Já pensou se em uma frota de 100 motoristas, a metade deles tiver o costume de cometer ultrapassagem forçada em local proibido, gerando multa de R$ 1.915,40, segundo a nova legislação de trânsito que, desde 2014, passou a punir com mais rigor os infratores? Digamos que cada um deles realize esse deslize apenas uma vez. Ainda assim, o rombo seria de R$ 95.770,00!

Quanto maior a frota, mais atenção o gestor deve prestar às infrações cometidas pelos condutores que impactam diretamente no caixa da empresa. É que, além de trazerem prejuízo para o negócio, as multas de trânsito sempre indicam a necessidade de reavaliar o comportamento do motorista e adotar medidas preventivas para minimizar os percalços durante a execução das entregas.

Se você quer saber como reduzir os gastos com as multas de trânsito na frota, continue lendo, pois este artigo foi feito para você!

Faça a manutenção periódica da frota

Não dá para cobrar dos motoristas uma atuação exemplar nas estradas e redução de custos na frota se você não oferecer veículos em boas condições. A manutenção de toda a frota deve estar em dia, bem como a sua documentação. Pastilhas de freios desgastadas, direção desalinhada, falta de cambagem, suspensão avariada e problemas no câmbio são anomalias que naturalmente deixam o motorista inseguro ao volante na hora de desviar de obstáculos e podem levar o caminhão a quebrar no meio da pista.

Instrua o time

Você quer ser um líder ou só um gestor?  Todo líder sabe reconhecer pontos fracos e fortes de cada um dos membros de sua equipe. Um motorista recorrente é sinal de que, acima de tudo, ele está precisando de ajuda (ou então está a fim de lesar a empresa). Cabe ao líder compreender as atitudes de seus comandados e identificar as causas. É preciso instruir o time não só quanto ao prejuízo gerado pelas multas pesadíssimas, mas conscientizá-lo quanto ao perigo de atitudes irresponsáveis nas estradas.

Recorra sempre que possível

Se por mais medidas preventivas que você tenha tomado, a notificação da autuação tenha chegado pelos correios, o que lhe resta é recorrer e tentar aliviar o caixa da empresa. Verifique se a autuação traz o modelo, placa, cor e a imagem do veículo correto (há muitas placas clonadas por aí). Um dado que não bate com a realidade pode ser a primeira brecha para impetrar um recurso.

Em seguida, veja se a autuação foi realizada por radar ou por um agente. Não raro a imprensa relata casos de radares irregulares que geraram multas posteriormente anuladas pela justiça.  Em último caso, avalie se a multa é injusta e se compensa, financeiramente, empenhar o jurídico da empresa na causa.

Multas de trânsito, sobretudo, não devem ser vistas como objetos de punição para a frota, sob a pena de desestabilizar ainda mais a equipe. Mas o gestor nunca deve negligenciá-las, por menores que sejam os valores, pois as multas não deixam de ser um feedback sobre o serviço que o time anda executando. Mas o equilíbrio ao lidar com uma questão tão delicada quanto as infrações cabe a cada gestor, ou melhor, líder, encontrar no dia a dia do seu trabalho.

Aprendeu como lidar melhor com as multas na sua frota? Compartilhe com a gente a sua história!

1 responder

Os comentários estão fechados.