia desencadeou uma série de problemas para o setor automotivo. Um deles é, com certeza, a falta de matéria-prima nas montadoras.

Montadoras com linhas de produção paradas, férias coletivas para os funcionários, além do aumento do valor de insumos fundamentais para a indústria automotiva, como o aço. Dessa forma, gestores de frota tiveram que lidar com um cenário completamente atípico. 

Como lidar com esse contexto de escassez, conservar a frota e manter a produtividade, sem que isso represente um risco para a sua operação?

Ouça nosso Podcast sobre o assunto:

O que essa escassez significa para quem lida com frotas?

A escassez de matérias-primas e semicondutores está mudando as políticas de fornecimento e produção dos fabricantes de automóveis. 

Atrasos temporários nas linhas de produção estão tendo um impacto significativo nas estratégias dos gestores de frota devido ao aumento do tempo de entrega. 

Portanto, a etapa mais crítica para os gestores de frota será preparar um plano conforme as mudanças na produção e nos preços dos veículos

Da mesma forma, definir uma quantia precisa de investimento para um determinado período será crucial para determinar o número de veículos em uma frota.

Como o problema da falta de matéria-prima nas montadoras impacta diretamente nas frotas?

A falta de matéria-prima nas montadoras causa impactos negativos para as empresas que mantêm frotas próprias e alugadas.

Confira os principais a seguir:

  • Custos elevados: com os preços dos veículos em disparada, os gerentes de frota estão acostumados a pagar, e isso está aumentando.
  • Baixa no estoque: os proprietários de frotas não podem mais depender das concessionárias para ter estoque excedente. 
  • Mudanças na disponibilidade dos veículos. Fabricantes estão vendendo tudo o que produzem. Logo, não há necessidade de oferecer incentivos à frota. Para 2022, espere por ajustes significativos nos programas de descontos, bem como na disponibilidade da frota.
  • Escassez geral de matéria-prima nas montadoras. Os problemas da cadeia de suprimentos vão além dos semicondutores e aço. Materiais para ajustes, como aço e madeira compensada, também têm baixa oferta e alta demanda, o que eleva os preços.
  • Mais manutenções. Com os veículos que precisam ser segurados por longos períodos, manter-se atualizado quanto à manutenção preventiva e aos reparos será fundamental.

Porque o gestor de frotas deve agir preventivamente para driblar a falta de matéria-prima das montadoras?

A indústria automobilística ainda não enxerga uma “luz no fim do túnel” para a falta de semicondutores e a normalização da produção das montadoras.

Segundo o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Carlos Moraes, é provável que a escassez persista pelo menos até o primeiro semestre de 2022.

Com um cenário nada favorável, somados ao aumento do combustível e energia, gestores de frota que não tiverem um plano deverão enfrentar um encolhimento das suas receitas.

Dessa forma, como um efeito dominó, negócios podem ser perdidos e colaboradores demitidos. Para evitar essa possibilidade, é melhor se precaver.

O caminho passa pela conservação da “frota velha”

Com a impossibilidade de renovação de frota, pelo menos por enquanto, é necessário que ações para a conservação da frota atual sejam colocadas em prática imediatamente.

Assim, processos de manutenção precisam ser revistos, assim como ações de conscientização sobre cuidados com a frota. Ou seja, é preciso trazer o condutor para o centro do jogo.

Por isso, concentre os seus esforços na sua frota atual.

Essa é a hora de utilizar todos os recursos que o seu sistema de gestão de frotas disponibiliza para avaliar as condições dos veículos e planejar um crescimento ou, pelo menos, cuidar para não ficar no vermelho.

Atenção para o ciclo de vida útil dos veículos

Veículos com mais quilometragem estão mais propensos a avarias. No entanto, com uma demanda alta e oferta extremamente baixa o preço a ser pago para a renovação da frota passa a ser alto demais. Assim, faz mais sentido manter os ativos por um pouco mais de tempo.

Realize a manutenção preventiva dos veículos

Num cenário de escassez, é fundamental ter visibilidade e previsibilidade. Uma política bem estruturada de manutenção preventiva vai ajudar você com isso.

A visibilidade da atividade de manutenção preventiva é valiosa para manter os custos gerais baixos, além disso, ela aumenta a confiabilidade da sua frota. 

Uma manutenção preventiva eficaz pode fazer uma grande diferença em seus resultados, já que o custo da manutenção de rotina tende a ser significativamente menor do que o tempo de inatividade não programado.

Ao planejar, programar e realizar a manutenção preventiva adequada no momento certo, as frotas e seus clientes podem se beneficiar de uma operação mais econômica, confiável e segura.

Checklist diário para prevenir falhas mecânicas

Um checklist diário de veículos é outro fator importante para vencer cenários de crise, pois dá suporte para as suas rotinas de manutenção, além de ser fundamental para a tomada de  decisão. 

Qualquer programa de manutenção preventiva é orientado por informações encontradas durante as inspeções regulares.  

Isso pode incluir inspeções pré-viagem obrigatórias realizadas pelos próprios motoristas através de um checklist digital e automatizado.

Independentemente das práticas implementadas em sua frota, o checklist é essencial para localizar e consertar pontos que precisam de atenção antes que causem uma avaria, acidente ou outro reparo não programado mais caro.

Controle de peças

Acostume-se a registrar tudo no sistema. Assim, você passa a ter o controle das peças trocadas e também daquelas que ainda carecem de substituição.

Um bom controle de peças passa pelo registro de informações básicas, que possam ser acessados em casos de dúvidas, como, por exemplo: 

  • Nome do fornecedor;
  • Data da última troca;
  • Custo de aquisição.

Além disso, outras informações podem ser necessárias para você poder realizar os ajustes regulares através de uma ordem de serviço sem prejuízos, evitando assim uma manutenção corretiva imediata.

Também é preciso contar com parceiros e especialistas

Mais do que nunca, gerentes de frotas precisam manter uma relação de parceria mais estreita com os seus parceiros para maximizar os investimentos e pensar no futuro.

Dessa forma, um parceiro de frota ideal terá conexões com fabricantes, provedores de serviços e também pode ajudá-lo a localizar ativos mesmo durante grandes problemas de falta de matéria-prima.

Da mesma forma, contar com consultores especializados pode ser um caminho para colocar a sua operação nos trilhos. 

Afinal, com anos de experiência prática, consultores sabem com quais fabricantes você pode trabalhar para fornecer as melhores soluções.

“E se eu precisar adquirir novos veículos durante a crise?”

Caso a aquisição de novos veículos seja imprescindível, gestores de frota precisam ter um senso de urgência. Não encarar uma negociação de frente pode fazer com que os planos da sua empresa não prosperem.

Além disso, explorar modelos alternativos, pré-encomendar veículos quando possível podem causar um impacto para o seu negócio.

Durante este período, gestores de frota precisam colaborar de perto com os seus fornecedores e se manterem informados sobre o que for possível.

Centralize informações em um sistema

Todos os dados necessários para gestão da manutenção, estoque, abastecimento, checklist de veículos ou outras demandas da sua operação, podem ser controladas e centralizadas em um único sistema como o SOFIT.

Com a nossa tecnologia, a sua frota estará preparada para enfrentar os desafios da crise que freou o mercado e causou um desabastecimento para as empresas de frota.

Sendo assim, conte com a SOFIT e tenha à sua disposição um novo jeito para ter o controle de tudo que acontece na sua operação.